segunda-feira, 30 de abril de 2012

Ele estava na minha roda!

Bicicleta que roda ou bicicleta pra rodar sempre fui metido a falar.
A bicicleta fixa está ganhando mais aparências que o cubo dado ...
The fixie norwshi-=- vai ao classificados!
Minha primeira era uma fixa depois aprendi a depenar deixar nua nuvem camelinho pedalada descascada só o que precisa pra pedalar & parar, mas já parei muito com o pé.
Faço questão de deixar o manual!
Nunca fui homem de uma só máquina!
Mais agulhas mais linhas mais panos mais botões bota na sexta quero mais 54, é, que que tem ter 108?
Como dizia um dia um velho ribeiro: "não vale bosta nenhuma!"
Marco Aurélio também!
As reflexões e as cartilhas só descartam quando batem de mão cheia.
Se faço entender quem sou vai pesando pra qual lado?
Os personagens foram dar uma volta ao lago e um louco de São Paulo cortou caminho no Dom Orion. Sempre. Mas, nunca em competição. Treinava menos mas fazia a prova toda estudava menos mas respondia tudo mesmo o erro o não saber já operei com o não saber.
O precipício é meu amigo, ele é o único que avisa sem querer colar.
As piadinhas de fazer corar em público olha ele num põe nem vírgula que pecado não sabe escrever, mas lê o tempo todo, quando não está com as ferramentas do José, ou cavando a terra, agora deu pra escapar, comeu pé de cachorro na china...
Vocês foram os melhores que arrumei!
Os meninos que passam trocando mas vou com vovó ao centro as vezes mamãe trás titia tem sempre papel!
Sempre brinquei de viver em paz mas numa guerra que nunca me permitiu ir ao banheiro sem dar descarga em reflexões...
Fala meu soldadinho de predileção!
Aquela necessidade de experimento nata, com nata!
Também tomei muito café com manteiga!
Pão branco, um pouco de leite...
Já tem mais de 4 que voltei a ouvir os pássaros...
Ou quase isto.
Não troco nenhum desvario meu por nenhuma das vossas certezas.
Disto sei, ou se trocar,  é porque não quero nenhum nem outra.


  

domingo, 29 de abril de 2012

Eles sabem isto melhor

Paris depois da meia noite de velo.
Livros clássicos pintores diretores de cinema & bla bla da época.
Urban Photo.
Robson quando morde ísca ainda não pegou o peixe.
A arte gosta de passear pela arte.
Livros imaginam imagens com a tranqüilidade do papel!

sábado, 28 de abril de 2012

Enquanto tomo banho meu chuveiro vigia

Facebook: confirmação de Andy Warhol!
Um fala que é perigoso o outro fala que é trabalhoso eu digo que fico feliz quando escapo me cuido quando fico e quando no pelotão o silêncio me ajuda no equilíbrio já falei várias voltas ao lago e quando não queriam mais papo eu ia embora é uma delícia escapar disse a Dercy! Meu Manuel não é leitura de ninguém. A alimentação também faz parte da questão o seu prato histórico não é mais antigo que o arroz integral andei pela china bem mais que qualquer viajante milhado estive nos estados unidos tanto no lago quanto em cima dos trens New York é minha com Jagger & Auster uma Alemanha em muitas técnicas: conheço esta bola de sinuca em muitos bicos muitas tabelas, capangas de receber bolas empurradas por tacos de madeira com ponta de sola o giz azul do céu lugar meu lugar de enfiar o pau pra bater na bola melhor.
A fixa que crio com todos os componentes da sinuca pra andar de terno no dia da pedalada pelada na paulista: roda!
Enquanto mofam conceitos nas curatelas...  
Sony G lithium ion NP-BG1 no carregador.
Amanhã tem meio homem de ferro no pontão.
The Doors risks rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrs
Na segunda pego meu cartão de 54.
Caso me lembre...
Não me dá trabalho lidar com quem acha trabalhoso viver e aqueles 15 minutos já foram reduzidos para um curtir, curtiu?
Quanto ao preço da arte, posso pagar de acordo com o desejo, é que desejos mais dentro descartam desejos de sugar blue.
Mas...
Porém...
Entretantos, sigo o fluxo de trânsito! 
  

