sábado, 31 de dezembro de 2011

O sacrifício do dragão

Era uma vez uma hidra que era muito mais muito boazinha só que o único problema dela é que ela não sabia que o reino dela estava em perigo por causa dos dragões pois se soubesse não deixaria este dragão sentar no banco verde por causa que este banco verde poderia fazer uma fonte de energia e explodir o planeta terra e também vários outros planetas de outras galáxias quando a borboleta vermelha desfocada entrou no tecido da criança todos os planetas se alinharam apareceu uma grande imagem dizendo uma grande maldade os dragões estavam fazendo experimentos disfarçados de água pra quem beber virar monstro & a luz amarelou o planeta esquentou e era dia de festa dançaram a realidade dos bichos beberam literatura a noite inteira e nunca mais teve bobagens na televisão o planeta terra estava muito quente porque o sol estava muito perto foi quando caiu um mico inter. estelar dando ordens para os leitores: e  o mico fazia elas trabalharem, encher piscinas para ele, quando as hidras e os dragões souberam disso se juntaram e formaram uma grande equipe do bem & foram atacar o mico foi assim que chegou a ultra-capivara; com poder da areia movediça &  lama.
 Nunca ande no mato só.
O mico pegou  uma aleluia, o dragão impediu que ela explodisse nele, o mico aprendeu uma boa lição e foi direto para o seu planeta o dragão ficou agarrado na aleluia explodiu nele e a hidra falou: não acredito, ele se sacrificou para salvar milhares de pessoas, eu sabia que o coração dele por dentro era de ouro.
FIM (História conta por Artur e seu vovô)

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Os animais misturados, e mais os dinossauros herbívoros & carnívoros

Sobre dinossauros, vocês pensam que os dinossauros acabaram?
Não, ainda existem robôs para vermos como eles eram antes.
E, se for o caso, é só inverter um rinoceronte, e terás um dinossauro inclassificável.
Se você ver um fócil de braquiossauro, verá que são herbívoros,
se você achar que ele está vivo, não precisa se preocupar pois são mansinhos os herbívoros, está foto do começo da história não pode parecer muito com um dinossauro, mas porém pode ser um começo de outra história, vamos ver logo logo.
Quando a bandeira do tamanduá está mal hastiada, de longe, pode parecer um ser pré histórico. No nosso caso o tamanduá não deu bandeira, e foi comer suas formiguinhas na lixeira.
Se você estiver desconfiado que o tamanduá come folhas, está enganado, o tamanduá come formigas, também fiquei assustado quando soube, vamos ver outra história a seguir.
Este meladinho neste tronco de árvore é comida de borboletas? 
Eu falei que veremos outra história logo-logo, então vamos ver agora: 


vamos falar agora de animais vamos começar com porco espinho o porco espinho usa os espinhos para se defender e defender a família o hipopotámo sabia que faz cocô para todo lado? Vamos falar agora do coelho sabia que ele pode saltar? Dois metros de altura? E o coelho come dois tipos de coisas ele come alface e cenoura, se pensar que o coelho é carnívoro por causa da cenoura, não ele é um herbívoro.
E nosso queridíssimo urubú-rei está perplexo com a dieta do mundo animal, pois ele não sabia que borboletas comem mel no algodão.
Existem muitos tipos de cobras, a maior cobra que tem no mundo é a jibóia.
Esta serpente aninhada sabe que não pode atacar ninguém através do vidro, por isto ela fica pensando: o que será que viram estes humanos em mim,
 tão serpenteada ? 
   

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Eu poderia te deixar uma carta

