terça-feira, 30 de novembro de 2010

Abrí uma águia no capacete


Desencanar me foi pedido.

Não foi possível processar sua solicitação. Tente novamente. Está escrito ERRO. Em vermelho. E no amarelo o não.

Devo ter tocado na tecla entre com a seta no editar em Htm.

Eu poderia ter pedido que me lessem com muito cuidado para que pudessem desfrutar mais do que está sendo contado senta ou deita na posição mais confortável e pense será que desencanar me foi pedido quer dizer se queres que me desencanes é por cano ser alugado a outro esta solicitação seu tio Tatí todo o meu poder te contar te conto que um dia eu gostei de estar por saber da necessidade de estar as pessoas me queriam estando mas sei que sou de continuar um contínuo do ar continuo de qualquer lugar um dia continuamos o romance de qualquer um o giro a saída o pedalar o rodar treinar o tambor da tribo pede mais ritmo uma batida de fazer sangue correr mais rápido pra limpar nos separamos das frases no saber aqui as frases não são de graça cada erro uma tentativa de não dizer mas você sabe venha pro texto ele acaba de te convidar para outros toques estoques não acredite no bial pois apesar dele ser um grande amigo ele está sem tempo pro cinema está escrevendo e dirigindo ainda faz umas pontas de actor e ainda ganha bem e outras cosidas mais que permite explicação da palavra mecanizada por grupos de amigos que brincam de ser grupos de familiares artísticos trupe circense trupe filosófica trupe literária e trupe das trupes os nossos queridinhos vamos deixar de lado quando entrar aqui neste colóquio fique fora da colónia vou te dar um exemplo leia BR INFINITA brincando não com o autor brinque de ler por prazer de ler vou escrever bem escrito você tem que rir pois quem diz que vai escrever bem escrito já está te dizendo que não vai escrever bem escrito ou que só será bem escrito se você ajudar pegar na mão e unir suas vias das palmas com os meus cruzamentos de pedigree contacto o avião vai levantar e partimos Estou falando com você e no entanto não nos conhecemos nem vamos sentar sem saber a hora de ir embora e o romance precisa errar cenários errar profissões errar sentimentos errar época errar estilo o erro do romance é que você não entrou sentou e relaxou liga as orelhas abras bem os olhos sinta a tocada. Ela está com pele, ou sem carnagem?

karakter


Verdana, a foca virou cachorra. Ócio e cio tem um relógio japonês, ama lá al al.
Quando como carniça amanheço vomitando.
O planador alemão de fios DuPont ainda vai crescer mais as asas. Ler o instante Joyce, ou ler o instante Mishima? As grandes verdades estão de molho no colóquio. A era que cresce no meu muro, quer ser podada com qual espaço, de que tempo? Eu não blogo, tenho diário de Alice, qual vai ser o próximo susto de abrir mais os olhos(âmbar)? Quando sambo tem twist rali gali rock capoeira e uma quebrada de outras danças inesperadas. O passo tem giro de 360 sem ponto morto: souplesse;limberness... Um grampo no fio de outro para fugir do lugar comum, seria um gesto de piada de português?
Quando exclamação: é reclamação dos outros.

Uma ponte de exclamação?






segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Façam os seus desenhos na parede pública


Quantas vezes escreveram a palavra acreditando que iriam defini-la?

Dentro desta frase tem uma lembrança que nunca lembrarei!

Minha madrinha quando braba mandava: cheira aqui ó, no meu cu!

Com a caneta deram um tiro na laje e saíram correndo melados?

Meus papéis tramitam uma aposentodoria da palavra?

Quando pergunto avião passa tam gol passaredo...

Os homens sérios estão resolvendo com gatilhos!

Fica na frente dos tiros com seu microfone, e me empresta o carro.

Diria do morro se estivesse lá na tentativa entrevista?

Pois no molho das suas palavras a inquietação denúncia!

Se estes telhados continuassem calados gataríamos um S do miau?

Somos nós que fazemos as máscaras que seguram suas feiras!

Quando eu entrar com a mão na coisa nomeio-a.

Antes de sair frase ela percorre todo o meu corpo quente.

É deselegante escrever fora do ritmo da conversa?

Com raquete Wilson devolvo a bolinha para o outro lado do mundo.

