sábado, 31 de maio de 2014

Duas bandas desta bola dá um Congresso Nacional

É tão bonitinho ver o Gul-art dizendo que aí ele estourou a língua ficou sem palavras depois foi militar agora ele está lembrando numa puta aflição octogenária diz ter lido livro que fulano ou beltrano deu pra ler outro peladinho de cabeça com óculos de leitura do Romário diz que com um dicionário histórico do rio de janeiro vai mandar uma série de cinco livros destes que eles chamam de romances históricos já está no terceiro enquanto um nosso daqui jura que o papel não vai acabar quase prometendo a eternidade do suporte e mais dois pedros paulos acompanhando a edição de seus recitais letra por letra de namoro com o ofício BRASIL-BREJEIRO toca pra zequinha ele é bom de lambreta zequinha fumaçou dois tempos devolveu pro bel-air que soprou não sei quantos cavalos na cara do goleiro adversário partida interrompida foram todos pro velório declaram luto oficial por sete dias as ruas ficaram desertas nem um crime foi registrado em dois toques vou reler O Grau Zero Da Escrita!     

sexta-feira, 30 de maio de 2014

- É O Museu, Ou A Cúpula Do Senado?

Teclas sujas de rapé o finalizador sempre caga no pau este país não sabe serrar reto nem lixar aqueles que não querem críticas erram pensando acertar erre buscando outro caminho HC não é MH testicondo tordilho velhori zaino zarco zebruno cores e sinais de cavalos analógico ou digital o verso quer pano pra ser tirado ou puir rasgar esgarçar melhore mais o mundo se melhorando que tentando melhorar os outros ou para os outros  encostam mesmo distantes querem barrancos sem insetos vara sempre puxando alguém pra tirar do anzol descontar a dor da ignorância nas falas nos desvios do alvo índios colombianos sobem mais que galgos italianos alemão TT quer tri na Bélgica venezuelana avança na terra batida de Paris brasileiros vão caindo pouco a pouco chupa-cabras trocam máquinas desaparecidos não dizem que vão desaparecer aqueles que pensaram descobrir a arte e ainda estão nas cartilhas experimentem algo mais amargo o fígado de Prometeu agradece!     

Abro a janela: bananas!

As linhas das suas imagens independentemente do efeito as suas  linhas por onde moves em que direção um bairrismo obsessivo quer ser tradição ela sabe quando viro puta presidente mordo a língua esmago o cérebro neste drible estrangeiro dança colheita arcaica linguagem de brincadeira serve mais um café pra gramática ora o faz de conta diabo sem espelho encara o inferno à tato moda de contato lá onde desce quente virar a página num só gole malemolência gingo outro bar outras pessoas outro bate papo vamos trazer um tabuleiro pra cá prefiro jogar em silencio cavalos e peões centro sempre esquecem do bispo em fianchetto a Bianca está de plantão a vida não vai mais longe que uma partida de xadrez mantenha a cabeça gelada o sapo quer beber quem sabe uma pelada onde todos os espaços da quadra noturna são ocupados por nossas luzes até dar bolha na sola descalça nosso time não sai se é pra dançar em festa desconhecida seremos as estrelas de outra película quando sujar fugiremos em bicicletas roubadas o coreógrafo do jornal falou que se corrermos a São Silvestre nosso corpo agradece nadar no lago à noite sem medo de sucuri da sucursal de Brasília: Veja!          

quinta-feira, 29 de maio de 2014

TGPB- 5

Em Construção!

_A Naomi ouve cheira enquanto divaga no olhar...