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Conversa de galgo

!100 paisagens !100 livros !100 perguntas !100 labirintos !100 precipícios !100 amores !100 paixões 100 segundas intenções...
!mil
? espanhol blanco tem um aro de madeira empenado!
__Trema por Noruega.
Espante um grego!
O sabor da fruta no pé é um livro comido na sombra. Ainda sobre o sabor, sabe que palavras amargas são boas para o fígado?
Me sirva uma pêra a lá Bizé!
Aquele contorno pelo Walden, faço quantas vozes ainda?
Não é de vez, está madura...esta moldura confunde as suas águas, os seus montes & montanhas. Fico na estrada, nu em cima de uma 

Arndt Menke-Zumbrägel | Produktdesign


"Good morning. Check out this killer wooden bike." Lance Armstrong on Twitter.
Uma navegação tranqüila pelas melhores estradas alemãs...
É bom desenhar só para si lá fala dá ré!
Os gatos quando pedalam transformam patas em rodas: MAVIC.
Mas, tudo bem, pode fazer cara de paisagem e ouvir baladas,comer doces, também vale! 
Sei que tem isto aquilo mas outros arquivos mais volúveis me deixa mais volátil!

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Veja como posso mudar o desenho!

Porque ele encolhe os braços quando vai comparar?
Pensamento, ou fofoca?
Não, não vai ser com "p", não!
O cara que escreve "X" sabe que não é marco zero de nenhum projeto não contribui com o conhecimento das grandes verdades, e só parou na sombra pra ver e ouvir os pássaros pegar fruta tomar água dormir sem medo...bla bla bla...
Meu amigo quer arquivar Brasília, ajudo.
Vamos fazer em alemão, e lançar por uma grande editora Brasileira?
Que tal se dermos todas as soluções para a cidade grande, vamos fazer tendas por cima dos blocos das asas?
Vamos trazer um sociólogo sensível-colecionador?
Fica quieto e olha congela tudo a chance de ser alvo diminui!
A longa distância ajuda a envelhecer com dores endorfinadas.
Vamos verbar a verba do verbal?
Estou escrevendo meu relaxamento matinal!
De todas as matrizes fico com as duas rodas só para demarcar o percurso, e só te boto no carro, porque é lá que você gosta de conversar por quê por que por qual!
Até que enfim meu pensamento virou sustentabilidade, estou pensando "Bicicleta", desde o saco do meu pai: no banco Brooks...

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Dá pra fazer uma bicicleta com este texto?

Uma moldura para telas com conexões de seus acertos de enquadramento mas a conexão internacional não passou continuo na parada o papo está legal dá de levar até o fim do filme sem perder o estímulo a manutenção do corpo está numa fixa de bambu com cachimbos de carbono aros também aro 24 roda podendo colar na caixa de centro gancheira de pista quadro diamante clássico sem nenhuma aresta para cabos ou freios que não a haste do contra pedal garfo suficiente pra pneu kojak 3.0 guidão quadril dobrado sugere oralidade caixa de direção Suiça cubo dianteiro também 3 raios em cada roda canotes de carbono look banco brooks de competição punhos de bambú imitando meia calça com ligas a relação pode ser gates belt drive 11x 28 RCA em vermelho cor de sangue nos três grandes tubos do triângulo principal pés de velas vazados de titânico material recebe pedais-clips onde prender sapatilha italiana o resto um bom asfalto liso sem carros ou transeuntes desvairados que não consigam ver aliança banhada a ouro prendendo o canote de banco e o Whippet do mesmo sangue em baixo relevo no tubo frontal: meu primeiro desenho de bicicleta-fixa para o 13 realizar!          
    

terça-feira, 24 de abril de 2012

Minha clarabóia, em noite sem lua, fica opaca...

O Português saiu por aí pra ver se compra qualquer coisa barata.
O português faz negocio.

