quarta-feira, 31 de agosto de 2011


Tchau Catalão!

- Posted using BlogPress from my iPad



terça-feira, 30 de agosto de 2011

Estamos em Catalão no Champion Hotel!





- Posted using BlogPress from my iPad

.A catedral serve luz em bandeja de prata

Se estamos mesmo na direção de uma coisa que "acabou"somos donos de almas mortas ou não qual vai ser a diferença a atualidade é comercial o que não acabou é comercial, e o comércio não me interessa. É isto que acabou: aquele que se interessa só por uma corrente. Me dá pelo menos uma corrente.
De titânico.
Quero ser o super do alemão.
Me leva pra Berlin, baby!?
Dez conto, da?
Vou escrever nos muros um poema pra ti tendo como pistola meu membro esgotando urina.
Já que to quente: veredas.
Ampliações curiosas.
Aqui está tão chato.
Eu não sou poeta.
Filósofo é a mãe.
Tu compra por 55 oito depois te dão 36: porra de conta maluca.
Não sou nada queridos.
Por não ser nada e saber disto posso ficar sem fazer nada enquanto sou nada sempre fui nada sou se quiserem fico com todo o nada enquanto dividem tudo meio a meio o nada meu o tudo de vocês  com tudo eu com nada assim podemos ir

.


Pobre ponto isolado na linha de cima não serve nem para ser o final, deixa de ser trouxa, ele está lendo entre linhas.
Mestres, só enquanto me interessa!
Aqui eu corso qualquer curso. 
Elementos de ligação: acendam mais um!
A imagem daquele futuro furta cor.
Madre silva.
Padre pinto.
O curandeiro zurrou o curador.
Se nós zurrássemos...
Aqueles que não leram ouviram estiveram juntos sentiram dividiram levaram adiante sem ver foram impregnados de alguma forma e contaminaram outros a coisa está rodando e nem sei o nome dela até no produto ela já é marca registrada.
Já foi.
Os meninos da Peugeot usam rapé.
O professor de História te chama de Sansei. 
A moça da biblioteca fala que você dilui.
Alguma química você deve ter.
Cão mova meu peão enquanto pedalo até ao banheiro vou mandar uma poesia pra ela um caso entre duas delas enquanto desenho no papel higiênico a flor seca do cerrado com luz no centro.
Volto sem a bicicleta.
Correndo.
Fotografei o próximo lance.



segunda-feira, 29 de agosto de 2011


Era uma vez um dragão malvado, e um lobisomem do bem, eles moravam juntos numa caverna, o lobisomem do bem fugiu por causa que ele estava sendo perseguido de noite, ele fugiu pra uma floresta encantada.
Quando o dragão malvado acordou e sentiu falta do lobisomem, ficou muito bravo, e disse: onde foi parar aquele lobisomem?
O dragão malvado seguiu as pegadas do lobisomem, quando o lobisomem sentiu o cheiro do dragão, escondeu atras de uma pedra, e o dragão malvado foi ate o lago assombrado e o lobisomem chegou atras do dragão empurrou ele para o barco assombrado e o barco começou a andar sozinho e o lobisomem deu um pulo no barco e começou a lutar com o dragão ....
Tudo isto aconteceu como num filme.
Ficou difícil para o dragão malvado ganhar do lobisomem do bem então ele caiu no lago assombrado uma rede fantasma o pegou e levou-0 para as profundezas das rochas de lava vulcânica e ele morreu e fim.


- Posted using BlogPress from my iPad




- Posted using BlogPress from my iPad

A santa negra deixou a cidade branca, e veloz...