Minha mãe lá em lulu a sua em pipi do outro em sisi mais um caca tem a daquele de mama vai nana vava que a vez agora é de didi seu elogio é grude de variedades preferências de referências o prato predileto de zozo é arroz feijão bife à cavalo tomate e fritas não seria pequi com galinha titi engordam em pé de prato na mão arrastando pra boca com a colher tá lêlé fêfê ela ficava no caminho tenho parte deixa aberto se entrar saio sistema nervoso pirotécnico no mi lama no seu barro aqui caverna corre do lá fora cobertor cobre acampamento expedição vejo com pouca luz ou nenhuma tato leitor de códigos de barras canjiquinha no biquinho do pintinho em si ciscar pra frente chuta diamante pro tenente cata milho na finta vai driblando o imperfeito a malha da meta deixa passar frango liso bobó bobou bobô bobô que não é bobo jogou!  

quarta-feira, 28 de maio de 2014

TGPB-4

Artur De Araújo Simões.
Brasília  Distrito Federal.
21 de agosto de 2005.
1,41m.

Do outro lado...

Todas as nobrezas: vão.
Las fendas lingüetas...
Aquilo que fecha: exaltação.
Descer na boca da noite pra São Sebastião...
Técnicas do formigueiro engordam a rainha.
Meu compadre desfraldou-se lavou a guarita ainda jogou capoeira com o lavador de carros agradecendo por balde sabão escova pano...
A bibliotecária Selma quando faltava Sartre trazia de casa e me entregava em mãos na guarita atrás da biblioteca. 
COM A MORTE NA ALMA
Estatística jornalística abunda.
No aeroporto meu querido historiador me disse ontem que estão pedindo crachá até pro ministro...
Studium de guarda é guarita.
Punctum de cada identificação...

   

terça-feira, 27 de maio de 2014

TGPB-3

Paulo Fonseca Da Silva.
Buritizeiro Minas Gerais.
23 de fevereiro de 1961.
1,77m.

_O Plenário Da Câmara É Minha Bola Suíça!

Fica sem vai limpando com qualquer coisa quando chega o papel higiênico ele agradece.
Sikadur deixou a guarita photo booth em pé falei com ele pra deixar o resto comigo só montar as janelas que ele desmontou pra limpar-regular, mas depois que a Bizé falou em pagamento aos poucos Sikadur já não me ouve e ainda quer me por pra trabalhar no seu lugar.
Nós Brasileiros somos mestres em fazermo-nos de desentendidos pulamos de toda atenção pra atenção nenhuma.
Tanto na bola como na cola.
Mauro, Renato; vai sem teto mesmo! 
ATENÇÃO, QUEM QUISER DE GRAÇA SER FOTOGRAFADO NA MINHA GUARITA, OS DADOS SÃO: TGPB-(número de ordem), nome completo, local de nascimento, data, e estatura.
Qualquer Um.
A minha ligação com a televisão é a mesma que me liga em qualquer outra coisa.
O quê fizeram de GANDHI?
O GANGES não consegue lavar a Índia.
Quê Dizer Do Meu Tíêtê?!
Oui, je parle français!
Dites-moi votre avis!


segunda-feira, 26 de maio de 2014

TGPB-2

Maria José Ribeiro Araújo.
Patos De Minas  Minas Gerais.
1 de agosto de 61.
1,73m.

_Prata na estrada de Londres quer Ouro no Giro de Itália!

Uran Uran
Evans
Majka
Aru
Quintana

Esta é a estrofe de cinco versos na general do Giro por enquanto...

Na montanha quem trepou mais até agora foi o também colombiano Arredondo Moreno.

Mais tem bem mais pra subir ainda quem sabe o pequenino Quintana não trepa melhor.

BEBA CAFÉ COLOMBIA

Aru prefere capuccino?

Será que Evans vai de canguru?

O polonês faz Majka?

Estou apostando na Prata Olímpica: Uran Uran!  


domingo, 25 de maio de 2014

TGPB-1


Francisco Mendes Rodriguês Da Silva.
Cariré  Ceará.
11 de setembro de 1951.
1,64m.

THE GUARD PHOTO BOOTH

Pega a roda aí véi!
Saint-Tropez ...
Mar-i-posa.

sábado, 24 de maio de 2014

Dado de pé...