Quantas páginas de bolinhas você já encheu?


domingo, 28 de novembro de 2010

Muito antes de Mountain Bike


Avatar tem um suporte que poderia sustentar mais roteiro de roteiro original mais nas imagens da floresta o desenho me agrada sem o rabo as gírias precisavam ser outras uma linguagem mais rápida e deixar as imagens falar não mostrá-las em aura-performance , mas algo me diz que este filme tem direcção na sustentabilidade e mesmo em guerra teremos a cor agem de fazer o que chamam de justiça ou sermos religiosos com a mamãe terra é uma gracinha o fedorento tirando algo do cu e são azuis não gostei dos cães faria galgos perfeitos com a velocidade de visão dos Whippets desviando em alta velocidade e a boca do Borzoi estrangulando os lobos o olhar Sloughi "Olhos - grandes, escuros, bem inseridos nas órbitas, por vezes cobertos por uma pálpebra com uma leve obliquidade. Expressão suave, um pouco triste, e olhar nostálgico. Com a pelagem clara, os olhos podem ser de cor âmbar. A rima das pálpebras são bem pigmentadas."(www.galgos.com.br) o parêntese é para as aspas assim iria escolhendo o melhor dos melhores cada um desenha com o que tem e monta em Da Vinci como montam em qualquer Rei Leonardo V (quinto) o suporte é fantástico acho que vou contar a minha histórinha nele. Chi...faltou bicicleta. E, tem cadeiras de rodas mais futurísticas que aquela, é só olhar na rede no google imagens: use a imaginação semântica.

sábado, 27 de novembro de 2010

Quem segue diário adia o seu Blog.


Você escreve macio em forma minhas conexões não tem pressa no ramificar éramos amigos dos alemães antes de ir lá caímos de bêbados deve ser difícil mesmo falar vai montar legião urbana em santa cataria o religioso de merda a líbia dizia que eu tenho cara de padre com as mãos estendidas sei que vocês não gostam de predicados é que o substantivo foi dar uma volta na história aí você acabou com a minha carreira os pássaros estão no Abre-asas-da-mata e não brincam de oriente ou se oriente rapaz ontem eu estava conversando com o Djalma Corrêa e lhe disse que quase gastei a faixa Tudo Madeira mostrando para todos lá fora ou aqui dentro mas mostrando Tudo Madeira sua resposta foi que aquilo era um Playback ele tocando em cima dele mesmo foram suas palavras que me chegaram e mandei um me remete em outra dimensão ele está morando no rio as pessoas falavam com ele enquanto improvisavam um cenário para um documentá rio mais um de uma hora fiz duas fotos com o celular do Eulélio depois na parte dos artistas eu posto vai ter esta parte também vou deixar o livro executado antes de levar pro Samuel mas o Djalma Corrêa está no tubo está em todas me disse que viaja muito foi bom encontrá-lo vou ouvir Tudo Madeira assim que Mister Wilson acordar não me preocupa mais os que vem ou que vão os que me levarão os que me deixarão é uma só reunião de filhos da puta terra e me querem no mingau.

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Easy End-seal


Não vai ficar falando de todo mundo com todo mundo não estão afim de ouvir estrias eles viram uma e estão atrás desta uns até pegam outros se divertem enquanto correm e velhos com longos arquivos da velha história corre o risco de falar sozinho mas um sozinho para Brasil 219


Estados Unidos 17


Portugal 16


Alemanha 12


Holanda 10


França 4


Dinamarca 2


Equador 2


Geórgia 1


este mês que foi um mês baixo devido mudanças de na possibilidade de sair mais fazer mais e falar menos de uma coisa vossas majestades podem estar certas meu próximo livro vai ser um texto técnico e tudo indica que este será o título TÉCNICO mas para isto preciso me afastar do lerão lerão vem cá que eu também quero de vocês que me cansam com suas aproximações programadas suas agendas cumpridas extensas jornadas de bar papo de bar na politica papo de bar na segurança papo de bar na aventura papo de bar no esporte papo de bar na cultura papo de bar em tudo que conseguem cuspir algo que já foi cuspido repetem o que ouviram na maior cara de pau dá licença zé vai passar outro tom outro chico outra canção de choromingos vamos dizer que fulano fez melhor fulano de fora ou de dentro vamos contar o quanto nos divertíamos enquanto escapávamos.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Need Assistance?


O tropa de elite está bem divulgado.


A tropa de elite é partidária.


O topo da cadeia está vazio.


A tampa da câmara é de rosca.


O tempo do verbo partiu.


A torta de chocolate foi pra Áustria.


O túnel do Gentileza era viaduto?


A tropa ainda não comeu feijão hoje.


A televisão está ajudando o cinema.


Sem mais modelos vamos brincar de bang-bang.


Todos que aparecerem na telinha vão receber cache.


Vou na cidade comprar arsênico.


Gato no micro ondas tá saindo a dez reais o pf.


Convoquem o Al Pacino & o Robert De Niro!


Se voar em mim eu meto a mão.