Liguei de manhã me chamou pro victor hugo não jogo ping pong o objetivo era o chalé de maçaranduba mas tudo bem vou ficar aqui com o neto fico e ligas de novo querendo caminhar já caminhei você vem te mostro a verde hooligan experimentas aí te dou a dahon preta pra rolar te sigo até o véi vamos pra três subo na frente na virada te espero atacas na descida tento seguir reservando o ataque para depois da descida mas 6 metros depois capotas de testa no chão quando te chamo vejo a poça espessa poça de sangue ao lado de seu rosto desacordado encosto o camelo e me desespero em chamadas no vizinho da frente para frente para trás até chegarem os "chineses" que me emprestam o telefone ligado pro charles que trás o twingo preto onde coloco você e a preta deixando a verde com o charles te levo direto pro distrital te interno te acompanho até 00:48 volto pra casa tomo água e banho e ligo pro paulo ligar pro siloé pra ligar pro victor tento dormir mas só fica a imagem do tombo do hospital do socorro levanto de madrugada venho ao computador e grito por SOCORRO no face e vou ao victor hugo cristina atende ele vem vamos de novo te ver e depois te cobrir te aconchegar em roupa de cama lavada volta de tarde com o nils encontramos carlucio na portaria você já está de banho tomada e roupa nova com os olhos abertos para a nova companhia do amigo mais antigo marca pedal peço para que não comas a enfermeira  lembramos quando o carlúcio te ensinou a jogar xadrez aqui no mesmo politraumatizados da caderneta de anotações das partidas que sumiu assim que você venceu lá pela décima quarta sei lá suas bobagens fanfarronas também tenho as minhas e fiz vista grossa para as suas maiores mas continuo voltando como visitante sem querer mais que uma onda existencialista por falar nisto estou te devendo 10 reais que peguei da sua carteira para eu e uma filha negra do alcool comermos e bebermos enquanto esperávamos notícias dos nossos acidentes quando vier pegar seu palio marron te devolvo já que a enfermeira do carlúcio mudou o diagnóstico do doutor wilson e você já não tem mais o coágulo que juntos ouvimos o magro branco falar da mesa que te deixei internado ao lado do livro das esperanças fáceis que foliastes enquanto aguardávamos o resultado da tomografia pensei em levar Bertrand Russell No que acredito, mas o carlúcio disse que agora você não pode ler...       

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Aos nossos amigos

Arnaldo, está internado no posto 1, Neurologia, Hospital de Base: "com um pequeno coágulo no cérebro, e machucou o cérebro também", foram as palavras do médico. Peço SOCORRO, pois sabemos, que ele só pode contar com os amigos!
 ·  ·  · há 9 horas
  • 1 compartilhamento

    • Gaspare Di Caro Oi Robson, que aconteco? que posso fazer?
      há 47 minutos · 

    • Robson Corrêa de Araújo O Arnaldo Ribeiro caiu de bicicleta, está internado no posto 1, Neurologia do Hospital de Base, com um coágulo no cérebro, agora já conseguimos uma maca, roupas de cama, lanche, e etc...
      alguns segundos atrás · 

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

domingo, 25 de dezembro de 2011

"Desculpem a nossa falha"

Ontem fui na missa do galo e capturei esta imagem pra vocês antes do irmão sol sair a irmã lua iluminou a cena vou aproveitar a ilusão de recomeço de ciclo para fazer melhor é diferente a euforia em relação com o passado tudo muito calculado para manter as instituições quando fui dormir ainda estava passando um louco verão abandonar tudo e sair nu é um desejo pulsaste reunião de pessoas no mesmo site é big brother, mas eu não vi big brother porra vou arrancar do tubo qualquer coisa pra te causar me disseram que as pessoas causam afinal nada de impressionante pois elas nunca foram talvez nem serão a escrita finalmente atingiu seu apogeu junto com a imagem de mãos dadas elas estão em todos os lugares reclamando suas presenças o tirinho tem como fêmea a tirinha já podemos animar qualquer coisa modelar também : a única coisa que acho engraçado é que apesar de todas estas possibilidades as pessoas estão mais suicidas...e conversa que dá pra engordar qualquer conto de fadas...
Ainda bem que nunca segui nenhum método por muito tempo nenhuma forma me informa...
Escravos das opiniões dos livros-faces... 
Meu saco de papai noel...    