Verso oco serve pra soprar setas.
Espaço, com tempo lá fora, se exibindo para quem queira ver!
Nossos artistas sentados em receitas de formas...
Vou precisar levar quantos pra pensar?
Tudo bem nós pensamos isto mas temos que agir assim se não pensam que somos esquisitos.
O cara vai tomar banho depois passa aqui pra ir no guará quer me levar para desbravar o que sobrou da tentativa de cidade...
A língua dos periquitos pedem mais sementes de girassol!
Roda e avisa um minuto para os comercias do chapinha!
Alô dona Terezinha finalmente os caras quer por a senhora numa grama bacana sem divisas de quintais, mas a má notícia é que a porra da cruz faz parte do pacote e não tem nenhum alinhamento puro ninguém usou a merda da geometria, e isto mãe com o Oscar ainda vivo...
Estou falando com a minha mãe que já morreu, meu!
Tudo virou anedota de borracharia, precisam mandar pneu que não fura...    

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Estamos gordos, mordidos, mas ainda estamos no ar

A cabrita da minha infância virou rifa.
O morro do bairro dos pimentas era uma das realidades.
A feira era internacional!
O menino que não deu conta de escrever uma frase teve que repetir mil vezes!
Minha viagem é a próxima página.
Ela me quer!
Vire!
A página.
O único livro que não para de virar página por você.
Meus periquitos hoje tiram sorte de estar!
Estou, por enquanto...
Não vou ser amigo daquele fantasma que não para de lamber as paredes da cidade!
Fui apresentado por amigo sem muito zelo, não zelou por mim.
Forcei a barra pra ser seu amigo, diziam que você era elitizado, achei gozado, você ria muito, tornou-se um bom camarada, mas tenho que mudar a palavra pra etilizado?
HS formaria uma boa sociedade entre estes meus dois amigos que não se conhecem, mas são bem parecidos em tratos sociais...
Menos mal!
Já tive piores!
Antes eu ia & colocova modos!
Hoje espero uma próxima vez melhor com toda a tranqüilidade do colombiano da unb com suas carreiras brancas esticadas sobre o tabuleiro de xadrez: tranquilo... 
Combinamos ontem de ficarmos quietos só esperando os passarinhos, colocamos a comida, e ouvimos quem canta, quem pia, quem soletra as frases dos outros...  
METAMIL
Três gotas na língua...

domingo, 22 de abril de 2012

Quem acertar na sombra leva mosca

Inventaram um programa de identificar pessoas públicas vai te perguntando mora no brasil é ligado a esportes esteve envolvido com política é loiro teve problemas com a policia está relacionado entre os famosos é escritor gosta de dar festas monumentais de incomodar condôminos sua língua de uso é espanhola fez parte de programa de televisão é um roteirista de cinema vai jogar pra derrubar cuidado estão anotando o que você disse de sim e não & não sabe comigo não descobriu o integrante menos famoso dos secos e molhados nem o maior da Guatemala perdeu o transplante de coração demorou no domingo brasileiro poeta do rock acertou até com uma certa velocidade mas aí eu já estava contando de acordo com o tema com o momento estrelas dos santos é um dos mais pedidos bem qual é a estrela ainda os mesmos auditórios babacas da década de 50 mas acham que evoluíram por sistematizar o imã vou dizer todas as capitais do mundo em 2oo segundos será que ganho ok vamos formar um grupo de 20 pessoas uma na máquina outra no dito cujo e as outras 18 anotando por setores as variações assim chegaremos no segredo de nos transformarmos em uma pessoa pública famosa de acordo com o perfil mais excitante tem mais de 50 anos que ele cometeu o crime sim foi morto pela polícia virou letra de música o meio intelectual entrou em sua defesa e se mexermos o mingau um pouco mais vamos chegar naquilo que você pensou ou seja os seus arquivos variam de tanto a tanto em se tratando de quanto em quando amigos este programinha está alimentado com quantos famosos públicos da área do poder quando descobrirmos como chegar lá quantos cruzarão a linha de chegada com o mesmo tempo na corrida pelo arquivo ganha quem tiver as passadas mais longas o a maior freqüência de passadas estou arquivando desejos secretos para que possam ser revelados naqueles mais polidos o reflexo estava no polimento do meu interlocutor desgrenhei os cabelos e os olhos gelados perguntaram ao outro, é?   

sábado, 21 de abril de 2012

Veja onde estou colocando as gravatas!