Quem nasceu de um destes sabe que é assim mesmo

Nós Ciclistas olhamos assim e temos a cabeça oca atravessada por raio de luz somos tatuagens do asfalto torcemos mo viola pra ver o filme andar mais rápido que os nossos obturadores nossos bancos são os menores os mais leves e servem como leme segunda empunha dura para catapultar o coroão sem corrente na cara do assaltante recebe bem o ventre alongando as costas limite para o corpo deitado no tubo paralelo ao solo e comemos banana com casca e tudo evitando um prego de fome podemos esquecer a dor por uma chegada ante visão escapamos dos cães com jactos esguichados da caramanhola ou com a ponta do piston descendo directo do pedal na cara do vira lata ou sprint embalado algo desta máscara está nas máscaras dos ciclistas algo de dentro algo recto.

Tiro de letra trocado não tem troco?




Prezados colegas,


O Departamento de Polícia Legislativa informa que Robson está disponibilizando 4(quatro)vagas para o Curso de Tiro do Método Giro de aro 29. Essas vagas serão preferencialmente para os agentes que ainda não participaram do Método Giro de aro 29. O curso será na Escapada Nacional por Porta Federal, com data a confirmar. A aula inaugural será amanhã no Museu Nacional de Brasília às 8h.

Os interessados deverão responder a este post com urgência, ainda hoje.




A Diretor, ria!

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Respondo ao Núcleo de qualquer bomba


Comic Sans MS, aquele que pede ajuda tem
e depois coloca verme na sua vitamina
um jato de urina para este
outros virão e encontrarão o telhado de vidro
com o lance de olhos de jacaré
as linhas por todas as teias
sem saber onde está a aranha
que sem fome
deixa desembaraçar mais um fio
afastando lentamente do seu campo de força
aquele que queria estar perdido no espaço
mesmo depois do cachê do Dr. Smith
ser cobrado por este com toda a potência da palavra
uma pergunta
sua palavra me leva onde te move
por acaso tens aí entre suas ogivas
o elétron distraído pra dançar comigo?

Vamos subir?


É ironia
uma tesourinha no meu fio
onde coloco os dois pontos do Rosa? ensanguentei camisas brancas
o ar do cerrado me fez bem na longa distância
os médicos tem analogias nas suas estórias
antes das receitas misturei de tudo não é bom não é ruim
se tem vozes no Ulisses
ouço-as
ouço de novo antes da vertigem
depois dela pra não repetir
quer brincar de narrar
com quantos clichês se faz um clássico?
esta porra de interrogação parece a sombra do lampadinha
obrigado compadre lampião por fotografa la
e o professor pardal saiu com gepeto em busca do gato Félix
e o meu corpo pedindo mais velocidade nas veias
segurar um 160 por uma hora
uma dúzia de horizontes no meu studium
dizer que não quero ofender ninguém
nem tirei o porte de armas
tão pouco estou usando a de escritor
nem a de fotografo
a de artista é dada por qualquer um que nem desconfia o que é arte.
Isto é ironia?

terça-feira, 23 de novembro de 2010

... na cabeça é bom, quando para!


As pancadas do tambor pede tribo escritura o que bate cuida de vida elementos de uma outra ponta das esferas que pula do centro para outra extremidade superficial ar que tipo é este despregando palavras o avião passou longe uma cerra diz concreto entre dentes rombudos treeee meninos brincam com qualquer coisa ensaiam seus sólidos liquidificam palavras desalinham cobertores agora foi o periquito dando fama outro avião e estamos na carreirinha da frase educando os pulmões só assim podem soprar a maior flauta feita só pra mim em música das esferas as feras com suas presas e os de outros nutrientes com sua bio diversidade deixei o rapé lá em baixo cheirei Vick achei o rapé vou abrir vou cheirar e deixar Bizé no dentista dar meu rolé de hoje na cidade o comercial da capital enquanto as pastas dos projectos engordam outros porcos de outras paradas.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Vouziers


Um feito com modelo diferente mais resolvido os orifícios e a saúde da pele decisão no deitar ao pedalar moto-contínuo não ponto de encontro sim o encontro não marcado não romance sim o que fica porque fica o que embrutece porque embrutece perguntas e respostas do mesmo teste vida Jeannie Longo tenho a versão Brasileira ao meu lado em longevidade ainda não estudada que o doutor incluiria se fosse a mulher dele delongas técnicas deste país e dos outros melhores em menor medida mas ainda assim delongas técnicas qual é o meu modelo seu técnico filho de uma boa puta qual é o meu preconceito as raças e as famílias de raças da mesma família eu não discordo de você será que poderíamos sentar e falar tudo aquilo que realmente temos em imagens mostrar as figurinhas de voz grossa e fina os decalques de estampar perder tempo com quem não vai lhe dar promoção o pelotão que chega a Paris bebe em taça cristal a espumante bebida de quem atravessa mares, O pelotão bebeu Robic?

domingo, 21 de novembro de 2010

Pena que se trata apenas de um conceito.