sábado, 24 de dezembro de 2011

Artur & seu Avô, em: Sem ter medo de sombras

Esta é uma história pra não se ter medo de nada: se você ver uma sombra no seu quarto, nunca tenha medo, pode ser uma árvore, ou qualquer outra coisa. E caso estiver sem sono, olhe pra esta sombra com imaginação: e verá um elefante de circo. Quando ver uma sombra no seu armário, ou na sua porta, pode ser seu pai, nunca se tenha medo. Ele pode estar carregando uma vassoura parecendo um monstro com o cabelo estranho.
Numa noite de tempestade, com muita chuva e vento forte, com relâmpagos & trovões...raios...
Cuidado, você não pode ter medo, mesmo assim pense que pode ser apenas um filme de terror...
Se tiver uma noite muito escura, com uivos: nunca se tenha medo.  Se você pensar que é um lobisomem, não se preocupe: lobisomens não existem. Só em filmes!
Os filmes de terror não existem.
_Ele estava sozinho em casa, quando ouviu um grito horripilante, ficou gelado de medo, mas como ele estava dentro da história que não deixava ter medo, levantou-se e foi abrir a porta dos fundos, quando chegou do lado de fora da casa viu com os seus próprios olhos um elefante perdido na noite....tam dam dam dam... 
Se você ouvir um uivo de lobo não precisa se preocupar. Sabia que os lobos não atacam humanos? Só quando estão com filhos, ou com uma fêmea grávida... Os lobos não querem nos machucar, só querem proteger suas fêmeas gravidas & seus bebes.
Um dia eu estava com medo de histórias, e pedi para o meu avô me contar uma não-história sem pé e nem cabeça...
Quando eu era bebe tinha medo de zumbi, mas fui vendo que zumbis nem existem, é para isto que servem as histórias, as histórias são para divertir & aprender a não se ter medo, e aprender muito. Fim.

Até aqui ainda não perdi o buraco...

Estão mais distantes.
Alcançá-los não significa nada.
Formatos ignorantes.
Tirem a língua e os lugares conhecidos.
Ser estrangeiro é uma delícia.
 Brinquedo passado.
Tecnologia futura.
O filme está falando demais.
A paisagem está sempre nua.
O presente cheio de passado quer abrir o futuro.
Minha árvore com forquilhas perfeitas deixa subir e escolher.
Quer brincar de big brother na minha casa seu filho de uma puta?
O outro está cada dia mais intolerante.
A diferença vou tirar no uso.
Estou com preconceito de me olhar. 













sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Manutenção


quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Os seus programas não entram na minha conversa

Banalizou total, agora é só comer, mas sem mim.
Eu dou é tudo, saio sem nada, crio outro personagem.
O cara me devia um carro, dei outro pra ele.
Sou de cobre, dou zinabre.
Organizar o meu caos com mesinha, com salinha: ninguém conseguiu.
Eu não meto o pau em coxão mole.
Vou devolver os objetos do gatão, assim como devolvi sua falta de sustentação social.
Ficção, minha família criou de verdade, conhecemos os quadros & as cenas, desde a mais tenra idade.
Perco tempo, me quebro em vírgulas.
Qual o corredor que não teve acidentes de percurso?
Não sou músico, a música para mim é só mais um texto, ou um rótulo: Álcool & morte de Vovô.
Não sei escrever. E se aprendesse, não diria melhor.
A questão não é aprender. Ser & Saber.
Ser social comigo, não me diz nada.
ÖH o texto se rasgando...
Zóím, bocão...
Pode fazer simulado de derrota, se não quando ela vier, você não passa.
Quando digo o palavrão, inconstitucionalissimamente falando, o maior grau deve ser bebido.
Quer me comer?

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Meu Choro Azul

http://youtu.be/u8ogN1pSxHM   :este é link do lugar de onde venho e é uma das imagens que mais gosto, mas posso te dar também uma da beira do campo eu com 8 anos ao lado do meu irmão e meu primo guiados por tio João vimos este ARTISTA jogar na várzea, ou dois ônibus lotados com a família diretos para Santos... Rua 3, na volta do primeiro colégio da Vila Nitro Química, gastando o dinheiro do baú & indo no dedão...cabulando aula no Boi sentado, na Lagoa das Três Meninas, atras do clube da nitro, atras da Papelok, subindo para os pimentas pela mata, ao lado da fábrica de nitroglicerina...falar de São Miguel ainda dói muito: a construção deste personagem foi toda feita aí.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Preciso comprar dois pneus, quinta tem vistoria...