1200mm de lua na mão!
Tremi?
Através da vidraça!
Sua mulher já te disse que gosta da sua lua porque ficou parecendo queijo?
5:30 da madrugada!
Ontem?
Foi!
Você Já Fez Uma Guarita-Studium com seis janelas e um canto de parede?
Noite preta, dorme querida, que fotografo...
Velho gordo de fat boy?
Menino de trator à pedal!
Pronto pra pedalar na Noruega?
Deu trabalho pra fazer um campeão mundial de xadrez norueguês!
Quantos colombianos bons no Giro?
Amanhã começa O Saibro Francês!
Quantos brasileiros passaram pelo qualifying?
...21 furos no teto com espelho... 

Digital da minha Digital

Ficou vinte e tantos anos sem lançar poesia pra poder dizer ao entrevistador: você que é poeta sabe do rigor de escrever poesia!
O poeta no outdoor faz adolescente dizer: papai Noel!
Sikadur dormiu aqui esta noite deixou meia GUARITA pronta ainda ajudou Bizé plantar grama antes de dormir viu meio Bergman!
Windshield Zoom Microphone! 
Filtro para o som do vento.
Ela não entende bulufas!
Chefes ganham mais mas vêem menos seus filhos...
Rigo está de rosa.
  
   
  

sexta-feira, 23 de maio de 2014

_fz70 panasonic: review!

A linguagem do corpo quando bem exercitada pode dar um corpo novo sutil nasce branco...

1200mm de tarde

- Medidas passadas desnorteiam agulha e seus furos
             e sempre tenta repetir algo que ainda não foi é
        ainda um lampejo par por par dizendo sim mundo
                       mundo ray lápis fio industrial de ilusões
                                    ray mão diz terra enquanto mar
                                           mão seda lagarta borboleta vê
                                                    seda lã véu medidas de tecer
                                                             lã
dor colo cama conforta
                                                                fio rompido sem emenda aquilo que sempre foi remendo vôo
              foi vêla mar rio escorre no fio vermelho da vela roi 
                        da ponto de vírgula do dois pontos e vírgula lê
                         vírgula ré maior tom vizinho matiz do som
                               som menor desloca a repetição do ofício
                               cio permanente da mãe nasce ex-pele eclode 
                                     lode ouro prata veio sem exploração pedir
                                           ir saída com a dona garantia de aventura
                                              ra deus de lá aqui pasto estrelas apagado
                                                 do lado de lá desce um sol que agora sobe solar daqui!       

quinta-feira, 22 de maio de 2014

High Sensitivity


O guaco escala o telhado da cozinha.
Da janela lateral direita do atelier.
Pouco antes das dezessete horas.
Ele já cobriu a garagem: teto...
Sombra diagonal amena...
Bananas altas doces...
Quarto de horizonte.
Terceiro andar.
Azul claro.
Humor...
Salto...
Ócio...
20mm
G A
AF
R

Na grama ou na mata

Vai Comer ou vai embrulhar será que chove o seu mal é este sua barba está de molho bom dia chefe yo soy joe faça me ver depois seis aparecem lá em casa 7...8 esta poesia é visual papa bebe tereré na guampa sujeito cafeinado não quer barriga d'água me estampa este tecido esta lapidação dá um solitário esquisitão sai da moita de fat fico mais magro escritores adoram uma labirintite que tremenda chavasca leitor não precisa falar com escritor aquilo que deu no bicho estava no fósforo apagado no café mete dez na cabeça cercado acerto no milhar toda noite meu time vendeu a estrela pra comprar o sol ciranda criancinha vamos todos criançar vamos dar meia volta quero ver quem é que dá a paródia emociona elementos escorregadios a vida do meu historiador é decorada ele tem facilidade de seguir planilhas fulano vai se fuder palavras de baixo calão escala polícia da copa caiu na rede é peixe nem adianta vir buscar mandruvá é um ônibus que depois cria asas e voa!     

quarta-feira, 21 de maio de 2014

_Mestre Tiago perguntou se deixei o rapé não respondi está na mão mostrei a lata dentro do círculo feito com os dedos da posição de OK !