A palavra distraída não ia com qualquer um
no seu quarto estava montada a biblioteca
seus clássicos capas duras
sua futura arrumação na profundidade de seus olhos azuis
plâncton pra alimentar Baleias Brancas
e um jogo de búzios na íris esquerda
marcava o compasso do que vai rolar
o que eu preciso fazer para montar a distraída
que no parlar manda de rua de armas de gangue ddd y
espanhola umas castanholas nada castas
nada de costas
nado de craw
sem o som é claro
pois tim fez tim tim no Rio
e aqui nesta espelunca Gim tá caro
vamos fazer uma caipirinha pró cê ascender
depois te transporto pro colo de madame satã
e ninguém vai te chamar de Gení
oh minha Lady Jane
imagens de corpos que não precisam do arquivo para torneá-los
moldar na estrada de 1903 até aqui
com primitivismo modernismo clássico surrealismo...
todas as escolas do saber sentar
a palavra hoje
dona Câmara,
é :
Tour de France.

sábado, 20 de novembro de 2010

Desenho com imagens do tubo de Eddy Merckx: Meet The Cannibal,


Ouço os cachorros grilados com outros cachorros uma cachorrada no espaço me agrada não vou pedir nem disco voador chupei uma laranja mecânica sua carne moída para a sua almôndega está no muro é só pegar um tijolo querem me enquadrar na maria da penha deixei o sesc de fotografia só volto ao museu só muros que nós construimos tem frames em movimento enquanto muro deixa ver filtro azul 7 e pequenininhos transparentes automáticos deixam passar nissan livina preta carregada de ciclistas e bicicletas a fundição de todas as nações todas as avenidas nossos desertos particulares deslizar com tripas negras no asfalto um mantra Chi em todos os sentidos da palavra Chi em todas as línguas Ado foi um bom goleiro que o leão comeu e a meninada desceu pro rio...

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

De bicicleta você vê cada coisa!


As vitórias mutantes de sempre.

Os cães dos franceses em belleville.

As madames neuróticas de hoje.

Os modelos de planadores alemães.


Vitória tem os olhos azuis.

O cão do ciclista engordou.

Madame atrapalha o trânsito.

Aviões sem motores são mais esbeltos.


Os sapos querem um câmbio automático.

As magrelas despidas são de pista.

Os senhores de engenho fazem pinga.

As pipas mandadas pelo meu cortante eram aparadas.


Sapos não usam embreagens.

A magrela dá pedal.

Senhores inebriam.

O quadrado no Rio é pipa.


As frases descartam papeis.

Os frades fizeram fradinho.

As cadeiras ficaram de pé.

Os camelos deserdaram o deserto.


Oração insubordinada.

Frade grávido.

Cadeira obediente.

Camelo justo.


Os defeitos são alheios.

As asas longas pairam mais.

Os leques abanam ares condicionados.

As palmas sem calos bailam com os pés.


Defeito vizinho.

Asa de gaioleta.

Leque português.

Palma bailarina.

Você está com o cartaz?




Ele nunca pensou que o seu desenho fosse fotografado de dentro do tubo deixando bolinhas circularem no seu joelho. Em 1903 já faziam cortes de pé jogavam fora da moldura circular a quebra o fora da bicicleta leve que aqueles que tem intimidade com elas não gostam delas por cima nem de lado mas montados sentindo a resposta chiada do asfalto do preto magma que vem do fundo da mamãe terra emrrabada por gucci no quintal da comandante italiana visto por luxemburgo bélgica frança espanha alemanha e o tempo de espera depois do engate pois foda de cão não é vai e volta pelo mesmo percurso sem rumo o sangue joga pilha e liga direto por uma hora o Santana falou que antes dele tocar sua guitarra ele manda ligar um daqueles que precisam de aspirador de pó pra acender ascender com a boca não cola quando ligado o charu fica com brasa de olho de jacaré é um menino que está pensando antes de pegar no sono do que vai brincar amanhã a bicicleta quer voar das suas mãos não colem cartazes indiretos nos murais cinzas do poder é proibido colar cartazes que fingem morte que mente corte que administrem versos sem 33 anos no papel: to fora!

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Displays


Fios por cima

Fios por baixo

Ainda estamos na paisagem

Imagens do passado

Imagens futuras

Queremos o presente amanhã

Um pássaro preto no fio

Uma coleira na romã

Tizil saltou um metro

Estamos acostumados com o que vamos ler

Gostamos de ler nossas certezas

Nosso belo jogo de cintura

Os anjos já foram nuvens?

Este avião que passa evita aventura?

Com os meus propulsores vou a lua?

Clock, a seta vermelha quer pegar o próprio rabo

Original, com um T levantando o horizonte

7 litros de desfigurações com 2 anos de garantia

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

You Tube, ou I tube?