Esté é o retrato do que já era antes de qualquer projeto ou engenheiro ou arquiteto somos assim abertos com meia dúzia de luzes alguns objetos cães encobertos afundados em poltronas largas de orelhas edredom lençol rosa cerâmica rústica no piso vamos jogar com o bilboquê do JJR só um pouquinho ao pé da roda social de frente para a sua sombra ele espera o filósofo os cachorros já voltaram HDT quando saíram com os mineiros apostaram em trapos balançados relaxam para a próxima parada 5 sóis vazam pelo aparador enquanto 1 olha através da cortina o sol que está vigiando o brinquedo é um bom cão vai jogar com os outros antes do solitário chegar com seu devaneio caminhante aí ele passa a bola pro garrincha que está lá fora ele me alugou uma pinhole e mora com sua amada em cima da trave despertam-me com seus gorjeios de primeiros raios santos me dão ressaca... 

domingo, 18 de dezembro de 2011

Ser Santos, Poetas & Atletas: a concorrência exige

Este Y entre o né e o mar.
Negro Borges.
Vão embarcar Barcelona?
Precisamos pegar o campo na mão e balançar nossos jogadores com a bola pro gol.
Vai ser direto assim na puta que te pariu.
Enfia a porra deste goleiro pra dentro.
O cara num tira a coroa nem pra jogar.
Tudo bem que a saga é de brincadeira, mas se o Léo ligar a moto...
É lã no meio do campo, ou algodão doce?
Gostaria de ver o Pará entortar na direita.
Por um tempo gostei de apertar botões.
Mover peças rolar dominó emburacar bolas tocar velas com os pés com as mãos...
Faltam 3h e 2`pra começar o jogo.
Tem brô que vai ver na rave.
Toca e corre.
Mete por cima.
Esta estrutura de funcionamento não é boa para o Futebol, mas funciona na Pelada.
Aqueles carinhas eletrizados comentando Fut na Tv é o quê? Tem chapéu?
Brasileiro não quer saber da barca-lona.
Na
 cio
 na
 lista
 nada
 o negócio
 é
 a
linguagem
 do
 pé
na
bola.

sábado, 17 de dezembro de 2011

Um olho na ponta do nariz é crucial

Qualquer palavra estragaria a máscara, aí ao lado.
De preto ela fotografava o seu amor, no choro-club.
O tiro entrou em chamas, saiu fio de sangue.
Disco voador aguarda suspenso, a ação.
Sua arma ligada por fios vermelhos, esguicha fogo.
Atira no saco, enquanto olha nos olhos.
A máscara em primeiro plano não vê o ônibus que passa, no fundo.
Mulata alta vestida de vestido escuro, iluminada pela luz do monitor.
Retalho de rosto sobre iluminação de bar, chora.
Dentro da roda só eu cacei esta cena.   

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Fatorar


Bem pequenos entendemos o modelo imposto pelo cinema e a televisão, mas ouvimos muitas histórias em volta do fogo, antes  leram para nós em voz alta, e clara: a Diva... depois fomos para as revistas, os livros, juntando com os diálogos dos moleques do velho São Miguel de 1960, pólvora, estilingue, morte, balão, ,quadrado, papagaio, besteira, campo, bola, carrinhos, peão, fieira & frieira: os pés na terra dando corda no planeta: NOTÍCIAS POPULARES Mickey, fogo, linha, calção, sol, sombrinha. Há, voz nos avós, titias nas tinhas, primas nuas, portas de banheiros invisíveis, besta, arco-e-flecha. Minha mãe ria do padre, a irmã dela fechava a cara, mas ia ver o brasinha com sua missa jovem-guarda, vovó com terços por todos os lados rezava o tempo todo, mesmo na ação. Os nomes do rock, os nomes da mpb, dicionários de atualidades, enciclopédias no portão, jogo do bicho federal jogos de botões, criança crítica, trem trabalho fuga tezão bate lata dança de rodas cirandinha carnaval mascarado contar tudo para qualquer um e mentir na confissão está ficando pesado leva pra mim vamos tirar os coros das cobras pra fazer sapatos e cinta minhocas no anzol cavalos do diabo... semanas santas fábrica la madre de vero nique me disse que também escrevia mas lhe fazia muito mal e parou tentei convence-la do contrário como resposta um não não quero mexer com isto mais não faz mal para a saúde e começou a empresa quando tentei conduzir para descarga pediu para mudar de assunto me lembro do dia em que ela apareceu com uns livros de mesa dos ricos tirar onda mas mudando de assunto já viram como escritores parecem políticos quando vão fazer suas apresentações mesmo aqueles engraçadinhos que contam piadas fazem trejeitos um desses sem parêntese falei que a galera estava querendo pegar ele por ele ter contado lá em sampa que o outro local aqui estava ganhando concurso dado por sua própria instituição ele falou não tenho nada que ver com isto não sou inocente brincando e pedindo a conivência da pequena roda em que estava metido diferente de chegar sentar esperar a sala ficar quieta e começar a leitura conferindo nos olhos do público se estão hipnotizados como vi a outra que usava todo o corpo na expressão forma resolvida modelo 4x4 todo terreno rima lá que eu rimo cá e quando chegou a minha vez de falar os meus atropelos mandei um depois dela ser impossível dizer pois o público estava todo com ela era melhor ela continuar porque minha latada não era para carentes de ouvir a mesma coisa e a outra no clube tomando sol e eu apresentando-lhe o alemão ela fugiu assustada com medo de sair na foto ora bolas o alemão não gasta um clique com pessoas assustadas e eu estava mostrando para ela o que ela perdeu quando não me mandou para a fotografia e eu o que ganhei não indo vingança o escritor se vinga de quem não sabe ler versus escritor oferece outra leitura...        