Estamos movimentando a luz uma dobra qualquer descendo a esplanada de acordo com a leitura de cada blog li os seus comentários segui o seu rastro na rede a malha que te deixou entrar da pra sair na puxada continue nadando contra a maré o auto mar está perto depois também se quiser meter uma horizontal podes ver os banhistas mais de perto sei que olho de peixe afasta a cena por isto quase toques mas não toques pois podes levar um safanão se quiseres viver neste horizonte diagonais precisas treinar. Dá tempo ainda de treinar jacarés? Não custa nada tentar... O risco que virou seta. Na parede branca. Rumo diagonal para o alto. Não vai alcançar a quina de cima. A literatura nunca se importou com o seu destino. A correspondência de Carlos & Cabral ajuda a intender de impressão.
As confissões do Filósofo vai além de auto-biografia, assim como As Palavras de Sartre: idéias de seis letras.
Meu nome é todo feito de seis letras.de
Sou do século vinte.
Se carrego vinte letras no nome isto significa carregar o século vinte também.
Número logia é analogia.
Analógico é agulha entre os dedos.
Puxando linha.
Amarrando pano.
Verosimilhança é uma verdade entre rede peixe agulha linha e a web não quer declarar o pano.
Sim, aconteceu sim, mas e daí ? 
Pausas certas, nos momentos certos.
Estou te levando pra fora.
Vamos abandona-los um pouco.
Estamos falando sempre de outras coisas.
Rei, tem alguém aí dentro?
Acho que podemos entrar. 

domingo, 28 de agosto de 2011

Ainda em cena...

A província observa melhor.
Enquanto ele corre de rir.
Ele prova suas mentiras.
É melhor escolher um assunto.
O professor do cérebro fez um manual do amor.
Ele confirmou que ficamos cada vez melhores na medida em que exercitamos nossos pensamentos fora da cópia e ele estava precisando de ler os conceitos gregos anotado em folhas amarelas da USP as matizes do amor suas coordenadas geográficas históricas e só tem 30 anos que estamos usando o cérebro porra véu eu uso o meus por mais de 53 anos que merda de véi é este que quer vender amor através do cérebro mudei de canal o cara falando que temos que dar mais amor enquanto ele quer vender receitas de amor baratas o amor que ele teve pela cátedra por envelhecer internado amor livresco amor banana amor rabada amor uspiano amor bom papo amor cafezinho amor não tenho tempo agora estou dando um outro tipo de amor amor que quando falo querem falar também é assim você está falando e não esperam o final e estão sempre afetadas querendo distribuir o amor por igual com todos no salão véi se já distribuiu seu amor por todo o salão é de morrer experimenta depois me diz eu amo este salão a porra do padre que minha irmã foi no casamento sei lá de quem falava para a mulher ser submissa bom se este merda já tem uma sub- missa pra que ainda quer ser diácono tá ficando difícil quer aprender sem ouvir a página falar e aí vamos dar umas voltas somando tudo isto com uma festa de criança onde pra cada lado que você vira tem um cara de uniforme te oferecendo uma guloseima dentro de um padrão lugar de deixar presente lugar de rir com a gente lugar de cantar com a gente falei tanto não que hoje vou economizar alguns se vovó deixa o funcionário organizar a corrida do saco o neto não cai não chora não machuca e a festa mesmo padronizada teria atingido 100 por cento de riso agora estou me preparando para outra que vai rolar uma banda de 5 anos eles ensaiam desde 1 ano de idade tem 4 que estão ensaiando e já estão com 2 anos de aniversários semanais é uma banda da pesada são viciados em leite em pó vou curtir...     

sábado, 27 de agosto de 2011

Provas

A Santa Negra que escondi no museu.

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Escolham o espaço que dou um tempo