Você vê outro ciclista vindo na direcção contrária à

prova? Ele está na posição de Obree, sua silhueta tem cabeça de águia-cão-porco-urso-cobra-e...outras cabeças de outras árvores reflectidas em cones de pm am racha duras asfálticas trazem rodas diluídas no céu estourado. Não tem ninguém vendo ele bater o Record mundial da Hora.
As suas armações superam este quadro? Ele embola o coroão no vento a favor, e não ouve gritos, mas apenas o chiado dos pneus na pista de ébano.
Negro texto de barriga de gato de Luís Melodia?
Uma imagem falada precisa ser outra coisa que não o seu duplo. Uma imagem calada reflecte o silêncio cinza. Uma idolatria da imagem já idolatrou o texto?
Na direcção contrária está a câmara, eu vou no rumo da câmera: pedalo pra mim.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Sem linha de chegada

Este Brame é dos 100km, talvez o ciclista queira entrar no toldo branco rumo ao palácio do ministério das relações exteriores, porém com asa 125 um oito de abertura e o obturador fechando em um segundo dividido por 1600, ele está congelado com a possibilidade de tantas línguas digitais, e perde o relacionamento analógico com a família humana, não estacione na técnica, vá ao aparelho, e esgote todas as suas funções! Meu tubo você no tubo todas as chapas são HyperText Transfer Protocol que quer o carimbo do organismo de todas as noções.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Um dia depois


Morrer em prova se cada prova segundo é o primeiro perdedor terceiro vocês terão um clichê de preenchimento as vírgulas que faltarão aqui dou por estes que escreverão por um pequeno momento hoje não vou deixar a prosa escapar na rodinha dos engraçadinhos que quando apertados saem com os lugares-comuns próprio da forma do gêNero da espécie de modus que quando morre um ciclista o respeito é tanto o: "ciclista não vai em enterro de ciclista" da morte do meu pai, quanto o: "vão interromper a prova" da morte ontem do Alex, E se perguntassem: quem deu os comprimidos vermelhos? Porque o preto foi trocado pelo azul? O verde são folhas de Guaco, é bom para os pulmões , E o tronco é cedro vermelho, gosto mais de cedro do que de mogno, o caibo em primeiro plano é Angelim vermelho, com escorridos de verde esmalte sintético. O ciclismo do lugar sempre careceu de provas, ele queria provas assim como todos que treinam querem, continuem a corrida por ele...ou qualquer outra ladainha pós morte.


Não existe dignidade na morte.


Quem vai querer que alguém morra por ele?


EU FIZ AS IMAGENS DA AUSÊNCIA & DA VERTIGEM... e volto ao azul:

domingo, 14 de novembro de 2010

100km do Alex, por Robson:



































































Explico a técnica da segunda série no frame 3


A técnica é escolher no filme outro ângulo, e congelar um frame seu, não o que o câmera da prova queria mostrar. Com o filme em movimento, ou enquanto engasga com com o círculo de bolas no meio, com luz do dia, com luz artificial, no escuro com a tela por pintar. Buscar o seu frame passado, passando a perna no arquivo, e dando outro arquivo ainda não catalogado. Cata logo o seu frame da sua história, pois daqui pra diante todos vão catar narrativas outras, das outras narrativas: é possível dizer do que disseram aquilo que não disseram, pois não disseram da saudade de não estar presente no arquivo, a saudade de não ter nascido, a saudade de ser Deus, saudade de outras vidas. Soledade de Minas, pontes arrebitadas por outros gozos, de outros corpos, o giro de bolinhas de esperas: dou dois pontos de palavras reticentes das repetições das bobinas dos outros, e mostro o ciclismo azul das minhas tripas.

sábado, 13 de novembro de 2010

Ainda estou bom das pernas


A estrada move os meus pneus impulsiona o meu ritmo e quando imã na subida um pelotão acaba de entrar no meu quintal não pra socorrer na montanha mas pro puro prazer de conversar enquanto trepamos nossas falas de relacionamentos ciclísticos nossas trocas de técnicas e estratégias do não fazer somos de mostrar uma coisa e fazer outra mostramos um rosto cansado antes de sairmos de vez quando vírgula mostramos gentilezas em muros do rio da serpente da estrada abaixo sem titubear ainda tenho mais da metade de um pimentel antes de descer ouço o japonês mentir rindo daqui dou mais uma puxada volto lado a lado e pergunto que pelotão é este no meu gramado?