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Sim, nos encontramos, e tentei me fantasiar daquilo que te agrada

Aqueles que fizeram publicidade sabem o quê o freguês quer é só dar uma olhada nos produtos que estão ganhando a concorrência e mandar outro semelhante com um pouco mais de brilho talvez um desenho mais ousado fiquei olhando ontem no Gilbertinho  e eis a moça que me emprestava os livros estava vindo da academia trocamos sorrisos com movimentos giratórios de mãos enquanto ela entrava no carro eu com minha nega rumo ao banco Esmeralda lembrei seu nome o sinal verde para levar o livro quando quando o Peixoto não estava presente aposentou também ela que veio das Minas um encontro casual ali ela não tem livros para me emprestar e vê que estou lendo outra coisa e escrevendo sobre o árabe não precisamos apertar as mãos nem interromper nossas trajetórias ela é mais uma mineira do meu caminho que me viu diariamente na biblioteca conversando cabisbaixo com quem eu não conheço minha vida de dar mais atenção ao que não conheço mas lamber e cheirar os conhecidos tão bonitinhos e bonzinhos e inteligentinhos todos os meus conhecidos todos com o chapéu na mão o quanto de afeto me é permitido mesmo ô você do português sonoro diz aí o mano das palavras raras como é que é seu jacinto da banca quem vai bancar a minha correção molambos maltrapilhos trapos farrapos panos esgarçados pele de porco tecido manualmente com boa agulha linha do mesmo tecido e tempo suficiente pra trama ficar o mais perto possível da costura imperceptível de todas que me atenderam ali Selma foi a mais eficiente pois completou Os Caminhos da Liberdade me trazendo Le Sursis da sua própria coleção particular foram as suas palavras gostava de Sartre e conservava um ar de intelectual francesa em muitos dos seus gestos fiquei intrigado até onde ia as suas leituras que pensava ela sobre a responsabilidade do existencialismo e aqueles meninos paulistinhas disputando a figurinha carimbada tirando onda de intelectual no sebo sentados ali na minha frente postos em roda pensando que eu precisava da edição deles porra eu estava mostrando a minha edição mano sei editar do jeito que me vale a pena vou voar de planador alemão: Silêncio & Frio...        

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

O vagabundo que queria ser cão de família?