Querido, sinto muito mas não dá pra mim não, eu mudei fui pra Noruega, lá eu ando de bicicleta, reformo barco velho, e não dou a mínima para os tropicões dos outros, seja bienal, anual, ou festa, café, encontros em livrarias ou associações!
Quando se escreve mudança, não tem volta, nem para os amigos mais íntimos. Mudamos. Como prometi: não sei nem a língua local!
E, não vou ficar falando bem daqui não, se não você muda para cá!
Porra se volto um ano depois só pra pegar um papel, e o único conhecido que encontro me vira a cara. Não sou mais necessário.
Vocês também mudaram, incluíram um perseguido, excluíram um jabuti!
Esconderam os velhos que restaram em outros andares!
Como assino esta troça?
O simplório não sabe do simples nem um ponto de interrogação!
Sabemos quem está controlando, e do seu alcance, mas não interessa. Vamos fazer como fazíamos na infância, vamos brincar de outra coisa, longe das vistas dos adultos.
É muito bobão trocar de mão em mão pra que cada um coloque o seu sabão.
Por isto que o Nuclear Explode!
Sem estados.
Mas, sabem, né? Se quisesse estaria lá, não tenho problemas com nenhum deles, assim como não tenho com os ladrões, nem com os assassinos, nem com a maçã, nem com os vermes. Entro e saio hora que quiser, e se brincar ainda crio clima...mas...mudei!
Um amigo me visitou ontem, jantou comigo, e, me disse que a taxa de permanência aumentou, vou levando, qualquer coisa mudo pro espírito santo e vou viver com meu negão: NEGO!
OU, Suécia!
Dinamarca!
Finlândia?
Áustria?
Qualquer lugar sem língua...  

sexta-feira, 20 de abril de 2012

Coador de molho de chaves

A intenção de escrever doce me amortece...
O sapo quando serviu de desenho sorriu...
E, quando se trata de trato, ele vai bem ao...
U roceiro não gosta do O
i, dispensa uma maiúscula de vez, em quando.
Pela segunda manhã jogam pedra no telhado
Concentração alemã é magra?
Não me diga que nunca brincou com o não até todos ficarem querendo um sim, não?
Vi cu caverna com fogo no surrealista de samba.
Assusto a palavra.
Quando passa um elefante as rodas da paz olha e vira a cara desbotada de separações e ongs...
O cemitério mercerizado cobra pelos ossos.
Fiquem com os ossos de mamãe pra fazer sabão!
Se a instituição não cuida do osso, qual o mal de enterrar no quintal?
O poder de fazer não é literatura?
Só quando todos saem cuido de mim...
Além do mais as lâmpadas da consultoria estão sempre sendo trocadas...
Puta mpb quer uma pêra da plantação do Mick?
Lembra da madona anotando os deputados?
Brinco de pedir mais uma clássica. 


quinta-feira, 19 de abril de 2012

Quer jogar com os meus dados?

Eles eram uns santos alguém vai dizer de quem disseram monstros a história nunca pode avaliar cotar arquivar os verdadeiros sentimentos a Brasília que se quer lá fora nunca foi a Brasília que vivemos assim como a minha pernada em Berlin não será a sua viagem de férias não vou fazer compras não quero saber onde fazem isto ou aquilo não vou precisar de repartições o escritor não precisa ir na bienal do livro apenas o livro me disto daquilo das falsas falas você conhece aquele escritor ele escreveu isto e aquilo coisa de quem não lê não escreve não vê e não fala não ouve mas sente que é uma beleza por todos os lados um sentimento só não deixaram o viciado em carregar defunto pegar na alça do cara mais importante do lugar ele mandou todos enfiarem o defunto no cu enfiaram por devida obediência afinal quem carregava defunto todo dia tinha direito de mandar manda lá que mando cá se fazer de inteligente é o produto mais vendido as mensagens estão nas pontas dos nervos todos estão conectados aos dados não aos meus pois este eu quem faço com vinhetas francesas com brinquedo de rato com filtros fotográficos com acrílico das luminárias do anexo 3 CD jogadas fora antes de qualquer eco meus dados não serão jogados por qualquer um jamais virarão um padrão de 6 lados de 1 a 6 escolha um dos seis lados e não ficará sem nada diz a geometria enquanto digo difusor filtro treplica buraco coração chave binóculo infinito bicicleta treliça fundos fotográficos do meu studium: punctum!   