do bando pombas do clube de golfe pastam tranquilas a grama sempre aparada não temem a dura bolinha branca tacada mestre pé de costa peguei seu capacete ele foi logo dizendo que bom te encontrar aqui perguntei pela academia ele disse que queria aumentar o espaço na área verde mas um vizinho denunciou ele colheu cinco mil assinaturas mas mesmo assim o GDF nada falamos sobre bicicletas me despedi dando o endereço depois chegando na feira vi a belina do sarampo de porta aberta e um senhor buscando ar fundo desci e perguntei senhor conhece o Sarampo e ele soy joe! começamos a conversa ele disse vocês mudaram vocês estão bonitos eu estou doente já perdi 17 quilos os médicos não sabem o que é eu não sinto nada só que quando vou me mover fico assim com esta respiração de cachorrinho estou só no cachorrinho ainda brincou perguntei quantos anos ele disse 81 e completou novinho ainda né? perguntei se ainda trabalhava ele falou que ninguém mais quer ter aulas que já querem é tocar compor sem aprender Mestre Sarampo foi professor de música das minhas meninas ele toca Saxofone papo vem ele levantou fechou o carro e foi fazer compras na SAB.   

Ela não faz tipo ao ser fotografada!

Qual a abertura do olho da Naomi?
Corte pontos sensíveis do olhar!
Melancolia de uma sedução profunda?
A unha de lobo foi pro ralo!
Desfilou velocidade?
Lua na neve lua na noite!
Ela aprendeu com carinho de filha?
Nossos valores da tradição humana!
Vai descartar uma boa pra bater o jogo?
Os cães foram parar no divã depois que ganharam nomes famosos!
Naomi Lance Nícolas puxam Bizé?
Pedigree do Robson!
Porquê o Cadel Evans está tão remelento de rosa?
Giro Quedas!
Se não temos a modalidade como teremos especialistas na modalidade? 
Sirva a vírgula que como!
Um plano de amizades acaba com a solidão?
Estão arranhando a porta do apertamento!


terça-feira, 20 de maio de 2014

Modelo de caixa d'água

Sacarose.
Saracote.
Móbil.
Surdir.
Cores e sinais de bois.
Deliroso. Cavaleiro Andante.
O que deveria ser.
Celebrar o ofício divino.
Impelir.
Levantou tomou café com bolachas fez uma graça para a esposa e os cães subiu tomou banho abriu as janelas sentou ligou escreveu...
Poema de guarda.
Arte & Travessura.
Ensaio.
Neto Bom.
En Passant.
Com Pimenta.
Competição.
Arquitetura.
Maratona.
À Deriva...
Mesmo com palavra à esmo será sempre eu-mesmo!
Mamas de mameluco foram trocadas por pepitas na Serra Pelada.
Medo de lavar o umbigo e perder o encanto.
Herói de brasa na mão.
Serpenteiam finas estradas de terra no horizonte do solar da serra...
Partículas no ar matizam imagens de teleobjetiva.
desiludido.
Gitano.
Apagando.
Contra-Passo. 

Sangue do lago

Vinte mil léguas submarinas no lago Paranoá quem vai largar 360 em páginas semanais do cinema mundial sentimentos entrelaçados ofereço um pacote de férias com as melhores variedades mundiais sem querer sair do fundo do mar carreira fotográfica em revista européia enquanto a companheira bate de sub-emprego ele vive de Nouvelle Vague com a editora o grande chefe de vendas é pego no contra-pé num programa desesperado agenciadores morrem e a garota escapa com a bolsa cheia de maços de euros o tarado sexual é contido com lero lero terapêutico penitenciário alcóolicos anônimos aparece cult judeu convencido no divã a classe média é quem lê enquanto isto a mensagem chega na garrafa colocando a esquadra de guerra na cola da distopia atlântida afunda mais uma vez letras perdidas aquilo que em 54 era reproduzido como imensidão hoje é cópia num lago local!           

segunda-feira, 19 de maio de 2014

O Lance também gosta de fotografar de baixo...