A literatura tem alguma coisa contra o fluxo do rio
 claro que não
 né bobo
 é bobo
 a levada vai ser está
 e
 o mar
 a lua tão sonda luz
 nas noites de deslocamentos
 faz sombras fantasmagóricas
 verbo de ligação do objeto direto
 lua sonda que liga a luz
 a lua já foi sonda ligada a luz
 é moleque
 tu já pensou uma sonda ligada da lua ao sol
 se
 tivesse um par
 eu faria um estilingue
 pegava a lua 
e acertava no sol
 dando de comer ao astro rei
 lua no estilingue
 pontaria feita
 na boca do sol
 sem quebrar os dentes
 ela desce suave pela garganta
 lhe faz bem
 teremos mais algumas eternidades agora com o gordinho alimentado
 barriguinha cheia
 ele adora quando chamo ele de gordinho
 o chamo implora por mais chamas independente da forma
 a ignorância quando recebe fala de programa pensa ser sábia 
jogo ignorância na sabedoria
 ela também precisa se alimentar
 ela só come ignorantes 
já tentei bolinha de rolimã 
devolveu um tiro com a mesma
 que passou raspando
 claro que foi de brincadeira
 ou ficaria sem a refeição do dia
 pois além da refeição do sol
 apago a lua
  alimento a sabedoria
 de noite não dá tempo
 saio pra ligar as estrelas
 aí quando volto
 tem lua tirando onda enquanto o sol está escondido
 as vezes tento numa cadente 
uma mensagem
 mas cai na terra
 provocando mais superstição
 eu sou uma só
 e qualquer dia me aborreço 


 mando o chefe embora
 deixo tudo claro
 e vou pra tim
 maia véi 
manda uma da vez então
 oi tô falando que descobri uma galáxia
 enquanto ligava uma estrela mais distante
 uma galáxia preta e branca 
o rei é amarelo
 a rainha é azul
 os bispos magentas
 cavalos verdes
 e torres marrons
 com súditos vermelhos 
vou passar um tempo lá
 só jogando noite & dia    

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Aprendí um outro jeito de desenhar

Sei que são criados dentro de regras fora do jogo tipo diz que concorda mas faz outra coisa na minha rua tinha muito agora deve ter mais ainda vem me ver pra ver 100 pra ver 1000 fui te ver só mano meu irmão Paulo Roberto Stoduto que só tem 4 causos no Google quanto a reparações de danos não ouve não há entre nós não existem danos mas um aprendizado até agora de saber que helicópteros mergulham já na década de sessenta eles mergulhavam sabíamos porque tínhamos os nossos feitos por nós e outros das lojas americanas mergulhamos inúmeras vezes e quebramos pingüins de louça ou fui eu que quebrei pois sempre fui eu quem fez as merdas Paulinho lembra quando negociou pra não te chamar mais de Paulinho fiquei ainda um bom tempo balançando falta de respeito com o irmão mais velho não é que sou o tardado um retardo de querer brincar mais sempre foi um bom parceiro e estes sentimentos não grudam como nosso visgo nem giram como nossas rolimãs o magrelo tenta manter a leveza agora aposentado deves imaginar quanto o ao ar de confessor ainda insiste e aquela sua grande bicicleta Phillips? tenho uma assim agora holandesa clássica preta também aro 28 freio contra pedal depenei mas guardei os acessórios do jeito que eu gosto só o necessário pra fugir não levando nada além do cálculo da velocidade certa da escapada de volta pra casa hora da surra hora do banho hora do acerto noturno hora de te incomodar  com luz acesa você que tinha trabalhado mais sabe o quê era mano eu não queria dormir a febre me queria acordado só fui entender o papel do sono quando comecei a treinar e você mais uma vez certo disse: ficar no sol deste jeito faz mal e eu cheio de exercito em cima de mim: faz bem. Você sabe como demoro pra entender.
Acho que vou te ver de novo.
Ver o golfinho mais inteligente, e os dois irmãos, ainda me manda de volta...   