quarta-feira, 18 de abril de 2012

Fiz uma sueca

A perspectiva é venida na enxurrada esgrimo : o plano das quentinhas com pitombas só daria certo com wodka sem gelo e conivência em se perder nos próprios preconceitos onde sou fraco deixa que eu me jogue você é um purista que só quer rodar na máquina de competição o barato do exercício me conecta com outras solidões esta farsa de escrever ou ter entendimento com os homens cada vez basta mais quando me vendo em encontros formais dá vontade de fazer soneto vai ver filme feliz ação aventura suspensa nas cordas do drama ela era de circo e sabia que desmontar em movimento era resultado de muitas quedas terror chanchadas cultura do curral opções de discursos hoje ele está tão diz o curso!/?..: colocaram alguém no tanque notícia palavras de passar tempo cores ao se curar o primeiro pedaço é do currador disse a francesa.
Não era pra ser direto?
O plano do objeto não depende de habilidades especificas.
Se minhas imagens fossem consumidas sem saudades, qual troféu faltaria na estante?
OK! Vamos ao Leonardo! Mas! Vou de bicicleta de estrada! De lá pro serviço! Um homem suado! Bem antes de hoje. 79.
78: caminhadas no barro do parque novo mundo, rumo a dom vital!
Trampo mano, trampo, acostumando a trampar, ato de pura covardia, quando se sabe que não se é de trampo, desculpem tudo que fiz fora da imagem!
Sofri & vi!
Gozei!
Chorei!
Trepei!
Falei?
Ouvi?
Li?
Pensei?
A palavra que me alcança bate papo até na chegada, depois que bebo água, barato de ëndorfinas...

terça-feira, 17 de abril de 2012

7x7=49, 6x49=294, 294:7=42. O dado conta?

Os quadros, as soldas...
Finalizar o desenho...
Encontrar conexões...
A superação do outro...
Nossos corpos...
A imagem da inteligência do corpo...
Vamos falar ler o quê nas próximas seis horas?
Passou rente, aprende serrar direito, o encaixe tem que ser preciso...
Não me dividi naquilo que eles queriam no trabalho.
Ainda vive infância, puberdade...e as outras fases!
Nada pode comprometer a propulsão.
The Frame Handmade BicYcle...
Bambu tratado, com junta de carbono...
Nossas máquinas são motivos de grandes desenhistas antes de Da Vince?
Não, querido, eles quase não fazem uso do lago, talvez os seus agregados...
Folhas de bananeiras estão querendo dizer mais.
A máquina que corta a grama ainda faz muito barulho, e polui!
João-de-barro salva, com canto e construção.
Reticente de novo...
Vamos ao quadro...
Unir varetas...
Rua e Via não têm a mesma calha.

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Minha bicicleta de neve

Vou ser quase acadêmico que é de Hä CadÊ Mico que foi de banana onde um movimento vamos fazer balão grande que vai mais longe?  O cara ter um problema na língua diante de estrangeiros! A sobrancelha deixa sobrar uma distância de fio maior incomodando o olho a mão que ainda não cortou manda um dedo por enquanto.
Sobre todos os aspectos primeiros com vistas para o mar.
The MALA BARES man!
Manda um canal de fazer quadro de bicicleta mais inteligente e mais barato pedaláveis eficiente em exercício bom de guardar resistente às intempéries com crase a caseado parece um bom quadro se resolvido posição e divisibilidade ao dirigir bem equilibrado princípios de duas rodas são mais exigentes 4 é metade de oito que deitando leva para o infinito que puto de ser cortado dá só uma certa finitude dentro da performance de qualquer coisa.
Finitude craseada intervenção urbana ponto com.
Ligeira paixão por duas rodas silenciosas.
As elétricas surgem do nada.
Olhar na África: as bicicletas de bambú!
Pode ser, mas também tem AUDI de madeira.
Vou fazer a minha, depois mostro!
A de papel japonesa até agora foi a mais intrigante que li!
Bicycle Hand Made Frames.
Vou fazer a inscrição!
  