1, da segunda série


sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Fim da primeira série


A Madame Câmara me mostrou os de lá os de cá e os do leito do rio as margens e as magentas as matrizes e suas matizes e através dela clics se deu mas hoje vai ser a última figurinha posta para este livro espero ter saído do cartão postal a partir de amanhã dou início ao ciclismo a fita amarela enrolada no guião do meu pai 60? em 58 comecei a escrever esta merda e vou narrar este azul até o fim ele está narrado em percursos não escolhidos mais necessários para esta escritura que passo aos novos ocupantes da terra serpentina confetes lança perfumes língua de sogra apito vestido de índio na matine do clube da nitro química em são miguel paulista levantando talco no vermelhão encerado estes frames que colhi de 1913 até então são retirados do tubo de ensaio com o meu pedalar desde o saco do meu pai nenhum modismo nenhuma predilecção por modalidade ou transporte utilitário mas sim a máquina do tempo contra o relógio na estrada na pista subindo descendo nas curvas no passo esta intimidade em sair e virar quantos quilómetros quiser girar a manivela até ficar azul no branco curtas y semiótico nesta BR INFINITA.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Propriedades


Estou escrevendo na mesa transparente, é por isto que não entendem, elástico branco de por na testa. Ainda querendo ser índio? Não dá mais as caras? Este livro que escreves enquanto lê, não será lido para mais ninguém...
E o código:
http://1.bp.blogspot.com/_z43A-_lxMGE/TNmb7mrDhdI/AAAAAAAAAeg/iBF5T5tapW4/s1600/Fotos+tel+034.jpg mostra mais do garoto pidão que o concerto que a sky que o ti...

Nossas palavras de supostas receitas estas letras de formar movimentos assim também não são nossas amigas se não apareceriam nos nossos tecidos pra dizer como é que vai ficar estes conceitos arquivados no cemitério nossas palavras de adaptação ao partido ao amor ao sentido gambiarras das nossas ligações diretas sempre por cima do capô me leva a rodoviária onde escolherei o primeiro ônibus para direcção de outro no sentido contrário ao imaginado por partida assim sem acaso vou provocar a aproximação do miolo do bólido até a primeira parada onde pedirei a bebida certa o santo grau da cascavel pronto estou pra enviar o Rei ao reino dos céus.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Lembra dos objetos das lavagens?


A História da puta que te pariu. As divisões de silêncios na paisagem. O instante determinado. Os planos de voos. Ele fazia com formas alheias os moldes para a sua bunda. Sentar é uma parte feminina agora eu não sou louco de pontuar se não ele vai pensar que eu estou sentando em qualquer coisa sei lá eles são dados de pensar pensam que dados é pensar e tem medo de jogá-los e dar 1 não sabem que se cair de ponta dá tudo 21-arte de um só lance de dados o nome do meu cão é Lance. Porque emendou? Vi o canto do goleiro! O câncer está ligando pra associar. Quantos pássaros numa mata ao alcance dos seus ouvidos você já ouviu cantar de uma vez só? Por quanto tempo você andou dentro de uma mata fechada sem ver o sol? Você é um estudioso do cu? Não sou homem de negócios, mas sei fazer o único lance pra não levar mate. A História está ficando intrigante? Que tigre quer usar a do Bengala, cheirar do seu rapé rir das suas piadas ser mito dos seus mintos? No espelho minha bunda muda todos os dias depois dos treinos perde para as minhas coxas é uma bunda de mais de meio século e não riam pois se vocês não tem relações com a bunda de vocês como querem ter com a minha? Tanto, por nada: era assim que eu disse que iria começar este tecido, que desfiou-se.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

30


Desta nossa Não-História ainda vamos contar

Dachshund uiva dia e noite preso no fundo antes fosse um amortecedor ou uma salsicha do lado de cá trapistas ajudam a rasgar os trapos dos dias meu gatão precisa aquecer pra pegar no tranco a mãe da paciência encontrou uma filha e a merda que me invade não para de boiar a crítica é um desfazer constante quando é feita quando não é uma ladainha o valor da nobreza do Leite Derramado (estou na pg.131,)é claro como esta luz que entra dura pelas três janelas frontais ao texto quebrada por porta de saída e banheiro quando aberto atrás vale o Jabutí porque li vou ler os Jabutís e preparar um laço no quintal da literatura brasileira quem sabe assim pego o sonho de consumo do outro a língua de Eulália Emília no país da História y semiótico
... mas quando terminar ainda hoje escrevo o quanto é bom ler em voz alta o Leite Derramado que passo a língua antes do meu gatão.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

29


28


Papa-mumas:

Nabuco foi no mato caçar borboleta encontrou a Marieta com a mão na caneta que me melo só de pensar que um dia teria de escrever isto pois nunca conheci o tal do Nabuco nem a história que sei que esta não existe borboletas pelo pedido de contá-la quanto a Marieta vou ser severo ela devolve sim a chave a-Histórica exposta de ocasião nas festas de colheitas do interior da lavoura arcaica se está melado ou vermelho é problema de damista que tem seu grupo de jogo de praça nas manhãs seguintes e de quebra me pediu para contá-la O Jabutí saiu antes ou depois das eleições ainda estou aceitando pedidos antes do recesso me liguem nas suas tomadas!

domingo, 7 de novembro de 2010

Falso Acróstico


Fere filho de puta, joga a vírgula em qualquer lixeira.
A autoridade de quem viajou mais que eu vai ao volante.
Minha bagagem entreguei nas costas das formigas de garras longas.
A estrada é qualquer risco de menino no mapa.