Meus mestres pedem mais que piedade eles querem a minha cama a minha comida e a minha diversão com seus narizes com mais receptores de odor que o próprio corpo me avisam de cheiros que chegam ligam com o ruído e se for preciso fotografam de onde estiverem com raios maiores estão sempre lendo o ambiente somos complementares nos servimos do que interessa ao conjunto dentro da rotina deste espaço posto a fotografia deles dentro do ateliê o Lance cheira a madeira que ficou 15 anos estocada na Coima a Naomi sabe mais de madeira que ele e não aprova a minha chegada com a máquina na mão meu avô Walter Benjamin disse que é pra por legenda nesta porra meu disto meus mestres não sabem não sabem sim seus arquivos são bem resolvidos se tiver qualquer substância de ligação montam uma reação conversam com outro elemento além do invólucro sabe porquê aqueles que pensaram leram ou escreveram ou leram e escreveram por não ter nada mais interessante a fazer sou capaz de criar sombra onde preciso ver no escuro eles saltam mais correm mais mijam mais dizem que vivem menos mas nenhum de nós ditos homens viveram por 10 anos com a mesma intensidade a mesma semiótica com a mesma fidelidade assim está bom eu e meus donos estamos todos bens se for preciso fazemos o serviço você quer encomendar um quadro os nossos são este pode pegar só não levem os nossos donos pois hoje só encontramos no máximo guias de cego mico de circo exército da salvação estas coisas chatas de saídas programadas ração casinha aqui a brincadeira é melhor palavras sons cheiros diversos o padrão vem sempre incrementado um pus de início meio fim o dono leva pro mar pro rio no parque na rua no mato de carro de bicicleta desconfio até que ele tem vontade de ser cachorro mas não vamos confessar a nossa vontade de ser gente agora começou uma orquestração de quintal para quintal alguém desce a rua amarrado por corrente homem-cão confere porta por porta quem late quem quem fala quem?

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Courier é um tipo canino?

Daqui de cima vejo as luzes das suas prisões enquanto meu trono me enraia já pertenci a várias tribos olhei muito por eles rosnei latim cavei enterrei me deixei prender mijei nos seus postes virei latas nas suas lixeiras dei plantão nos palácios e nas suas escolas de sabedoria nos apartamentos e barracos nos bares e nos hotéis plantões de graça e plantões pagos uns dois ou três tiveram coragem de chutar minha bunda se carrego restos de cordas embaraçadas no pelo apenas saídas sem permissão e este horizonte cerrado nas velas da minha bananeira descortino à deriva do alto do barco-casa-própria meu focinho minha sobrancelha minha coroa da última tribo denunciam a origem da fuga dá tempo ainda de percorrer mais uma hora antes da próxima falação ou quem sabe uma partida de xadrez antes do amanhecer...       

domingo, 11 de dezembro de 2011

Tudo significa sentido

Neste barco, mar dita língua, sempre muito mal dita...minha nave casa...meu barco de morar em movimento. Do descritivo. De certa ação reflexiva. Troféus no céu.
Aquele que ainda tem na amizade regras sem poder dizer me dá mais ainda não encontrou a semelhança, ainda se faz de amigo.
Se um dia um grande filósofo falou que o cão é pidão foi por não querer simplesmente dizer que o homem é a mesma coisa com defeito ainda de não querer defender quem dá.
O cara me dando & eu ainda falando mal dele.
O filho da puta não sabe dar direito.
Qual é o limite do mesquinho?
Quem sabe receber calado?
No bar eu mandava bem, mano, já tinha trampo, família, casa & etc, principalmente muito de etc. 
Antes foi de passagem.
De 85 a 97 fui em vários infernos com toda a intensidade possível... 
Eu precisava conhecer o resto das camadas.
Ninguém resiste a uma boa conversa molhada.
Quando eu te mandar falar do nada.

sábado, 10 de dezembro de 2011

Sai fora mano, isto é muito pessoal!!!

Para as minhas três filhas eu deixo o Emílio e os meus erros como legado, mas sem exigências de leitura de ambos, na infância já sabíamos fazer destas máscaras...E, já que estão mais atrevidos, vou ficar mais clássico ainda: assim que fotografo o cinema através da televisão, é o gibi que aparece.
O Escultor do Vento: Carlos Malta, ligou seu compressor na minha alma, ontem no Clube do Choro. Estou com o turbo cheio...vou procurar soprar melhor...caí em domínio público em vida.
A estrela Leminski guiou meu barco adolescente, antes da estrela Poe guiar, hoje a estrela Leminski  ainda me envia o seu dicionário, quando preciso de um tijolo para jogar na parede: o teste do gato...ela manda...eu mio...
A fotografia abriu sua loja de acessórios na rede, vai pegar peixe grande!
Dentro das minhas manifestações artísticas costumo esconder um brinde, mas só aqueles que gostam de desembrulhar papel velho irão chegar ao verso perfeito.
Não tenha medo de parar no lixo!
O Clube do Choro ainda é um bom lugar de estar.
Pedalei antes.
Caminharei hoje.
Amanhã meto um Eixão.      

