quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Este sofa sabe o resto desta história

Gato pardo é malhado.
Noite criança ainda não amanheceu.
O turco que se chamava saiu chegou para receber por Salim.
Capto imaginários sem querer.
Eu não posso interromper a prosa.
Porquê não me deixam sair com graça?
O alicerce de uma boa escritura é a terra ser valorizada?
Quanto está custando o melhor horizonte vertical do belo?
Hoje no garage sale o psiquiatra conhecia lila show dolls factory e disse sua filha é uma artista mesmo quero encomendar os deuses gregos e deixamos os outros contatos dos outros trabalhos e viemos todos orgulhosos com a grata surpresa estamos no caminho não perdemos tempo...
Comprei um Polar pela metade do preço lá, uma máscara de cerâmica, e uma roleta de madeira com números e buracos para esferas de rolamentos entrarem assim que o peão de madeira é rodado.
Gostei dos seus desenhos.
Não precisa justificar nada.
Quando a linha chega já podemos colocar no ar.

    

Eu estou vendo o quanto é bonito

Acabo de falar com a Suíça que preciso lhe mostrar
melhor a cidade não com o nome das coisas e das pessoas mas com todos os gestos da ação como nos movimentamos por aqui em cima das bicicletas numa corrida numa caminhada num rolé quietos dentro dos carros filmando a interceptação direta sem rodeios ou malabarismo nas palavras o espanhol ou seria o latino do castelhano no sinal dizendo que o brasiliense é pão duro se paro o carro levo pra casa sem desculpas só para alimentar cuidar e ver se pega melhores rumos quando ainda não era eu era vovó quem fazia gostamos de colar esparadrapos em almas mortas e nas vivas recuperar a memória universal para que possam ser felizes a memória universal de todas as tentativas de humanidade ou dar uma funcionalidade no espírito com a religião da arte de ser daqui que disseram mas sabendo não ser de nenhum lugar aqui é fácil não ser de nenhum lugar uma cidade formada por pessoas de todos os lugares daqui e daí uma volta ao mundo pelo setor de embaixadas depois catar ainda as dos lagos e park way`s sair de galera por debaixo dos blocos na noite entrar em festas sem sermos convidados ou coquetéis demonstrar que sendo direto aqui passamos de raspão pelas frestas ou deitamos no meio fio para ver melhor depois que passou o frenesi em mim não vou dizer que é mais divertido mas faço menos confusão ou quase nenhuma a diferença hoje é que não tenho mais a necessidade de ofender ninguém pois sei que se eu não estivesse presente não alteraria o fio da história as pessoas estão rodando num eixo que por mais que pareçam ainda com pessoas estão todas correndo atrás do próprio rabo não me engano a diferença é que quando estou trabalhando apenas estou trabalhando e posso sim parar para trabalhar por quem não gosta de trabalhar para ficar mais tempo de folga -patino?- caio sempre caído por qualquer ilusão coitado do rei da ilusão não sabemos com quem estamos negociando você quer me vender eu quero te dar tanto o material quanto o manual de uso se você souber me usar você só vai ganhar em todos os sentidos e significantes do significado isto aqui significa que o melhor desta cidade é um fluir fora da instituição longe da gosma de qualquer projeto grupo ou pesquisa de mentirinha só para se dar bem e fazer pose de contemporâneo de cult de bons vinhos de melhores festas de padrão de festas sendo que o país nunca foi isso sabemos como ficam quando se juntam e tomam umas sabemos quem são os educados e o Quê fazem com a sua educação  sabemos quem tem coragem de finalizar e como finalizam uma coisa bem desenhada para a cidade é diferente de duas coisas mal desenhadas para a montanha, eu não tenho dúvida disto.
  

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Tanto o meu portão quanto o meu muro são feitos de frames

Hoje dei aula de velhice para um novinho lhe lembrando quem é quem na cidade e como cada conquista foi merecida por sua fundamentação e não por simples estouros de verbetes meus amigos e suas histórias com a cátedra de como eu um merda sem graduação fui espantar meus fantasmas nos livros e todos nós devemos agradecer aos livros aquilo insisto que é só livro de papel de pano aquele objeto da parede da casa das melhores imagens letras quietas para rasgarmos mas que não se apagam nem viram outra coisa texto de abandonar qualquer sintoma de civilização ou estado ou comunas grupo aquilo por onde anda a pavimentação texto só de sair quando se lê sem estar ligado a nada que não o punctum na madeira ou folha ao vento quem soprou pode servir para esquentar do frio no mosteiro mais alto ou ser arremessado mas quieto calado que se deixa apenas abrir virar marcar voltar saltar começar do final sem programas sem preço sem progressos tecnológicos sem atualizações sem consultas fora dele próprio sem o livro queridos vai aumentar o número de manuais onde o texto está sendo escrito é para lá que sempre me mudo sempre persegui imagens através da fala da escritura da doxa das variedades das bulas dos cartazes dos rabiscos dos banheiros imagine e correrei para lá!   

A linha do horizonte é meio fio, e o resto é cerrado

Eu gosto de comer jiló, de qualquer jeito. 
Gosto de feijão, com arroz...
A salada.
Costumo dizer que como qualquer coisa, bem feita.
Mas sei que falar de pratos é bem Dalí!
De cá quando há vagas para comerciantes empregamos na feira dos importados.
A palavra não perdoa quem não sabe chutar de primeira.
Depois que você erra o suficiente para que todos gritem tira esta carniça, dá de pegar no ar quando todos já não mais teriam ar pra pegar, e meter direto mesmo que não entre estore o resto dos tiros, já apliquei, fui carregado, pagaram a conta, e ouviram minhas histórias nas mesas dos bares, já fui o bêbado de olhar o bar e não deixar ninguém dançar, do bar já controlei a perita, e controlo a hora que eu quiser até sem beber eu respeito as caras os andarilhos já me serviram de companheiros de estrada já me vi na pele negra do asfalto branco de fome convencendo qualquer coisa me dar qualquer coisa amor qualquer coisa é qualquer coisa mesmo não vá pensar que qualquer coisa são as suas coisas não esperei 3 dias num posto mineiro só bebendo água da torneira do posto de gasolina eu já pensava que aquilo era caldo de cana quando apareceu qualquer coisa que me tirou dali! 
A variação do tema dentro do tema na música não representa muito aos meus ouvidos quando acompanhada de barulho trânsito montanha russa e muita conversa de desejos.
Meus desejos eu estou trocando, também, por qualquer coisa.
Estou grávido de açúcar!
Divida a palavra com as suas feridas e coloque pra secar, dá carne de sol das melhores, sirva com um pouco de aguarda a gente, como sobremesa mastigue ao dente toda e qualquer falsidade da família.  Mais tarde, antes de dormir, alimente-se de sonho, salpicado com luz de tele-visão!