Cama de gato em pernalonga só derruba outro perna longa.
A via que entrei tem cadeias de veias sendo criadas ainda.
Mantenha distância que o volante é solto.
A moral dos outros encontra-se em lojas de conveniências.

Drama bom é aquele feito de erros e acertos, gargalhadas interiores.
A dama sabe que a entrega é pelo rei.
Minhas torres esticam extremidades.
A casa branca é um direito de cada um.

Xadrez desentorta curvas, e curva rectas.
A câmera está ligada na traseira.
Debicar descarregando com corte por cima.
Robson Corrêa de Araújo é filho do canal 100.
Este papel de arroz não é melhor que folha de bananeira.
Zeeis, meu Carl, Leica DRP Ernst Leitz GmbH Wetzlar Germany Nr. 646179 Summitar f= 5cm 1:2.

sábado, 6 de novembro de 2010

26


25













Me querem nos seus festejos sem as
minhas frases de efeito ainda não se acostumaram sem mim me comunicam os seus feitos blogs acho que vi um gatinho a fanfarra quer que eu toque piano de calda no caminhão meu pulso aberto reclama melhor posição no guiador meus bancos já moldaram minha bunda estou falando da minha é de lá que falo feito nas minhas coxas de retalhos da minha pele se mexem vermes no meu mingau a farofa da feira aperta a minha mão grude de soltar papagaios elementar meu r roeu a corda do cabo de guerra sua pegada é melhor seu gozo também sua posição no tabuleiro é mais forte seu uniforme limpo sua barba de fios contados seu catarro da cor patenteada quer o meu sangue pra nadar: agora some quantos meus e quantos seus tem aí pra cima e se faltar um seu nos seus devolva-me!

24


Escolho formas conforme o defunto


Nunca tive intenção de ler só um tipo de escrita, a letra me chegou como um desenho, as estórias assim como as notícias eram narradas por todos que frequentavam meu par de câmaras, (ainda são) o rádio, o cinema, e depois a televisão, a mesma coisa. Hoje se me afasto para outra semiótica, é com um “e”, em espanhol, desde menino o helicóptero me atrai, a libélula, o cão, os pássaros, a bicicleta, o carro, a máquina, e...
Não me satisfaz um fazer, ou um tentar. Um grupo então, entrei nos que quis, e não fui expulso de nenhum...eles me cansam...sempre fui muito preguiçoso para os mandos...apesar de bem comportado...e... eu comecei com Lobato, já estava embebido em Nietzsche muito antes do primeiro contacto, assim como Rousseau e ... Escrever não é contar História que nunca foi contada, mas narrar aquilo que te escapa, clicar de baixo em B. O enquadramento frio de dentro do poder, espaços vazios de dentro do espaço, oferecer-se ao bolo sem neve, dividir as palavras com os outros, deixá-los falar o que você está dizendo, e quando você vê está igual ao como contam ao como se enganam em suas pontuações de tempo de espaço de pausa de transição de lugar de suspensão...

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Do branco ao preto todos os tons de cinzas

Berlin Sans FB diz comecei escrevendo I love you para a irmã de um amigo vizinho aos 8 até chegar no destrave total aos 18 rolou conversa com os livros e namorada certa Bizé me deu verdade e a mudança de volta a Sampa trabalho correspondências o exercício diário treinar datilografia pra dom vital mas foi nesta cidade que cheguei ao barraco 187 fundos rumo ao Leonardo Da Vince e as obras sempre em construção de 79 pra cá criei pontes atalhos cortes em L mapas próprios de pré tensões antes da escrita riscos controlados por campo de força dos perdidos no espaço a série que Oscar Niemeyer pode fumar nenhum concreto armado pode desarmar UNB USP atravessou a canoa canadense com o índio fazendo a transição céu sem nuvens o charuto da paz mostra o sabre de limpar bagre feito por tio Osório no Lagamar suas lanternas já iluminaram um homem de dia na praça?

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Onde estou:

Este blog tem uma proposta; no seu início, junto com a contra capa do Y SEMIÓTICO:
_Lugar de inserir signos, voltar surpresas, continuar vidas nas janelas que ainda podem ser abertas, a qualquer hora. Quero continuar a trocar gibis (,“moleque” ou “negrinho”), imagens por imagens, sem o selo da classificação, ou da Pedagogia da norma culta.
Mas, como é comum não lermos o manual, volto a escrever que aqui no meu
http://www.punctumstudium.blogspot.com/ insiro signos(O signo linguístico foi descrito por Ferdinand Saussure, em seu Curso de Linguística Geral, como uma combinação de um conceito com uma imagem sonora. Uma imagem sonora é algo mental, visto que é possível a uma pessoa falar consigo própria sem mover os lábios. Mas em geral, as imagens sonoras são usadas para produzir uma elocução.