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Uma Mandala pro Cena Contemporânea

Fiz minha cena contemporânea ontem escondi uma santa negra ontem no museu intervenção performance câmera ligada no meio da massa sem levar esbarrão na lente tia Rita dá licença mas vamos fazer um despacho bat macumba sou de terreiro desde pequenininho a mãe do Benigno Dona Zefinha morava quase em frente Sultão seu vira-lata viveu 19 anos para ir pro colégio precisava passar pelo crivo do guardião mesmo depois de velho um dia que o Paulo resolveu testar ainda deu o ar da sua guarda mamãe foi longe atrás de um terreiro chegamos a mudar de estado só pra ter o Pai de Santo ao lado a galera gostava dum tamborzinho é chato ter o imaginário completo do país não recomendo pra ninguém se der burrinha no lugar tu leva beliscão chico espirro dá licença peixoto o personagem do Carmelino peça mais uma cadeira branca para o Wladimir Carvalho e vamos filmar registro no tubo agora vamos contextualizar não sei o que vi apenas tomei uma coca cola cumprimentei os amigos filmei sem dar palpites posso dizer que poucos eram os que foram ver o show além do frenesi do encontro com outros ganhei duas camisinhas da mesma pessoa que nas duas vezes me deu uma atenção além da distribuição de preservativos o público do teatro e da dança aqueles que fazem os parentes destes e amigos e alguns curiosos assim como nas outras modalidades de que participo ciclismo corrida natação literatura fotografia desenho cinofilia xadrez ... e... e... e: será que o coletivo está mais chato?
Minha Mulher viu toda a peça Sua Incelença, Ricardo III & gostou, as partes que vi também gostei, bom
mas fui só levar a santa na lente pro tubo de ensaio e gostei de circular no meio de todos os do teatro é um bom público um bem público e nós somos o público vou em todo lugar meu irmão que tal esperar até segunda posso mudar de idéia ou cubro mais solto a cena e me arrependo do que disse enquanto vou fazer mais cena de quê mesmo gente estou fazendo cena de que hem respondam aí vem fazer o que aqui vai ler as cartas dos amigos dizem que quem tiver mais amigos entra no céu, vou ficar de fora.
Bom foi antes saída com a nega fomos ás comprar: mais lentes, mais livros, mais butinas, mais, mais, mais. Baby, mais.

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Ela também veio

Aqueles que pegam pilha e vão nos bolsos os de levar no jogo os que fazem questão da palavra da hora estes pegam no tranco comigo só na chave trouxe?dá a partida e vamos rodar ver o que sabes de cidade posso pintar aquele poste?vamos pro morro do urubu vou te mostrar o cabeça na sua mercearia ambulante lambe lambe para no ferro velho vou pegar uns vidros com o Sebastião e marcar a segunda revisão da bike se quiseres podemos esticar até o Descoberto ver se ainda lembram de Geraldo Muniz Diz e Seus Vira-latas-amparados pra que lado vamos pro Sobrado nós temos umas quadras lá!quer tocar pra onde véi quer ir pro Val?Brazlândia tem morango.se preferir vamos pra C I aprender comprar barato e dá de fazer taguá no dedão fico seguro no Taguá-Center em frente da loja de instrumentos musicais me estacione ali e deixa o resto comigo: depois do niver do rei vou dar um pinote
vai ganhar skate 
pode dar bici aos dez?
perguntem pelo passa-porte!
vou cobrir performance no museu hoje a santa negra Thelma me chamou
rasgar as entre quadras é uma boa pedida
Deixa eu rodar de bobeira?
Peguei pilha de construção.

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Mick esteve aqui!

Preso nas questões dos outros, até onde dá.
Ganhei de Vovó.
O acontecimento de ir na casa dos outros.
O que tem de gostoso lá?
A expectativa  de ganhar um pedaço de sonho.
.de fruta.
.de bolo.
.de café.
Pedaços de conversas dentro do meu entendimento.
A mesa forrada com desenhos feitos de linha & agulha, você marcou antes?
Sabe bordar direto, sem marcação?
Depois de lavado vai aparecer a marca?
Desenho & bordo& com marca & sem @
Desenhar é seguir caminho de linha de costura : enfiar várias vezes, levar agulhadas, precisar de bastidores, criticar linha agulha pano dedal precisar de luvas olho no pano !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
! costurei bolas?
? meus pontos maquinam Alemanha!
Robson, o café já esfriou, pode beber! Obrigado Vó-gusta!
Confessar a bobagem.
Hoje vi a bunda da Ângela!
3 aves voaram antes da pedrada, um pai me suspendeu pela camisa
Vamos nadar na lagoa?
BOI SENTADO
Mais quantos desvios somar
Sou desviador de confessor.
Mas, quem sabe este desgraçado faz alguém rir...
Merda de caminho do outro!
Quer
Mais
Deixa
?