A hipocrisia é uma constante brasileira?
Será que importo uma lytro para que vocês escolham o foco?
Se a ricoh theta chegar fotografarei tudo em volta!
Sacrifico itens de segurança e vou de 20mm a 1200mm com Panasonic!
Confesso que tentei voltar ao padrão?
Novidades ciclistas, novidades fotográficas, e nada de novidades literárias...
O dado virou guarita.
Caixa preta espelhada por dentro.
Estou de guarda da cidade!
Retiraram a kombi do balão!
Um corpo 10kg acima da tabela pedala bem, mas o mesmo corpo sofre pra correr à pé...
Na água um pouco de gordura ajuda flutuar...
Os cães entraram na planilha de meia hora por dia com a Bizé!
Este fim de semana só joguei uma partida de xadrez com o meu neto!

    

_Sem aspas agora!

Sol da meia noite na minha Noruega fala bolhas do balão chocou Loló chocará Lilí talvez choque o sem graça historiador saído da linha do centro tentando uma perspectiva esquerda ouvindo blues soltando finos espinhos vermelhos frio flare sem glare a garça que voa em direção ao sol deixa de ser branca ou busca uma neve mais quente palhaço sem olhos dá língua pro balão rosa-lilaz que quer dizer ponta de rabo fino da nossa estrela garça espantada com o fotografo nas margens do nosso lago artificial que nas palavras do também nosso presidente JK encheu !    

domingo, 18 de maio de 2014

_Que garça!

Acabo de saber que no Rio fazem mestres de xadrez em campeonatos escondidinhos depois o que será destes coitadinhos não sei a ponte ficou o dia todo em manutenção agora pra voltar até atravessamos na contra mão o homem do tempo daqui ontem deu uma entrevista na tv dizendo que poderíamos esquecer que por aqui não iria chover o espanhol perdeu na final de Roma que delícia eu e minha Bárbara palavra juro fomos buscar o campeão brasileiro de xadrez no hotel e ele me disse que pra viver de xadrez neste país ele tem que sair de palestra em palestra e vender produtos num site que ele alimenta hora bolas não valorizam o XADREZ agora a chuva passou o Paulo está lá embaixo fazendo uma chupeta no carro da Bárbara que parece ter arriado a bateria depois de uma destas lavagens que temos por aqui eu depois que percebi só lavo na autorizada quando da revisão cansei de maus contatos e curtos depois do banho!     

_Nícolas, com assento!

Aprendo com o Nicolas sobre linguagem do corpo ele está de unha lixada da caminhada códigos reconhecidos olhar na distância percorrida todo dia o Nicolas é o Nicolas mas há variação no ar diz o seu nariz e os ouvidos enquanto checa silhuetas ele não entra no jogo da bola prefere arriar a dianteira e observar atentamente seus mestres entre dribles & fintas o Nicolas quando com proteção vira uma caixa de ferocidade ferve no sol à pino vira tapete buscando refresco no solo algo magoou o seu nariz na ponta por cima parece que vai ganhar sua primeira cicatriz ou seria uma tatuagem de nariz este estilo de sentar alongado dói nos bailarinos não no Nicolas que quando estende seus braços querendo colo parece o homem-elástico sua flexibilidade com as articulações lembra contorcionista nele há menos gordura que nos quenianos maratonistas quando o assunto é novidade: incansável Nícolas!         

sábado, 17 de maio de 2014

_Tirando onda de ponte!