Ao pensarmos na linguagem verbal, tendo a língua como código, os signos linguísticos são, então, os responsáveis pela representação das idéias, sendo esses signos as próprias palavras que, por meio da fala ou da escrita, associamos a determinadas ideias. Pode-se, assim, afirmar que os signos linguísticos apresentam dois componentes: uma parte material (o som ou as letras) - o significante; outra parte abstrata (a ideia) - o significado.

Ou seja, um signo consiste em:

um conceito - ou seja, o significado (signifié)
uma imagem sonora - ou seja, o significante (signifiant), ou forma fonológica em termos generativos.
Em termos simples, um signo linguístico é toda unidade portadora de sentido.

(...) signos são entidades em que sons ou sequências de sons - ou as suas correspondências gráficas - estão ligados com significados ou conteúdos. (...) Os signos são assim instrumentos de comunicação e representação, na medida em que, com eles, configuramos linguisticamente a realidade e distinguimos os objetos entre si.

— Ingedore Koch) Wikipédia-Ctrl c Ctrl v-.
, as surpresas aguardo, continuo vidas nas janelas que abro a qualquer hora, troco gibis, figurinhas por figurinhas, sem o carimbo da norma culta, ou a classificação arquivista de supostas histórias. Aqui é meu lugar de trocar de pele.
Então, se isto não te interessa, você está no blog errado!

23


Ele pergunta o título saindo do nada

O pisão ficou bão\
O caboclo do tijolo ligou hoje
A regularização do Solar da Serra vai sair antes do que imaginamos
Solar da Serra é a mesma coisa que qualquer solar
A vibração pro lado de sobradinho é mais progresso
Serra acabou, é um troço irreversível actualmente
Tem dó quem viveu tudo não vai ter coisa melhor
Tem cara que chegou ali e nem sabe como chegou bêbado
Depois que você foi atropelado adianta alguma coisa?
Um risco muito grande
Ele acha que não tá, né?
Não muda
Te contei os fios da net já passou lá
Laçando os outros fios em volta
Quem está construindo o tempo é outra coisa diferente
Eu fico ligado
Quando eles chegavam eu já tinha caminhado
Eles não coordenam nada disso
O saco de cimento como é papel, estou espalhando os sacos no cerrado
Tá cheio de bacuparí!
Vai transportar lá para baixo
Areia pura
Quando diminui, um fica em casa
Com chuva é melhor para acentuar
Ele não nivelou o trem direito
Doutor perfeito
O cara já mandou o negócio de telhado...
Até hoje ele não acabou

22


quarta-feira, 3 de novembro de 2010

21


Uma gadanha moderna

A vida é aquilo que chamam de.
De onde tiraram a chama do ar?
Ar passa dentro das frases sem.
Sem água ninguém pode nadar?
Nadar fotografou Baudelaire.
Baú de Laire conta 319 habitantes?
Habitantes não são leitores.
Leitores habitarão este tecido?
Tecido por mim dou de graça.
Graça tem apenas riso seu?
Seu Zé Ninguém ficou na estante.
Estante final acaba antes dos créditos?
Créditos não são lidos até o fim.
Fim duas vezes quer dizer que não acabou?
Acabou de começar a segunda sessão.
Sessão da Tarde começa muito cedo?

Cedo ainda é Legião Urbana sem combinar com o Russo.
Russo jogador de xadrez é lugar comum?
Comum é fazer a palavra puxar outra coisa.
Coisa sem a palavra é melhor que a palavra sem a coisa?
Sem palavra é melhor que a palavra sem a.
A palavra é melhor que a palavra sem?
Sem é melhor que.
Que é melhor?
Melhor é.
É?

Com curso de bate latas livrescas

Aqui está nublado e me ouço em outra dimensão latas de discursos da BR INFINITA latas de discursos no Waking Life ainda não nos livramos das latas. Vamos ver quem monta o melhor livro-lata (por favor, tem que ter lata.) fora da lata uma sopa de letrinhas com abobrinhas no parque real zona leste de são paulo não é Real de realidade não senhor a fome de tudo faz virar latas sair com guarda nocturno apitando madrugadas as ruas morgues depois põe aí no seu diário o mago não tem receitas serviram apenas de entradas com graça ver a peça e seguir não bata a porta ao descer é uma mania de mando muito feia por sinal politiqueira dos marque zanz presidentes da casa de noite acordando mamãe pra receber papinha, antes ou depois do ovo frito?

20