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

É para este público, que não posso me revelar?

O dono de Em Busca do Tempo Perdido usou a asma no social?
O cara estava dizendo que ele morreu porque não sabia tomar banho só?
Só que o cara que disse isto iria sumir em fuga desaparecer no discurso da guerra?
Tem um filho de uma amiga minha que faz um papel de erudito clássico que comove qualquer um me aproximei lhe fiz uma pergunta simples e ele ficou não me toques respondi com uma oferta de mercado.
Segue as formigas: tem açúcar no final.
Aquele que está com vontade de escrever vê o resultado nos filhos?
Uma caneta alemã e um texto árabe dá mandala?
O MOMA exposto durante a sua construção está do lado do monitor: WESELY?
O tempo é surrealista.
Enruga a cópia, estufa a moldura.
Livros infantis querem B&W.
A fotografia o desenho a pintura o Movie a escrita o comportamento criam realidades de aparências.
Você sabe o quê é realidade de aparência?
DENOREX 
A tentativa de marca d`água é válida?
A pretensão do texto é a mesma da vida.
Ontem enquanto esperei para marcar a vistoria na polícia especializada li 60 pg. e foi me apresentado um Subaru Impreza & uma Mercedez Benz classe C, além da paisagem antropológica, é claro?
O povo está folgado até dentro da polícia, mano?
O meu silêncio e a minha educação prevaleceram: fui atendido mais rápido.
Um menino cagado subiu em mim & impassível continuei a leitura.
Imagino o chilique de outras pessoas?
Minha tia diria: "...ora, minha senhora, cuide do seu filho, dá licença, vai!". Eu? Nem isto.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Estas se alimentam de aroeira

Segura que é sua, titia!
Antes de sacar, solte as amarras!
Vamos trocar histórias?
Minha formalidade é clássica.
Meu espanhol que xote...
Meu inglés admirável mundo novo...
Minha língua maternal...
Bebê ninho.
Minha agência me sustenta.
Surrealismo é qualquer criação de mundo.
Chego sem ter partido.
Esquerda direita vou ver sentido descansar fora de forma marche!
A soma das ilusões me faz perder os sentidos, prima, estou em dúvida quanto aos países baixos ou o plano da Bélgica as secundárias alemãs ou vou logo pro nudismo sueco??? 
Aqueles que já se fantasiaram antes de mim, por favor, o camarim tem espaço para todos...
Teatro da construção.
Teatro do trabalho.
Teatro da família.
Teatro irmão.
Quando ajusto a segunda pele & encaixo a sapatilha: vamos rodar!
Quais são os conselhos antiquados de hoje?
Este tablado é para minha dança?
Esta lona vai gozar com o meu beijo?
Piso macio poupa articulações.
   

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Objeto aberto

Objetos são leituras prontas para entrega.
Objeto de leitura: pronta-entrega.
Objetos de leitura, estão prontos a se entregarem.
Objeto entregue à leitura.
Objetos estão prontos para os leitores.
Objeto deixa-se ler.
Objetos lidos para isto.
Objeto, leia.
Objetos de sangue.
O B
Pode usar diariamente.
Uso diário.
Mini.
Tamanho família?
A minha virgindade é esportiva.
A poesia, já com alzheimer, escreveu seu último poema, com muitas palavras...
Objetos, ou modulados?
Objeto-módulo quer sair na revista, se encontrar alguém só, vai mandar pro brechó.
Objetos namoradores.
Objeto-peça-rara.
Cuidado que eu uso o dicionário da sua mulher!
Quando cobram sensibilidade, ou qualquer sentimento, é porque não nasceram para a humanidade.
Na Coréia o paciente ao saber do mal de Alzheimer concerta a família e parte para às águas.
Escrevo poesia porque ando esquecendo as palavras.
A governanta do derrame fudeu com ele. 
Quando me disseram difícil fiz fácil.
Quando me mandaram encerar a casa não foi a preguiça que falou mas minha tia com o escovão na mão sofrendo com a cera e os tacos: aquilo não me interessava, todas as coisas dos adultos poderiam ser melhoradas em brincadeiras.
Nunca acreditei em vocês depois dos trechos.
Nunca acreditei em vocês depois dos testes.
Nunca acreditei em vocês depois dos textos.
Não tem importância.