     

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Estes ossos dos ofícios são bem conservados

Aziz Ab`Saber!
É um dos meus jardineiros.
Projetos oferecidos por aqueles que ficam em volta dos governos este aqueles que ele não quis dar nome enquanto trabalhava para o paralelo que mais tarde iria te trair também como se fosse novidade o governo trair o maior pensador no assunto...
Neste momento quantos dos bons não estão autorizados?
Aqui chegam a dar uma biblioteca sem livros para o doutor em bibliotecas.
Museu sem acervo vira galeria de intenções.
Associações de escritores não permitem a letra entrar...
Aquele que o pulso lhe permite não assinar quando Prêmio Nobel assina.
A instituição vai dizer sim assim como diz sim ao atleta dopado quando o foco é outro um jogo onde as regras são mudadas assim que o poder é ameaçado de não dar as cartas é muito bonito dizer do artista quando ele já não é a possibilidade de linguagem do momento ficará como mais um que repetiu a tentativa de humanidade matamos mais um que sabia como seria melhor... 

Eu não sei ler só a rua

Joseph Jacotot.
Minha cota de citação hoje.
Vai vender enciclopedia em outra casa.
Aqui nós nos emancipamos do estado fazendo uso de todas as suas frestas de entradas e saídas.
Para o conhecimento daqueles que se julgam espertos no meu departamento nós tínhamos todos os estereótipos possíveis em um grupo de 200 homens todos trocavam querendo ou não seus limites durante meios expedientes plantões noturnos horas extras muito mais que terapia em grupo muito mais que salas de aulas muito mais que em família.
Liberdade de falar + TEMPO + transeuntes disponíveis para serem consultados, do deputado ao mendigo ao louco, o BRASIL passando pela segurança.
Por favor, uma dúvida, estamos aqui para facilitar sua vida, em troca, conte aqui agora no posto, abra-te!
Os outros funcionários só tinham os das suas sessões e não podiam ficar de troca-troca o tempo todo em diálogo permanente com todos sem discriminação um de nós tomou até cerveja com defunto e quando o rabecão queria partir ele falou não meu amigo não levem...
É mais ou menos como sair para a rua e conversar com quem você quiser, só que na rua você não conversa com quem você quer mas sim dentro da sua semiótica no serviço conversávamos até com os loucos tornamos o corpo humano funcional deixamos o Julião ser o dono de todos os projetos & saber de todos os possíveis aumentos e promoções, em troca ganhávamos água & café...
No início brincávamos de excursão na ida e na volta de micro-ônibus, mais eufóricos, uma verdadeira festa, com a cidade. Quantos tipos eu conheço?
Nos outros lugares quando a prosa está ficando boa a agenda chama, nos nossos postos tínhamos a sofisticação do parlamento, a voz de todo o país circulando nos corredores amigos de todos os estados contando os detalhes finos da questão...
Muito mais do que se põe no Google, você sabe do disco voador do Gil na testa do deputado?        

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

_Em folhinha de empórios até que não fica mal!

A duração da arte é a mesma duração do homem, antes + agora + depois = enquanto durar o homem.
E não me venham dizer que a natureza é a maior obra de arte, pois ninguém pagou por ela, ela não vai inteira para a galeria, nem mesmo quando querem jardins em sua volta, ou mesmo quando cercam um pedaço, e dizem é meu, pelo contrário, nos que somos dela, e duramos o tanto dela.
Aqueles que podem dizer sim sem pensar, estes são os melhores.
Estou armando uma arapuca invisível, só de pegar versos!
Na ermida hoje enquanto eu fotografava, um skeitista caiu na minha frente, não apertei o gatilho, eu já o havia feito em plena corrida, é o suficiente.
Sim, vou mostrar! 
Entendeu?
É este o meu relacionamento com a linha!
Nenhuma pretensão de tecido acabado.
Aquele que tem um texto mesmo sobre ou sob o monumento estes me dizem o arquivo dados verbetes clichês lugares comuns das mentiras sociais que sempre cercaram uma obra do não querer o melhor do artista mas sim a parte que te interessa o grande arquiteto por fim deixava o serralheiro da esquina fazer as portas dos seus discos voadores acho que é porquê estes são melhores para deixarem frestas...
O que o Brasil já aplicou de Milton Santos, seguiu os conselhos de Aziz Ab`Saber?
Se o estados unidos tivessem seguido os passos de Thoreau não precisaríamos hoje mais ficar brincando disto ou daquilo... 

    

Minha granada pula o muro

Deus não disse sigam-me, ninguém sensato diz: sigam-me!
Basquiat nasceu em 60.
Quem de 58 ama Basquiat?
Um Deus faria roupas para o Bispo Do Rosário?
88,89.
Leonilson 93.
Eu!
"Rob cuidado com a agulha, cuidado que você fura o olho!" Minha avó dizia quando com 5 anos eu já costurava.
Eu sou minha obra, mesmo que feda, ainda sou eu, um eu que não descarta nada, e só embaralha de novo, mais cartas...
O primeiro jogo com baralho que aprendi foi o Fede. Fedeu?
A galera da educação física costuma ter bons reflexos.
Os caroneiros sabem pedir.
Os escritores representam muito bem.
Artistas plásticos rodam o mundo, quase sem tempo...
Funcionários Públicos são viciados em repartições.
Fotógrafos que falam de máquinas & técnicas o tempo todo estão loucos para emplacarem algo contemporâneo...
Cachorreiros que cultuam as raças criadas não se guiam pelas sabedorias dos seus cães.
Brasileiros são muito bons para verem os erros dos outros...
Carro isto carro aquilo mulher padrão homem leão bicicleta na contra mão casa caixote jardim igual ao do vizinho relações comerciais eu quero um pouco de farofa ...

domingo, 27 de janeiro de 2013

Como que o Face Book deixa eu colocar uma foto destas?