    

domingo, 15 de abril de 2012

O peixe nada em seu próprio corpo

Olá minha escrita, em sua defesa não vou escrever nada. Basta de entre pontos. Quero te ver naufragar comigo!
Todas as cartas derretidas no mar.
O elemento humano que faltou não deslizou na língua de ninguém, para outras bocas?
Ainda lêem, sim!
Sempre vão ler, em qualquer coisa, sempre lerão, sabem do volume da montanha, o frio que faz não dá resposta para o calor, não...
A palavra nunca pediu emprestado a nenhuma coisa, só para outras palavras, lavrar a terra é desenho sem exposição, furar buracos, e tapar, tornar a furar, terapia ocupacional descontada em suaves prestações, carne bloco bilhetes rolar a bola enfiar pra gol chutar pra frente enfiar um ponto.
Trava em 80, por hora!
As partes de 60 ainda não tinham sido contaminadas e aquela lambreta velocípede foi o meu segundo pedal os óculos de gatinha a gola volta ao mundo as calças de bocas de espingarda capa do zorro máscara negra lenço de Durango kid antes do rock já fui búfalo bile robin irmão do batman saia com seu irmão mais velho de segurança aprenda a olhar com ele vê como faz é interessante respirar nossos ares são bons está valendo uma nota sabe aquela natureza que inventaram uma vez para nós hoje é sustentável dá emprego para os ribeirinhos salva favela o tempo todo estão tratando os nossos melhores com mas higiene e dedicação afinal estão comprando barato os nossos bens naturais para passar como creme em peles finas mundo a dentro aproveitem temos muito mais venham nos ensinar a fazer como vocês seremos bons aprendizes vamos buscar o diamante pra vocês direto da mão do tatu.
 Se quisermos aprovar um bom projeto temos que ir lá fora.
Eles também.
Produto.
Produtor.
A literatura pode ajudar o comércio.
Também.
Ela também.
Sem nunca querer ser apenas comercial.
Histórica sem querer ser história ou história da literatura.
Isto não basta.
Ela, quase sem querer representa todos os códigos.
Vai desrespeitar aquilo que quase sem querer representa todos os códigos?        

sábado, 14 de abril de 2012

Nadam de costas, no sangue...

Ele vai me seguir de novo siga ali que sigo lá.
Ver as coisas como gostaríamos que fosse, ou tenho outras coisas & conquistei minhas coisas, é que depois que você conquista fica como outra coisa qualquer dentre as coisas cuidadas.
As coisas com anúncios estão vendendo menos.
Envelhecer com o novo no colo é o fim do quadro.
Construam seus dados que eu já tenho os meus.
Você ainda testa o sistema nervoso com empurrões?
Se colo selo do rei, desgrudas?
Hei! Dona gramática! Posso levar sua filha pra montanha?
Nunca perdi minha filosofia?
Quando estivermos nus dentro do dado de vidro um céu de aurora boreal será o frame do silêncio?
Posso nevar no meu blog à vontade?
Acho que eles estão com todas as nossas conexões o dono da rede não para de mamar é por isto que estamos na época de seios grandes ria bags bolsas infláveis segurança de si por ti!
Se for muito cheio e grande não precisar beijar!
Uma frase seca serve para começar o fogo!
Uma pergunta gera uma questão?
Um ponto final encerra a perseguição.  