domingo, 21 de agosto de 2011

Lato senso

Sensual censura crítica casual
Declaro todas as minhas línguas?
Meus pés de feijões rasteiros
Minhas pernas pistões...
O bloco quer quanto de movimento?
Circular manivelas com punhos bons
A "febre" Dalí de gala no salão
Salto estrofes
A caixa alta me protege
Quem vai servir a idéia do momento?
O móvel de cimento é chic?
Pirâmide é uma construção sustentável?
Sensualidade no suor da sede
Fome fashion
Diz curso do melhor circuito
Um olhar no fim
O poder brinca mal, ganha sempre...
Quem quer sua criança de volta?
Censura, a rede é um prato cheio
Qualquer combinação de palavras me joga na cama de PROUST?
Não perdi tempo, ou qualquer outro material, o tempo sólido do poder...
O poder arquiva tempo. Vestido só de combinação!


sábado, 20 de agosto de 2011

Linear











Da torre digital acerto um gato

Todos os elementais da natureza se desenham bem na frente da minha lente a máscara escorrendo em cima da mesa o miniaturo na noite de um lado do outro dia mostra verde fim de tarde com figuras discursivas na parte inferior do fotograma  oo aa ftgrm os mais etéreos os da luz dançam O cinza tem uma boca de noite com um ramo de dia entre os dentes patinhas de três unhas ajudam a dilacerar o escorrido no alto no meio cama de gato pra ti vê que distorcido dei nela enquanto ela insistia em me tornar místico caiu?ui desculpe-me aqui está muito chato acho que vou confiar na minha intuição, cuidem deste pano pra mim que vou dar um trato no meu corpo, sair pra perder tempo, marcar previsão de saque, assinar recibo & não receber dinheiro, a caixa querendo poupança, o técnico engodador de porcos, mais lavagem, está rolando grana de meia para os jogos para a copa aquele que estiver na vitrine quando os gringos chegarem vai sair nas caras revistas boas para estar ausente, não pisem no meu pé, já comprei minha 1000mm para tiros mais distantes textura da aglomeração vou capturar silhuetas de imaginação.





sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Lambe meu selo, e prega na testa

Meu cavaleiro da história com elmo marcando toca a barba a nuvem a neve congeladas no mesmo mármore diluindo todos em paisagem natural , tu sofres do mesmo mal daqueles que embotaram na certeza da morte?
Esta pergunta não é idiota não é que tá perguntando se quando você por acaso descobriu a morte dos fortes deprimistes em seriedade do personagem meu personagem está muito sério hoje deve ser dia de qualquer coisa, uma coisa deve lembrar, e colecionar lembranças.
A coisa que não lembra diz coisas, aí a coisa começa a descoisar, neguem !
Você. Neguem!
Pede, com sua mão cheia de sangue.
Umbigo vazado, denuncia mais nuvens...
Dá de sumir, e a escorrer sangue, no verde, da mata, da água, da luz, o céu senhor vira parede azul pastel, bem frio, em relação aos desenhos, que se desparamentam, disparam outros desenhos, e a voz toma conta do ambiente, pois voz & palavra procuram por suas imagens no cotidiano do colóquio, e não encontram.
Sendo mais claro: vou amassando técnicas, até dar ponto.
A História Das Coisas Eu Levo Pra Cama
Qual é a minha justificativa por não ter vivido melhor com mamãe?
Nenhuma. Eu estava dado. Na relação. Dado, e bêbado, muito antes de tomar o primeiro gole de cerveja, bêbado das conversas dos bêbados, muitos bêbados na família.  Bêbados desviam dos retos.
Não foi.
Não viu.
Não fez.
Não coisa.
Como vou fazer minha auto-fotografia As Palavras Dos  Outros?
Mor, os outros estão cheios de imagens!!!
Meu Filólogo hoje não veio.
O google está de férias.
Vamos fazer uma perguntinha pra ele?
Quem coisa mais, ganha mais coisas?