A filosofia quando chega no jornal já vem autorizada.
O saber com sabor não ilude o apetite.
Aqui dentro encostou o barco da calmaria que nem sabe de tempestade.
Meu cachorro é uma coisa óbvia e tola, mas só dele saber de mim mais que eu mesmo, alimento-o.
Onde realmente o poder está não entra desconfiança, ou qualquer julgamento, o poder não é isto que já foi chamado de poder.
Uma barata em Nova Iorque pisou no pé  do Pelé! É mané! Pois é! pisou e levou o bueiro todo para dentro da Galeria! Sorria você está sendo queimado, só com os vídeos e as fotografias dos que estavam presentes faço um documentário super super hiper-real!
Santa Maria Mãe De Deus Eu Estou No Inferno!
Alicate fui chamado de alicate do conjunto com 14 anos de idade, falei é eu mandei mais que alicate, e o ferro de soldar, e a iluminação, e eu ensinando o vocalista pegar a letra na vitrola, baixando a velocidade do inglês? 
Eu não preciso dos nomes que vocês dão para as palavras.
Aqui lá onde quer que está é nada.
O cara que disser que sabe mais de nada do que eu não viu o computador no colo do coisa ruim. Só por ele dizer que eu era nada.
Eu sou nada mesmo, mas não é o coisa ruim que vai dizer.
Na hora do samba a familia pobre vira novelle vague ...
  

Alguém vai vencer, eu só vou ver

Quando eu já tinha assim muitos e muitos quilômetros percorridos nesta estrada e um dia descobri que só escrever não bastava alguém ainda disse é preciso saber escrever falei é pois não sei provavelmente nunca saberei no entanto escrevo e tenho leitores errado assim mesmo como disse bem um amigo que quer ser da minha mpb ele não sabe escrever aqueles que sabem e que quando correm riscos precisam sinalizar para todos com aspas daqui e da;\lí justificando através de falas gosmentas do arquivo do jornal da revista do livro do rádio da televisão da estatística e a merda toda de todos os verbetes estes não podem buscar em cada clichê a mensagem rançosa que deixam a torto e de direito por aí eu também por aqui engano até o meu patrão que hoje sou eu mesmo me deixo enganar por nada mas por favor sejam convincentes pelo menos eu não tenho mais bílis pra verter verde em maratonas como no passado eu não estou com a estrada no bolso sou tão insignificante que até mesmo quando querem me dar significado me esquivo e ginga daqui drible de lá meto uma finta sem bola o menino doido não quer mais jogar bola é só bolar velho bola redonda que rola na ponta dos dedos este desenrolar poderia ir até a esquina e não ser mais nada disso mas o discurso ainda estaria no bar na repartição em cada empresa empregada em tudo que fiz estou escrevendo uma coisa só em tudo tanto aqui quanto lá em baixo quando descer pra ver o Aberto da Austrália a performance aqui é endurance de toda uma vida é fácil eu sou em período integral inclusive no sono sempre sou aqui a;i fazer o QUÊ? 
Mas posso montar novelas filmes teatros peças para as suas maquinarias com os mesmos erros ou com outros é bom variar sempre nem que seja variação de tico.        

sábado, 26 de janeiro de 2013

Este quero quero não concorda

Brasília não é um deserto de pessoas conhecidas assim como o muro quer dizer com folhinhas coloridas existem várias Brasílicas vivestes em quantas convivestes com quantos de quantas tribos diferentes na cidade dos cães tenho muitos amigos na dos ciclistas também na dos loucos muitos hospícios construímos para nós mesmos frequentar-mos na dos peladeiros só camaradagem na dos sambistas me convidaram até para desfilar com meus galgos sendo um nobre destes ditos impérios sem imperadores e a cidade disto a daquilo pense uma cidade fora de qualquer padrão uma cidade que numa mesa você encontra gente de todos os lugares ela está cidade permite até que se escreva em todas as suas paredes das embaixadas aos templos de todos credos vamos é uma cidade livre é um núcleo bandeirante é candangolândia é jardim botânico...     

Nos quintais & coisas tais

Vamos mudar de tipo.
Gibi com caqui!
Era muito perfeito.
Saci com reli!
Era muito defeito.
Vamos mudar de naipe.
Vatapá com matupá. 
Todos terão direito.
Papapá com lero-lero.
Perfeito, prefeito! 

A linha branca solitária que saía da sua bunda branca em direção ao pinico esmaltado de branco movida por farinha de coco branca estendida na terra do quintal marrom e medida por fita métrica colorida por propaganda atrás de 17 metros e não sei mais quantos centímetros enrolados como macarrão branco japonês...

A chuva é uma constante matemática.
O avião passa aqui constantemente.
A chapa do brigadeiro é um céu limpo.
Céu agora é nome de cantora.
O brigadeiro disse que também posso chamá-lo de cajuzinho, olho de sogra...e outras atrações da festa...quando não se está no navio ouve-se cada coisa... aqui na minha rua todos sabem da vida de todos foi uma maneira que encontramos de fazer a segurança chegou carro nego avisa e anota horário e o escambou...
   

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Palavras com imagens significam mais do que mostram

Um parafuso de linha férrea na cabeça de um piolho, era o que faltava.
Agora ele está coçando direitinho.
Antes ele era só um pontinho na asa da galinha.
É um absurdo dizerem em voz alta, para toda a rua ouvir? - "beija o meu cu"- , lá em casa diziam!
Quem vai entender?
Acho que já parei, quando a onça quase me pegava, na casa do desconhecido, na madrugada...
Eu queria não deixar de registrar nenhum devaneio fotografar todos os instantâneos filmar todos os sonhos gravar todas as conversas...
Vi uma senhora toda de preto segurando dois bastões de esqui na neve andando ontem na calçada aqui perto nas mansões Dom Bosco comentei deve ter visto lá fora e trouxe para cá onde quando estamos velhos para andar nas calçadas vamos beirando muros ou com alguém mais novo ao lado mas realmente os dois bastões eram dois floretes que dependendo do vira-lata dava pra espantar!
Hoje no setor de oficinas do núcleo bandeirante fumavam crack 10:30 da manhã.
Na asa norte os programas são mais baratos.
Na sul espero um rolo raro.
Será que macacos de Mário hoje são pacientes de Fabricio? 