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Quatro dos meus dados

A luz é descritiva, o escuro fala sem ver, só o branco fica calado, mas o que falam dele não está escrito. Parece que não existe mais nada além de denúncias o produto comer ir ter ver sentir.
Sim sei que nunca administraram & estão longe de administrarem: nenhum clichê calça o meu sapato amarelo e verde para ping-pong!
Me traga chá, quero ser livro na mão sem amarras.
É redondo o meu quadrado!
Se subir vamos olhar até desaparecer.
Peguei alguns daqueles que fizeram tudo certo para ver até quando virou um pisca pisca ainda fiquei com saudade, será quem pegou ?
O psicólogo com todos os dados de Proust ainda tem que jogar!
Os dados não entram no xadrez.
Bolas de sinuca cheiram marfim!
Aquelas peles de gatos pardos ironizam o meu leopardo?
O meu personagem tem dois metros de altura pesa cem quilos e corre mais rápido que a Jamaica nada mais que o tio samba é o mais veloz dos velódromos descansa lendo outras linguagens sabe a solução pro político ladrão é boa praça e feliz fundão: acrescentem coisas boas nele!
Sua namorada tem a mesma perfeição mais leve dez quilos.
Eles vão ganhar os jogos sete vezes consecutivas, vão escrever livros de mundo melhor, vão deixar exemplos de vida sem máculas...
Ainda não terminei de desenhá-los. 
    

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Vou clarear o morro

Um sentimento fica de terça pra quarta.
Uma amargura de não ser alegre sem alcool!
Dois irmãos sem rio sem chico com pedra.
Quatro amigos se reencontraram!
Trilogia amizade sociedade alegria.
Quintessência da união!
Sexto sentido só sentido no sétimo dia sete: sibila.
Oitava acima finalmente assume a brincadeira: me passem alegria!
Nona do beto, ouvem, alguém bate na porta, vou abrir vovó...
Décima decadência manda um mando aí que eu quero ser.
Time principal em campo, reservas seguem sentados nas próximas frases!
Uma dúzia de bananas para quatro pessoas: cada uma come uma de 20 em 20km, regadas por duas garrafas d'água, vai ser um bom pedal...
Azar do número imposto!
Quatorze horas conversando?
Quinze é uma grande festa sem padrão! 

quarta-feira, 11 de abril de 2012

terça-feira, 10 de abril de 2012

Um acento circunflexo acaba de voar

Um quer bater bafo com a Mona Lisa, outro arquiva a amizade, tem quem põe mãos na cintura e diz veja sem mostrar...uma pá de branquinha com pré-conceito na fala...alistem-se, precisamos de mais soldados, para o maior rebanho da terra, alguns precisam de carne de gente.
A estrela faz o belo documentar suas mentiras não estranhas que revidam o deixado na estrada e tentam superar o mestre sem nenhuma substância mas com números ou o código cifrado musical restos de filmes voltam para casa com outro buscam Yasujiro Ozu fazendo contra ponto aqui e deixa flash de super dotado na boca da outra tudo muito esperto dentro das googleadas se o monge & o BIG BUSINESS me ouvem, quem mais precisa ouvir?
Misturar os amigos com os astros é desejo de ir pro céu.
Amanhã todos que pensam nesta cidade sairão nus pedalando suas single`s coloridas.
Você atropelaria um nu?
E, uma nua?
No!
Debaixo dos caracóis lesmas carregam suas carcaças.
É indigesto cru, cozido com vinho, desce bem.
Quantos chineses japon matou em Nankin?
A sua matemática foi acentuada nas esferas, ou não saiu do balcão do comerciante sem assento?
ë, singro lá o meu plural! 




   

segunda-feira, 9 de abril de 2012

O cara tem um motor pra subir!

Se alguém precisasse amar a história não partes dela mas sim aquele amo por inteiro não perguntaria e aquele que só deixaram falar o perguntado de acordo com um programa que não cansam de passar por aí respostas ao futuro o que estou dizendo eu deve ter é talvez tenha sempre tem apesar de nunca ser suficiente ou o suficiente para ser assim como é guerras impostas por poderes desde o bom selvagem ao mal-silício la mesma bancarrota os mesmos proprietários felizes e o produto mal usado o trem bateu pra trás é fala de quem não quer partir ouço na mesa do almoço somado ao bocejo do moço é um osso para o cão partir a fissura na matemática pode levar ao filosofar e os clichês podemos deixar em cima da mesa você não leu isto eu não li aquilo você lendo isto não pode concordar com aquilo leia as suas coisas e compare com a coisa do outro que você mais diz querer é uma psicologia do desarme não tenho nem uma máxima pra servir com este lanche se tivesse sobrado um verso talvez fosse muito curto para você e as minhas entranhas não andam lá muito bem irrigadas bolinhas de sangue o agente de segurança ao ser perguntado sobre ética mostrou barba branca deu no futuro o feminino mais sério do país os objetivos de um corpo mais enxuto não me deixam comer colóquio Oh Carol! Os Rolling Stones é muito mais que uma Banda são artes plásticas educação artística cênica performance televisiva circo cinema conflitos sociais história biblioteca you tube google olimpíadas teatro hospital cemitério souberam provar as delícias do céu sem tirar os pés do inferno estou aqui no palco o que vocês querem?      