RESPOSTAS DO GOOGLE, PARA A ÚLTIMA PERGUNTA

ocê quis dizer: "Que coisa mais, ganha mais coisas? 

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Quer limitar minha experiência?

Voltei pro filme.
Colorido.
Agora posso ver a cidade.
Flores da seca.
FWN é um grande poeta?
Filósofo ensina papagaio falar.
Papa-galho fica no galho dos outros.
Quer fazer papinha da sua galhada?
5X27,50=5,50 : cada.
Me equaciono na bobina.
O que deu no quadro, diagonou a reta.
Se a parede fosse reta, o céu não entortava.
Um pequeno galho na parede branca sustenta apenas uma folha.
O canhão russo de 1000mm vai segurar um corpo japonês.                                                                      
                                                                                                                                            

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Estou gravitando nos meus muros, meus grafites não sujam a cidade

Embotar em desenhar
 é igual calar o corpo
 rir das regras dos outros
 por ter um modelo esplêndido
 inalcançável
 ouvir então
 o político da literatura
 pô 
etílico
 pó
 ético 
crítico cri cri histórico 
dos defensores 
do traço real  
jogaram uma pedra no meu banheiro
devolvi pelo mesmo buraco do vitrô basculante
vizinho da pedrinha
de bolinha
da caninha
comercial
contador
histórico
multa
pago dobrado
jogo f64
cada casa do tabuleiro fica sólida, só enquanto passo
quer jogar de cá?
Eu jogo daí!!!
Vamos mudar de lado?
Quer jogar com as pretas?
Assim bem retardado em vez de sentir a arte quer entender o texto com seu jeito de manipular entendimentos.
como entendi as suas predileções trapaceiras?
Você está com a maioria?
Não faço questão nem de mim.
A violência está no não poder dizer aquilo que realmente quer.
Um sapato 
uma bicicleta
um carro
um avião
um barco
uma nave espacial
você nunca morreu
não tenha medo de errar
seus sentimentos não são errados
sua linguagem corporal não fala mal
Diga por todos os lados
Por quantos lados seu corpo fala?
Qual o tempo que você tem para seus desentendimentos?
Se me derem uma vírgula, devolvo reticências...
Engano está até no desengano.
Estamos sempre enganados & enganando.
O tempo que o meu botão não pega.
A descarga dá retorno...

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Poste 2600: sentou nua, e estendeu suas mãos, me pedindo mais esmalte...

...a luz que vem lá de cima quer derreter o meu filme, estou quieto, abro o registro, mariposas entram.
A voz da galeria captada por microfone escondido dentro da caixa preta não me tira do poste 2600.
Somos interessantes relatando coisinhas dos corredores?
Quem me pegou dormindo no antigo Nereu Ramos?
Homens de cinqüenta anos não deveriam repetir assuntos.
Tudo bem, vamos por no bafo!
O jardineiro quer entrar.
Quem guardou suas figurinhas record`s de bafos?
Os corredores me seguiram nus por mais de trinta anos.
Sou amigo de todos, até daqueles que por ventura, uma rusga tenha ocorrido...
Tenho facilidade de ouvir aquilo que calam.
Tenho B & asa 100, só quero a lua, vou dar uma diagonal nos postes.
No escuro do Auditório minha palestra podia fechar os olhos.
Nossas coceiras, são coçadas por outros?
Tenho 360 figurinhas pra bater, vamos começar com quantas?
Boa altura, magro, perto dos setenta, queimado de sol, boné azul, blusa, calça de tergal, vem do nordeste,   entra lá embaixo, vai roçar, vai podar, e falar de vida difícil...
Ainda tenho um Gilmar todo de cinza.
Nu Corredor Atrás Dos Bancos.
O Junior me beija.
Esta falação deixa qualquer um doido.
Estico os postes, e calculo a luz da lua.
O uivo do dachshund do vizinho é idiota.