  

A mão do marceneiro

Quem não está fazendo nada, vocês.
Eu ando muito ocupado tentando um direto mais potente.
Todos vão às compras.
A história superficial ao redor do texto pode ser qualquer uma.
Você se orienta pela superfície do texto?
Aí então você acha que é só sair pegando conversa de matuto por aí e se faz um Grande Sertão: veredas?
Se fosse assim todo jornalista teria um romance.
Aqueles que querem fazer o trajeto do escritor para ver se não sobrou nem um resto de tecido em alguma cerca...
Eu posso dizer a chuva e o meu corpo estão na mesma sintonia.
Um menino disse decifrar, mas queridinho, este decifrar não exige mais que os caminhos para abrirem caminhos livro dentro de livro querendo sair dos livros eu quero entrar, dá licença?
Se Um Copo de Cólera fosse  só um copo de uma cólera só de um só seguimento social se contrapondo com outra coisa bem local ele não daria para embriagar nem um Jeca Tatu ou tão pouco uma só parte da nossa literatura.
Raduan Nassar pega terra e devolve universidade.
Monteiro Lobato pega propriedade e devolve tradução.
Rosa pega as relações exteriores para devolver SERTÃO. Ser tão...         

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Minha foto da foto da banda do meu Avô.

Depois de uma hora qualquer caminhada à dois conversando é uma aventura principalmente se o passo é acelerado nos últimos quinze minutos ela apela e corre e eu ultrapasso o casal de argentinos sem correr e só perco por cinqüenta metros ainda pego o portão aberto sem os cachorros saírem com a chave no tambor fecho e dou duas voltas retirando a chave Azarenka está na final com Li na Austrália ainda não sei sobre os homens me deixem ver: o Sérvio já está garantido, falta saber agora, se o Suíço, ou o Escocês.
Fui na Ipanema no Caio na Loteria no Banco na Churrascaria no Terraço dormi depois aí vem o começo o banho e este texto que não quer ser apenas um diário de bordo, mas é.
Esqueci na banca de revista enquanto ela botava créditos comprei Um Copo de Cólera, que ela leu enquanto estávamos em trânsito, a melhor parte quase não contamos olhei os panos as ruas...    

Aquele ali está com uma máquina nos olhos!

Vocês querem torcidas enquanto quero distorcidas.
Onde vai dar isto de fazer cara daquilo ou disto hã?
Quando você pergunta como lidam com determinadas coisas para depois fazerem uma outra cena quantos enquanto me perguntavam queriam mesmo era que eu me pronunciasse onde eles queriam medo ou esconderem atrás de falsa educação para no futuro com jeitinho mandar falar com fulano que se ele precisar de qualquer coisa em qualquer lugar ele está ali é para servir até mesmo mentir uma ideologia uma militância por causas perdidas ou sugerir o corpo a mente o trato o contato agenda encarnar o homem de negócios sem investigação querer impor a patente acaba por receber um Japonês de presente não deixa descarregar sim suportar o outro está cada vez mais caro nem sei se quero mais moldura acho que vou raspar o cabelo e vou pra índia procurar mestres dizem que lá em toda esquina tem um baratinho de doer se eu resolver latir projetos quantos ficarão interessados sem nem uma intenção de cópia faça um sutil life da sua bunda vai vender mais que o nu da madona vou combinar uma coisa com vocês vocês ficam com os louros da glória e deixa que fico com o resto.
Você nunca apresenta uma característica das do cara e no entanto o cara fica uma vida inteira em volta dizendo as mesmas coisas que ele sabe que você não gosta e diz ainda que é seu amigo e gosta muito de você.
Tenho de todos os seguimentos só me falta a correia dentada.
Como passa tempo na espera estou pegando avião pelo rabo.  

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

O bruto & o brilhante

Acho que ando escolhendo mais times dos tipos é ainda um dos que restam no cubo uma linha uma pinta decote perfeito para o meu penteado o papel de algodão está leve pra chuchu porém a russa já dispensou uma reunião de mesa de portas fechadas meu tédio deixando entrar mais um lambe lambe deixa as pedras irem para as mãos dela também que meça e compare com a bruta minha fotografia de post minha fotografia oficial minha fotografia de exposição minha fotografia de produtos minha fotografia desenho minha fotografia de gaveta minha fotografia de repartições de escolas de técnicas de máquinas&lentes os loucos da cidade estão loucos para saberem o rumo que estou tomando os de fora também sei não o gibi vem aí assim como prometi técnico branco preto escritura-imagem dois em um mais de dois mais de um e do instituto histórico e da catedral das trevas quero-quero espinho vermelho no cotovelo da asa Brasília nós sabemos como ama-la acho que você BSB nunca precisou pedir uma posição diferente no clube de dentro do clube na rua de dentro da rua no cerrado nas pontes mesmo com o rabo sujo você voa, vamos ocupar a rodo ferro viária ?  

Encontrei estes bichos no museu, sei que é não, vê aí!