Super-tele busca o passado distante padrão normal não desgruda olho de peixe empurra o futuro com distorção: o olhar sabe aquilo que quer ver?
360 graus de mandala!
Aquele que lapida o diamante brilha na alta roda?
A princesa casa com o lapidador?
Jornalista Publicitário faz uso de figuras de linguagens sem fazer...
O guardador de dados nunca soube o quê fazer de sua coleção...
Mercado Vampiro.
Sujo diz de dentro.
Mar sabe ressaca.
A noite das letras não escolhe ambiente.
Sentimentos mesquinhos emoções baratas...
Sede de literatura bebe de língua seca.
Caminhou na praia sem banhistas nu de qualquer ostentação sem queimar os pés em água-viva ou caravelas de perfil pro horizonte...
...seu desejo era longa trilha perpendicular...
Nossas reservas internas não podem secar!
Descobriu como se hidratar de febres.
Abriu na página 1003: oração de sapiência...
  

A Minha FatBoy Specialized 2014

Ela amigo zero hora joga no jornal retornam cartas elogiando ela livro que deu certo virou cinema teatro novela está na boca do povo ela adaptação de Machado picareta martelo existencialismo tupiniquim ela no modo mpb jeitinho intimista canção popular semi-cult ela que adora quando a câmera aponta o microfone é babado à exaustão ela sem canto do galo ela nada mais que Quintana com rugas de expressão de falação ela publicidade sabe do mercado de trampo anterior gosta de prazos ou deixa pra última hora quantas delas aqui e ali travestidas de mini-homens rostos em ristes com aberturas cuspidas proliferam com asas ou sem na caixa de fósforo lutando pra menino ver ou laçadas por linha de avó com vôo limitado tatuagem vira papel de bala carro antigo vitrine fotografia produção em série de volta ao clichê sem Proust sem Brassaï dentes-setas boca dura cabelo-auto-penteante descreva-me ela da tela para a impressão da tela pra tela de quantas gargantas ela é a voz folhetim bem temperado com outras disciplinas metade dos homens do país e a outra metade de mulheres querem ela na cama no café no divã.     

sexta-feira, 16 de maio de 2014

Arco raiado

Garça choca bolas de golfe.
Quero-quero também...
Esta cor de lago deixa telhados vermelhos.
A ponte nova ganhou ferrugem cedo.
Sombra denuncia posição?
"Encheu, viu?!".
Favela chic.
Enaltecimento
Estendedouro
Guzunga
Iemanjá
Irrepresentável
Ligante betuminoso
Mazagrã
Plateresco
O homem manco das mudas chegou!
A Thaís foi embora!
Pardais entardecem...
Eu e o Artur fizemos um rally de 51 toques sem deixar a peteca de plástico cair!
Agora é hora de rodar de correia dentada.


  


Este gatinho-fantasma é o fla né linha do lugar

Noite Escritura Parede.
Há uma Kombi no meu caminho.
Neurótico da rua cuida dos gatos vira-latas.
Moscas, retirávamos as asas, e colocávamos na briga.
Reúna 100 discursos 100 diferentes maneiras de 100 escritores.
Beba sólido!
Mastigue literatura!
Personagem sem férias de si.
Circunstâncias preliminares.
Até em pauta fala fotógrafo profissional na tentativa de dizer que o exposto é linguagem.
Devem dizer escritor profissional daquele da escritura?
Sou guarda proffissional!
Me parece o motorista que queria comprar um cão de raça policial!
Todo cão que trabalha pra polícia é policial até o vira-latas.
Não há raça policial.
Escreveu pro jornal é jornalista?
E o fora da lei que trabalha pra lei...
Crítico de cinema que parou numa época...
Crítico literário que só lê locais...
Sabor de língua-morta.
Fragmentos do português antigo no colóquio da roça.
Colecione pelo menos 3 amigos pirracentos.
Todos sabem os nomes dos bois conhecem suas marcas e preferem bem passado mal passado ao ponto cru.
É querida, mas o prazer de um racha no campo do adversário, é mais caro que ingresso na final das galáxias.
Gosto de experimentar antes de apontar!
O Chico quer me escalar na ponta direita!
Poli te ama.
  