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Mando uma Mandala pro Roça Cult

Roça Cult recomendo pergunte ao google se não é o melhor cardápio acompanhado de arte-bate-papo -gostoso vou voltar em setembro e expor 8 & 9 de outubro.
Desenhamos, conversamos, ouvimos boa música, comemos bem, nenhuma baixaria, a lua nasceu, vimos uma exposição maravilhosa do Cheff Murilo Hortêncio, http://murillohortencio.blogspot.com.nenhum ranço comercial, mais interessante que as pousadas em casas de famílias européias que vi na TV5.
A agro floresta
O agro cerrado
A educação
O respeito
A vida
O ser
Estavam todos presentes: Arte-Encontro.
Na próxima lua, vamos fotografar lá?
The best of the doors!
Batemos na madeira, a América Latina tocou violão & sanfona, recolhemos a cria que perdeu sua mãe pra raposa, suco de muricí gelado, falamos de belo horizonte, sem pegar a linha, sem pote de ouro ...
Acho que fui o único chato presente, fiquei empolgado e falei demais, mas desde já autorizo os meninos a me interromperem na próxima vez, fiquem à vontade! : na moda da vontade!
Riders on the storm!
Escrevo a marcação do pulso na intensidade desejada para o trem de prova.
A galeria pode ser aqui lá ou em qualquer lugar.
A nossa casa pode sim ser a casa do outro com muita educação.
A educação esteve presente.
Será o principio número 1 da arte-encontro?
THE END



domingo, 14 de agosto de 2011

Posso derramar o esmalte?

Recebo enquanto desenho.
Estou recebendo desenhando.
Enquanto recebo, desenho.
Desenho, enquanto recebo.
Recebo desenhando.
Recebendo & Desenhando.
Desenhando & Recebendo.
Vem corrigir o meu desenho.
Ao receber, estou desenhando.
Recibo na mão, desenho dado.
Depois do trator arrombar a lateral estaremos numa auto pista.
Desenho recibo.
É Gratis.
Transformadores estabilizadores frequencímetros
 coisa cinza de poste
 o feio cheio de fios da cidade
 o joão de barro mete uma casa
 contando como que tem que ser as casas
 cada um terá direito de construir a sua
 a primeira tarefa do novo
 é construir sua própria casa de barro
 seu lugar de abrigo durante a guerra do tempo
uma casa de barro pra cada um, sem utensílios domésticos, e poder voar por aí: no dedão.
Será lei.
Que quer este retardado?
Nada.
Não sei cantar.
Nunca cantei ninguém.
Eu não canto as pessoas.
Posso dançar.
A coluna reclama menos.
Deixa dançar.

sábado, 13 de agosto de 2011

Fui a Luisiana

Minha vó não vestiu calça comprida.
Tenho um espaço de exposição.
Vou colocar o futuro no pretérito.
Eles não estão compreendendo.
Quando compreendo eles, não me compreendem.
Os céus dos cabelos dela sustentam a lua.
Auto retrato nas nuvens.
Deixa eu dar uma volta no seu peixe?
A televisão roubou a História.
O rei de sol, a rainha e filhas, de sistema?
Dançando com o peixe azul fora da gravidade. 
Sentada nua no planeta cinco estrelas, vermelha de vergonha, equilibrava-se, atenta, para não ser alvo de uma estrela cadente.
A palhaça, só de capa de sol, levitava, depois de soltar as linhas dos balões, e as linhas da máscara.
 A menina nua que está pegando no monte da cultura brasileira, é minha filha.
  Imagem precisa de orifício.
As mãos chinesas dançam melhores sobre as teclas do piano?