Paulicea desvairada não foi suficiente.
Pau Brasil também não.
Lavoura arcaica idem.
Ö.
Pega leve aí baby Paris numa pernada de gato preto vou ali no salão do tio Balzac vê se eu encontro Rousseau pra mandar um recado pro Sartre que Onfray mandou...
Rei rei cara de lei!
Quando o ciclismo foi um esporte limpo?
Seus mensageiros já foram corredores de longas distâncias!
Luta de rua briga de galo roleta russa tia Azarenka está tirando pra dançar a Vitória nada pro Nadal quem sabe na Sérvia a montanha é subida correndo de romãs se correr de leões viram Quenianos Brasileiro é bom da bola jogo do bicho vamos apostar aposto que se eu ficar aqui com cara de que não estou esperando nada mas olhando tudo algo de bom cai na minha mão sem mesmo eu pedir quer valer quanto? 
Não vou abrir a boca sem ser solicitado.
E, quando perguntarem, sei lá o quê, vou responder com a maior educação, e um olhar bem fundo de que se você não for dar afasta-te daqui ou arrisque num rumo que será posto em outro estou aqui limpando a rua com olhos de sem querer !
Bastão?
Entro no bar!
No bar sempre existe um escudo, balcão, banheiro, freguês, e o próprio direito de tomar uma antes da morte.
Chega!
É bem chegado, bebi com todos os tipos, do pé inchado ao padre, da puta à dona, quem me viu beber sabe do meu vamos.
Coloquei a Candangolândia toda no mesmo ritmo de casa em casa convite de sair bebendo todos juntos na noite vamos comemorar as casas um dia meu cunhado chegou e já tinha uns 2 anos que estávamos comemorando as casas e ele achou normal falou que era assim mesmo que com o Guará foi do mesmo jeito só mudou 8 anos depois falou porra esta cidade não dorme passo em todos os lugares fechados aqui ainda está aberto festa alegria e umas poucas brigas mortes furto assalto baculejo gogó fala tirando jacaré também vira mala mandei!
Quantas vêzes saí só de calção e bebi o dia inteiro indo em todo lugar já fui de cueca na casa dos escritores e no cinema também e sem beber ninguém falou para sair quando eu estava de cuecas samba canção quadriculadas uma de bege outra do famoso azul branco e vermelho -riscadinhas- deixei até puir!
  
       

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Tramas precisam de pelo menos 3?

Olá história como tem passado o perdedor você encontrou algum lugar seguro para ele contra-história da história ali sentado sem reserva de mercado o próprio perdedor resolve tomar partido e manda ela sabe o quê está perdendo sim sabe de traçar planos previsíveis de manutenção da prosperidade de quem autorizou ser contada ela a pobre história que nem um contador de estórias quer contar com caixa alta nem isto ela merece mais quanto eu o perdedor de tempo ainda tenho algum para perder com qualquer solicitação de arquivo outro dia ela me perguntou se eu não queria a cartilha da mãe dela sim quero e ela a história esqueceu história é para esquecer afinal o quê temos de lembrar né mamãe-história só aquilo que nos sustenta né?
Se precisamos de um suporte somos também dependentes do quadro das páginas sejam elas de papel ou de éter das instalações e toda e qualquer parafernália que queiram chamar de suporte uma sala com a tralha toda e uma amarração textual a rua para deixar o que quiser nos seus espaços a roupa o carro este desenho que dou ao meu perfil e...
Num tempo assim não existiu este aqui deve ser invenção de algum renegado só para perturbar a ordem que até então não tinha entrado na história até porquê tinha quando resolve escamar e coçar ainda consegue ficar vermelha cara de pau brasil?
    

Demorou!

Polaroid xs7 aguarda Roll Rare para uma saída especializada.
Enquanto isto ela aparece 3x4 na face do livro.
A correia dentada vai ser a trilha sonora perfeita, em mantra maquinal!
Rara, tão rara quanto cara a especialidade...
Minha cara clara bela diz aí pro pateta que mesmo a chave não estando em nenhuma caixinha lá dentro quando ele voltar pode deixar a porta aberta!
A menina tatuada falava de roteiro programa de auditório escritura e outras saídas mais, quem quer sentar com ela para ouví-la dizer LITERATURA?
Se o Caio mais o Taguá e CIA conseguir entregar a magrela antes das chuvas fecharem os verões, voces verão!
Projeto é coisa de governo.
A minha coisa atrai!
Os acentos hoje estão molhados.
Circunflexo?
O agudo é um assento que recomendo pra gota.
Não adianta nem tentar me esquecer, canta um pardal chamado Roberto Carlos!
Será porquê que tudo que eu gosto é ilegal imoral e engorda responde outro pardal Erasmo Carlos!
Enquanto meu pardal Carlos pia um passeio na ilha.
Aqui na Austrália está quente e cheio de insetos mas mesmo assim foi tão bom ver a chinesa ganhar da polonesa...
Um homem depois de ser um utilitário é complicado de se transformar num esportivo.
Estou entregando todas as minhas armas familiares, quem quiser vem buscar aqui!
Porra ainda não conferi meu jogo da meiga sena vai que eu ultrapassei Piquet
Aí meto é uma H5D-60 na frente!





segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Adoro derreter Bem - te - vi

A minha cidade é meu trajeto, nada mais que onde passei onde passo onde estou, onde vou estar ainda não é minha cidade.
Minha cidade nunca é um dado, ou um arquivo, mas só aquilo que uso no deslocamento, nas falas, e...permissão pra ir & vir!
Quando saio escorro fora do mapa e gps`s sempre meus atalhos ou alongamentos do percurso posso tanto cortar como emendar acho que nunca me considerei perdido pois quando diziam nos perdemos aí que eu andava gostoso mesmo então vamos rodar!
Se querem um conselho rodem!
Deixa rodar!
Assim musgo desgruda quadrado arredonda rombudo afina dizem até que gera energia rode mano rode sem perder nem um erro de continuidade!
Por falar em trabalho hoje enquanto fotografava a cidade parei e conversei com o porteiro do estacionamento pago e do nada ele me contou que aquilo que pensávamos que era capotamento de carro em pescaria não passou de fuga de segundo andar de apartamento de amante correndo de marido brabo...
Viu, sabemos até sem querer!
  

Depois da dúvida vem a investigação, depois é que é mais duro pois vem a danada da criação...