   


quinta-feira, 15 de maio de 2014

Escrita Cartorial

_Cuidado para evitar um mal as medidas cautelares ou preventivas processuais penais cabíveis segundo o abandono em lugar público de veículo não identificado nesta situação os círculos diurnos aparentes estão em planos horizontais perpendiculares ao plano mediano guarnecido de ferro que se gastou com descuidos propositais prosseguir ir navegando não se frustar passavelmente constituído por um juiz de direito que é seu presidente e certo número de cidadãos quantidade mais ou menos considerável ódio ao raciocínio pelo relevo da letra fundido ao entalhe da matriz cujo tamanho pode variar dentro do mesmo corpo papel sensibilizado que se obtém através do furo com aspecto de pedra no caminho.        

Pena Preta Diagonal Esquerda Cravada No Olho Da Palmeira

Concurso Cartão Postal Ponte JK.
"...nóis vão pra lá nóis vão pra lá..."
O vento está soprando pra Goiânia.
Este coco babaçu?
Orbygnia Martiana!
Sinal de frio no céu!
A natureza sabe matizar?
Lago Paranoá!
Missão Cruls.
Relatório De Glaziou.
Não deixa o trem enferrujar!
Discreta Descrição.
Pelo buraco da cerca do clube de golfe na noite Brasiliense...
Nua na prancha se sentiu sereia do lago artificial!
Fiel ao poema abstrato, ligou para o Indiano!
O dono do leme passou mais um papelote.
No plug do cérebro tocava aquela "...eu e minha gata rolando na relva, rolava de tudo..."!
Qual é o pássaro que se alimenta de fragmentos no ar?
À tarde prometo kombi fotografada no luar!
Cheia de Curvas-Niemeyr, deitou, servindo de ponte...
Meias rodas meias enraiadas...
Sombra dura: trilha!
Sol das nove.  


quarta-feira, 14 de maio de 2014

Amarelar

Inimbó.
Passinhar.
Realimentar.
Realismo. 
Selvagino.
Sutilizar.
Tiba.
Textualidade.
Uretrorragia.
Veio.
Walk-over.
Zuarte.
Caudal.
Desnortear.
Estilha.
Feudo.
Gorjear.
Hélice.
Manda.
Parca.


_Com ponte ou sem curti esta árvore!

As vezes pensam que você vai bater lá mas não é de hoje que percebi quando eu cuspia os dados do rock depois pra brincar fiquei só com Stones agora quando toca no rádio um da máfia mineira curto só dentro do carro com um olho no abajur e outro no interruptor antes minha casa era pequena e cheia de pessoas interessantes prontas pro fazer hoje casa grande até os chatos só aparecem de vez em quando os escritores de bsb devem gostar muito de mim mesmo pois além de desfilar com eles por aí de cueca xadrez fui nas suas casas quando um comentou que era cueca respondi sim é a última moda para correr maratonas só este ano na maratona de nova iorque x-1 largaram com estas cuecas a mulher de um deles com raiva disse que minhas canelas eram finas mas não disse nada sobre eu estar de cuecas na sua limpa sala de estar na asa de lá que seu marido jura ser a asa de cá depois de perdermos o sono juntos eu e minha Bizé rimos e dissemos faz de conta que estávamos em alguma festa por aí tomando sereno.  

_As vezes nascem de troncos velhos, mas o foco é a água!

Uma repetição qualquer.
Retorno.
A Televisão.
O Facebook.
A Vida.
Amigos pirracentos.
A Cópia.
O Jornal.
A noite.
O Plantão.
Você gostou de mim, ou daquilo que você poderia fazer de mim?
Um velho sente dores.
A dor de não ser novo.
Uma frase numerada não quer dizer nada.
Um formato de poema pode não ser poema.
Recursos da escrita pode não ter escritura.
O cartório da literatura não reconhece firma.
Sem os meus dados lanço pontos sem lados.
Ela bateu a porta.
Ele continua escrevendo.
Os meus convites de saída não te dizem respeito.
Ligou o aparelho.
A leitura não é um adorno.
Língua de trapo rasga sem estar puído.
Menino, quero este caderno cheio de frases suas!
Antes de bater o sinal!
Há, sim, é, estive aqui sim, mas ninguém se lembra mais de mim!
Conversa de defuntos.
Quem ouviu já estava morto.
Isto não é um confessionário.
Falharam.
Quer começar de novo?
É melhor não ler!