Ouvi uns meninos dizerem bem alto em grupo quem quiser novidade em sexo está sem rede pois aqui nóis pega é na rede ou tarrafa no arrastão de montão na pá como dizem lá vou falar o quê vocês falam falam isto e muito mais teve um no serviço que me disse que gosta de ir pra terra dele que lá ele só pega de 13 eu respondi que o outro já tinha morrido por pegar de 16 ele falou que lá ele conhece todo mundo e não dá nada engrossei o argumento e disse para ele que a minha concepção do assunto poderia assusta-lo muito mais pois sou do país das neves e também do outro entre sol e aço e suas maneiras porcas me abominavam tive o resto do plantão para mostrar que eu não iria na terra dele com ele nem me interessava nada daquilo que ele estava querendo me aplicar que apenas dei azar de tirar um plantão com ele num lugar que não dava para abandonar pois o homem era da minha terra e era pessoa séria eu não deixaria a família dele só com você e comecei narrar a minha família para ele toda a nossa coleção de doidos e que não nos fazia falta um tipo como ele que talvez o problema dele fosse resolvido por um bom cirurgião plástico de outra galáxia que quanto mais ele aparecer pior vai ser mas mesmo assim ele apareceu um tempo depois na principal dizendo que lhe mandaram para ficar comigo eu dispensei ele insistiu saí sem avisar e fiquei do lado de fora toda vez que ele ameaça vir pro meu lado eu corria para o oposto até que ele enlouqueceu e foi embora hora bolas!

domingo, 20 de janeiro de 2013

O quadro aí Ó!

O cara teve câncer se drogou e ganhou 7  voltas da frança ainda foi denunciado exposto criticado por outros grandes esportistas e cia um prato cheio para a história falta só pena de morte em praça pública mas será que junto com ele não deveria ir todo o modelo de controle de massa através do esporte da cópia da repetição constante das notícias desta dita civilização & humanidade muda o regulamento a grana o sucesso principalmente mude o comércio todos os jogos todas as exibições entretenimento você quer me entreter ou me levar a uma excitação me fazer vibrar em determinada sintonia você quer um botão para poder me ligar no seu programa favorito tanto vendo a coleção de tragédias noticiadas dia e noite como vendo as melhores obras de arte ou sei lá que calmante todos nós vamos para o leito e tentamos nos recuperar com algumas horas de sono um sonho variedades nossas vidas agora também são variedades o herói é um lampejo o honesto é pisca pisca eu não retiro nada sobre ele pois sei que ali é um cassino uma cafua briga de galo baralho jogo de azar e a industria dos medicamentos um templo que só pode entrar milionários para comungarem do mesmo poder e nunca comprei bicicleta por propaganda de campeão pois quando conheci o meu pai minha história com a bicicleta já era de descer picada de torre de televisão de usar as dos fregueses da pensão enquanto comiam de trocar relógio de ouro por bicicleta muitas aventuras em duas rodas com os pedais e ando em qualquer coisa sempre andei!    

Tanto a placa quanto a máquina não sabem da velocidade do fotógrafo

Enquanto tenta criar o seu filho pensa que outros também tentaram criar você?
Se não dão conta do óbvio porque exigir uma equação de não sei lá que grau?
Gestos de carinhas disto e tipinhos daquilo não me fazem mais morder a língua durante uma leitura de uma hora e meia.
Ou eu estico esta língua ou Pessoa me deixa pagar a conta.
Pensa assim Ö se não descarregar na instituição vou acabar descarregando nas pessoas requeridas.
E quando eu não estou o cão que fica de mim ali sentado na mesa esconde a cabeça entre as patas e deixa só seus outros sentidos observarem não é que ele vai me contar um emagreçam minhas frases emagreçam ou não voltem mais aqui !
Quem precisa disto sou eu leio como o vizinho corretor de imóveis lia em voz alta o seu Anjo Pornográfico, Nelson Rodrigues para ele, Fernando Pessoa pra mim!
Estou cansado de não me cansar com outras coisas que não sejam estas.
Ou outra coisa.
A superfície é mais muito mais lisa do que podes imaginar e o rótulo de louco que queres para este casco virou tapete voador no éter do seu vácuo.
Quem vai buscar?
Quando eu era pequenininho lá em casa além de ter de todos os tipos e freqüentar as rodas eram montadas no cômodo todo e a palavra encontrava sempre todos os pares de olhos bem abertos em sua direção.
Nunca sai desta escola.
Foi a única que ainda não sai mas aos vinte anos montei a minha que continua aberta e funcionando de vento em polpa.     

sábado, 19 de janeiro de 2013

Consegue ver?

A chuva despencou no exato momento em que me destravei para a escrita seu ruído é de volume vou ver a cortina chuva de verão abafou o canto das 3 lá embaixo que dizia ou disse por último "de Jessé  nasceu a vara ..."aqui lido comigo depois de mais uma dose de DESASSOSSEGO o crime fora de qualquer ação ela engrossa mais ainda unifica o som maior os esguichos das calhas das telhas fazem um segunda voz trovões ao fundo rugem como canhões distantes lufadas agora esgarçam a sinfonia piano decrescente todos instrumentos de novo que chuva cacofônica quer ditar o ritmo da minha escritura?
Minha voz na voz de Pessoa?
Meu tom no tom do Tom?
Ainda não é hora de fechar o verão!
Quem estiver em trânsito que me fale do resto.
Se chover mais 30 minutos assim, vai acabar alagando minha água. 
Ela está se afastando, ou finge se afastar...
Ouço longe agora um "estou de volta para o meu aconchego..."não sei se de som de máquina ou coro de vozes ao vivo...
Parece intensificar mais uma vez, vou mijar no banheiro claro com o vitrô basculante aberto um jato longo e volumoso escuta o repique em algo plástico seria no vizinho ou no meu armário verde e bege que foi do diplomata?
Está indo embora, os pássaros já começam piar a tarde...
Ainda trovão.

     

Parte da pele

Algo em mim jogou a toalha e bebi a noite toda numa agonia de botequins a dose no balcão isto vocês não precisam reeditar o papo de bêbado falam e esquecem que também nós falaremos tudo até aquilo mais profundo que a instituição não viu entrar este retardado não me abandona ficaram todos mais distantes até quando simulam uma aproximação ela acha que foi papo de balada mas sei que o gatilho foi Pé Na Estrada o livro que para mim entrou frio quando em 84 descobri uma tradução na biblioteca li e fiz o Gisnei ler para podermos discutir juntos aquilo e o quanto tinha que ver conosco este sempre foi um dos meus métodos de lidar com livros também gostava de testar o assunto colocando ele na roda à disposição de todos vamos tentar entender este cara nunca só uma performance de li isto li aquilo você precisa ler aquilo que li isto aparece só quando chega o azul no branco em 2003 e começam os escritores e suas associações aí tive que ser muito frio para ficar calado 3 anos e quando fiz uma pergunta o doutor de vários departamentos universitários disse que eu o agredi a noite inteira dei as costas e não falei mais nada dei uma palestra com as palavras e a caixa preta stand by eu não quero uma emoção na minha leitura tão pouco uma comoção nacional pois sei que isto não resolveu nada só piorou o amadurecimento do bananão enquanto ali estava ouvindo os que diziam contar versos os dos versos internos os dos versos puros outros de versos puristas anarquistas de boca para fora a disputa para escrever no jornal interno outra para entrar na cristaleira da sala de espera predileção de época festins coquetéis falsas camaradagens aqueles que se dizem não se suportarem se abraçando e rasgando seda trocando favores o mesmo que via no meu serviço sem acreditar em nada daquilo por saber que aquilo era uma repetição mórbida de vidas passadas mal interpretadas ou seja além de estarem repetindo ainda repetiam mal quando se experimenta sem nenhuma receita não escolhemos a casa que vamos entrar já bebi tanto na casa do padre como na casa do presidiário quanto na mata fechada no matagal no bosque no trevo na estrada no serviço em casa menos mas a casa bebia de tabela quando consigo um ligação direta a gasolina não acaba nada se fecha coloquei o carioca para gritar no silêncio de São Paulo enquanto dei uma aula de todas as minhas possíveis versões daquilo que posso ser a qualquer momento da fragilidade de qualquer estrutura que ele confiava para pegar o ladrão eu não preciso de nenhuma técnica policial ele fica querendo me dar coloco no divã vamos beber umas antes. Só que não sirvo à ninguém, me dá uma preguiça trabalhar para empacados, aqueles que se deterão...
Não existe o eu no meu texto.
Me tornei só a espreita sem cobertura o olhar de está aí né. 
     

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Aquele pombo ali me viu crescer

Público para qualquer coisa bem divulgada.
Assunto de você viu ou vamos nessa.
Aquele tarado do objeto injetou mais uma mídia.
Destroços de palavras vazias entre os superiores.
Atenda bem longe.
Meu diretor um dia me disse que nas pescarias dele os ministros iam.
Eu falei jogo xadrez com eles aqui mesmo todos olhando sem poder dizer nada.
Faço pensar.
Pense bem pois não faço e nem quero fazer parte do seu círculo.
Eu nunca estive em lugar algum.
Hedonismo é uma palavra para um Epicuro. 
Agora aqui neste momento eu estou tendo o prazer de um bem de escritura.
A palavra não precisa de nem uma curva fora do seu eixo?
Eu me administro outras imagens além da receita clássica.
Escreva sobre escrever em cima dos arquivos mortos que te fizeram olhar por décadas...
Rabisquei a cartilha.
Escrevi na constituição e passei para o Coriolano ler, enquanto nos empossavam.
Sobre o movimento das sombras.
Sobre o meus dorso sem sela.
Sobre não acreditar em nenhuma das palavras que ali estavam sendo ditas.
Nunca pertenci ao rebanho mais que a ilusão do conjunto.  

Se eu tivesse a dignidade deste filhote não perderia tempo fora do percurso

Se eu te der só o preto & o branco da cidade pichada você me devolve 1984?
Quando chegou em mim o poder pelo poder o desencanto me provocou um frenesi de quase morte saí doido nas ruas fui em tudo que é merda desta cidade falei com todos até 97, de lá para cá pareço cada vez mais com a bolha translúcida do Sartre, ou o passageiro que não se incomoda mais nem com o condutor tão pouco o cobrador, é bom estar aqui podendo deixar mais branco no lugar da gama de cinzas só com o preto & o branco continuo dizendo as mesmas coisas sobre estar ficar sair eu estive fiquei e saí volto sempre que me der no telhado com o meu cão cada vez mais galgo mesmo que com umas gordurinhas além do estipulado para a categoria dos médios ligeiro vem pro boxe meus ossos por sua coleção de figurinhas carimbadas moderninho diz um carioca eu cá sem saber escrever nada que não seja percurso uma hora por dia todo dia pelo menos só pra não esquecer sou de fazer lembrar lembram quando ele ouviu um que disse estamos aqui mas poderíamos estar em qualquer outro lugar ou talvez o Ripe que eu e Gisnei introduzimos na primeira noite de carnaval no ascade da L2 sul ele contou a hipótese de sermos só bichinhos de laboratório brinquedinhos dos filhos dos donos de outra esfera que fazemos o sugerido por estas crianças aquilo que estimulam em nós estimulam em nós ou programam toda uma fictícia estada aqui gostei do Ripe e disse que era uma bela história e que não a perderia de vista nunca mais hoje ela retorna e pergunta e se fosse isto que diferença faria, você sentiria mais dor?
Eu sei da minha parte não quero o poder pelo poder pois este já faz parte do todo que é só poder, pode?
Posso foi ontem, hoje já foi!
Amanhã parti!  
Disseram também que uma bela história precisa de início meio fim eu não tenho uma bela história vocês tem qual data qual sociedade qual personagem coisinhas de ir procurar no meio das coisas de não usar não viver quinquilharias de dados dos arquivos...  
  

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Ele estava descendo a escada branca com sombras

É possível não pensar nada enquanto enganamos o tempo?
Meu neto legou hoje o dia todo!
Indecisão não serve para escrever.
Eu digo classico outros se enamoram!
Não meu caro, nada disso serve para os seus propósitos de poupança, vai ler aqueles do seu ramo.
Um movimento deselegante indica uma fragilidade do ator, o personagem já está bem definido.
Meu quarto não tem o ar de quarto de uma época nunca teve.
Meu jardim não ouviu jardinagem.
Meu Cândido voltou, mas ainda não decidiu nada.
Quando gostamos de determinados brinquedos, ou jogos, por décadas...
É feito estrutura.
Silêncio no livro mesmo na mais barulhenta guerra silêncio.
Minhas frases saem do meu terreno como minhocas e  viscosidade protetora...
Sei empurrar cada letra uma na outra para dizer queda.
Os cães estão latindo gente que chega movimento além da rotina diária do casal e os 3.
Escrever pertence a ordem fora do discurso enquanto busco em mim o melhor jeito de dizer não vocês não me autorizaram.