terça-feira, 13 de maio de 2014

Quando você deixar a ponte à direita rumo ao plano cuidado vi um uno trafegando pela ciclovia ontem estão pintando a lata da ponte por cima do ferrugem

Porquê da rodoviária até o estádio a ciclovia tem duas pistas com direito a canteiro no meio para estacionar nas imediações da câmara legislativa você precisa ser de circo vi um saindo na porrada com o flanelinha na feira dos importados por causa de vaga enquanto minha mulher foi no médico fiquei batendo papo com o guarda da portaria do TRE ele me disse que esta copa já está comprada pro Brasil concordei e lhe contei da invasão estrangeira em BSB até indianos estão comprando terras por aqui ele ainda me disse que no setor O este ano eles não vão enfeitar a rua agora colocaram a kombi branca aqui no balão da ESAF mas ainda não fotografei acho pouco um mês pra ficarem prontas as ciclo-faixas quem quer ir brincar de catalogar catadores com a minha irmã?     

Trabalho De Campo

Lanterna-militar.
Lusco-fusco de onda.
Tremor-de-som-de-motor.
Baque-do-surdo.
Aquarela de pinheiros.
Seu coração de passarinho.
Moeda de girar na mesa.
Dinheiro do brinquedo.
Sangue-sugas-de-rua, desgrudem!
Se: sou!
É.
Agora.
Sombra esfumada no branco da parede.
Um samba no pé ainda é periférico.
Minha Nêga Me Chamou De Zappa!
Pro inferno com sua pontuação!
Lanterna tática: corruptela para signo de Salomão.
Na testa do abra-cada-bra.br
NANANA.
NANANADA.
Nano-chip de mico-estrela.
O mesmo confronto com a vida.
Mandem o palhaço colorido entrar!
Quente Otiu, quer frio pensar.
Modula.
   





   

segunda-feira, 12 de maio de 2014

Botticelli!
Mars and Venus...
São Sebastião
O aprendizado do mundo!
Principais conceitos da psicanálise...
Viver!
ARETÉ
...reciprocidade...
Mentira & Roubo!
Auto Retrato Falando...
PENSAMENTO & EXPERIÊNCIA
...novos óculos...
Huxley-lei!
...ancestral do humano...
para quem gosta de ler
A LINGUAGEM O PENSAR E O FAZER
a última carroça toca pro céu
saber sentir sonhar
máscara pro gás da razão
na hora do vento passar
desatento 
passa seu tecido
a percepção vivida!
Pinturas Diluídas 
instante!

Longa Exposição-Auto Retrato

Calcinha Cult.
Recipiente para se guardar rapé.
A violência do cotovelo.
Analise as posições assumidas pelo corpo.
Anágua Saiote Armação.
Petticoat Discipline.
Pernas e quadris geram potência.
A mente relaxada calma com o corpo respirando freneticamente.
Respire fundo a circular garanta aos músculos o fluxo adequado de ar.
Nunca levante de um pulo só.
Chutando grama brigando com juiz.
Se o cérebro se tornar confuso com o grande fluxo de estímulos da escritura a mente não terá condições de distinguir com clareza um fato imaginado de um fato verdadeiro.
Entranhas de animais miúdos.
Adrenalina sobe pressão sangüínea.
Não deixe que as nádegas batam no solo.
Método Correto De Queda.
Reflexo De Cair De Repente.
Nenhum golpe no estômago machuca.
Poder mágico de fazer de você um super-homem.
Flexibilidade.
Ioga.
Viajando Pelo Brasil Canário.
Olho De Tigre.
Equilíbrio & Alavanca.
Ki!
Perto do palácio das artes.