      

Leve este para sua casa

Vai aparecer tanto cubano mano.
Dizem que os especiais são mais caros.
Quem quer ficar com os velhinhos?
Vamos lá ver como é que é.
A jornalista vai poder sair?
Será que lá ela saía? 
Pra poder falar da ilha tem quer ter rodado, não vem querer acender um Havana e tirar uma onda num bote querendo sair!
Quero situação de amontoados e campos.
Dar uma volta e sentir na carne não se enganar com imagens dos outros.
Sem rum?
Não vamos beber pinga não, né?
Primeiro contam uma história para a criança, depois o adolescente tem que dinamitar a ponte, o adulto faz de conta no trabalho, um pequeno teatro como ouvi rindo meu amigo Telmo narrar, sobre os procedimentos no posto.
Se eu fosse aprender só com o acadêmico eu seria um chato quadrado ou um desses bem planilha todo agendadinho mesmo barbeiro mesma turma mesmo barato com a historieta pronta na ponta da língua aquele que cumpre o regimento tenta quase fala nele preferi ser o louco que tanto pode estar de papo com o transeunte como chegar formal e assumir um ar solene afastado e se tudo quietar nas primeiras horas depois do café podemos brincar um pouco contar casos trocar educações afinal está ficando mais perto da saída...
É, o homem comum bem misturadinho em todos os desmandos.
Não sei o quê lá não sei o que lá não sei o que lá do matuto do outro!
As pessoas estavam calmas ou açucaradas?
Os cachorros passeavam nas guias roçando a cabeça nos joelhos esquerdos dos seus donos?
Estão dançando o quê nas calçadas?
Fez quantos amigos sem a apresentação de ninguém?
Amanheceu quantas noites com eles?
Já vi a noite transformar até aqueles que não eram nem monstros nem médicos!
Quando se está de guarda quem vacila perde e puxa a hora do meio.
Lá vem um ternão boa noite sim lá pega.
Ao seu destino.
Tem um aqui que nos mais de trinta nunca falei com ele mas agora quando cruzo com ele nas imediações comprimento-o chamando pelo nome e vou sem parar em movimento eu de bicicleta ele de pé que ironia somos vizinhos...
Bom tê-lo!
Ser o estranho e estar pronto para correr mesmo bêbado, ou segurar a porta aberta sozinho com mais de mil cutcgt só no argumento depois do chefe já ter abandonado o barco perguntam quem era aquele babaca eu digo o chefe e já mando sai treze entra treze na galeria ou acaba a votação e fico de papo até 4h da manhã. 
É manha mano!         

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

_Ação!

Os pensamentos não atrapalham a decisão é tomada antes tudo mais mastigado com o olhar qual a diferença do arquivo que aconteceu daquele que só foi imaginado ambos estão apenas na sua mente portanto se satisfatoriamente imaginar bem é a mesma coisa do que aconteceu na infância tive mentiras cheguei a sonhar ampliei as imagens dariam histórias espetaculares tenho até testemunhas amigos que passaram como referências é que as pessoas eram tão espetaculares com tantas coisas em suas vidas que tive que arrumar as minhas para poder trocar com elas quando falavam de suas mães e a minha ausente eu era obrigado a lembrar que a minha tinha um coração grande vovó afirmava e era boa e coisa e tal os meninos perguntavam onde ela está eu dizia viajando quando ela chegar vocês vão ver e outras de outras ordens de outros discursos ia acumulando mentiras com muitas verdades dentro era a minha história de vida ninguém poderia desenhar por mim por isto não tenho dificuldade de criar uma história pois a minha foi até agora inteiramente criada por mim minha criada eu me movimentando o tempo todo em todas as cenas pensei também em um eu ausente aquele que não deu a mínima para esta ou outra vida possível aquele que queria a eletricidade onde foi parar?

Olha que caminhão bonito

Ele cuida bem dos seus objetos, a frase para mim sempre tem uma extensão.
VIVA O GORDO
Aquele que tem preconceito em relação conjugal não deixa a coisa ficar preta.
Estou juntando frases para construir uma estante para o meu bem.
O argentino naturalizado brasileiro reduz a figura do filósofo?
Pergunte ao Borges!
Com qualquer um dos sentidos minha língua fala a repetição dos intervalos de silêncios não me tiram do solo a capacidade de repetir imagens com traços ou pinceladas não me abandonam este brinquedinho que te diz quer me enquadrar e em relação a minha vida sei sim muito dos vícios e posso concluir não tem vício pior que o alimentar onde tudo é em relação ao próprio corpo e se diz nutrição alimentação saúde estética, vai, e outras palavras de respeito. Onde o cálculo é o próprio corpo.
Disturbio alimentar tem quantos matriculados para tratamento?
Meu passarinho não adoece ao meu lado!
Nem sonda direta no estômago resolve.
O cérebro, dos processadores, é o único que encontra um canal que não foi programado, também conhecido como saída. Pelo menos o meu.
Conheço bem aquele sistema familiar de encontros marcados, onde o quê prevalece é a formalidade,  o formal, e somos só concordâncias, o emotivo na voz do mais velho pode até me fazer comprometer, mas só até onde me comprometi, aquilo que vier antes, ou depois, vai ser abatido no final. Por ser um péssimo negociante, quando dou, é só quando quero; os negociantes dão por dinheiro.
Te entrego uma bailarina russa você me devolve rock.
Parece que estamos em corpos diferentes, seu vagabundo, por certo não posaria ao lado do meu galgo.
Sua cidade não é a minha?
Mentira, eu sou cidadão daí bem antes de você.
Eu não quero nada.
Você não entende.
Eu não quero nada.
Inteiramente manutenção, sou o motorista da manutenção.