domingo, 8 de abril de 2012

Uma pegada de passo, ou de subida?

Os que lêem manuais buscam pegar o jeito de fazer andar.
Eu parado aqui leio o manual sem título & faço andar.
Os pregos quando entram na madeira branca-macia magoam as bordas com tinta marrom.
Eu desentorto prego e meto assim mesmo pode estar enferrujado mas amarra.
Os sabonetes de hotéis confundiram um pequeno chocolate.
Eu bolha translúcida estampada de desenhos aquartelados por aquarelas de sabão.
Os dentes brancos é um sabre com fenda de lábios vermelho que liberam ou não a mordida.
Eu sentado no vazo sem câmara dentro.
Os tempos foram difíceis-fáceis.
Eu sempre comprando relógios bicicletas cachorros & sapatos.
Os móveis não são fixos.
Eu escrevo a vingança do analfabeto.
Os que se venderam por qualquer preço querem seus clichês de volta.
Eu pingo nankin na água viva o primeiro desenho.
Os desocupados jamais vão perder tempo com isso.
Eu aceito as cortinas pretas no meu studium.
Os Hair quando chegou eu já estava casado com filha emprego colégio Leonardo da Vinci Peugeot Bianca no quintal ninguém escreve ao zé ninguém escuta coronel a minha ditadura não fura filho da puta apenas acalma faz refletir as imagens os espelhos de ressaca é ruim de olhar...
Eu alongo os eu em melhores posições.
O acrobata no solo se vira com o que há.

sábado, 7 de abril de 2012

A equipe vai bem?

Estão vindo brincar mas com uma brincadeira pronta que não dá de entrar/
Anta!
Não é para servir os fêdéra do dêfê não?
Que tal um pouco de rum no café?
A minha opinião sobre quem não tem é pega a minha quando chegar na pergunta no questiolamento ainda assim iremos sós e lamentaremos sim a falta que nos fizeram nossos pares ou quadrilhas mas um lamento além da questão pois sabemos que questão não passa de uma pergunta as outras 99 dá uma boa combinação de V`s & F`s que com uma boa abertura chego nos fins de partidas!
Respira filho da puta!
As cifras nem as charadas nunca me interessaram mas eu jogo xadrez noite e dia preto e branco deitado e em pé vestido e nu bobo e esperto falante e calado produto e produtor proprietário feliz e sem nada triste rico e pobre reto e emaranhado moça e o complemento com as cartas e descartado deste lado e sem lado uma banda ou a banda do eu só.
A História Do Brasil começa sem o índio, que foi fumar lá fora, pois o diretor é careta.
A história de se comer gasta mais energia que comer os outros?
Letra Bárbara!
Estrangeira mensagem traduzida pelo Google deu entendimento de salvar!
Ouvi tanto minha voz alta que meus ouvidos estão reclamando, ou foi água canalizada por pelos longos?
Esta narrativa está muito fácil de ultrapassar pela esquerda ou pelo acostamento ?
Estantes com portas de vidros emolduradas em madeira de lei guardam os livros fungados.     

sexta-feira, 6 de abril de 2012

Bottecchia, Eddy Merckx, LooK, Litespeed, Peugeot, Bianchi,Colnago...e nuven-algodão-doce: azul!

O capitalismo comeu a América-Livre.
Vão mandar um teleguiado?
O produtor não vende.

Vão varar o chão?
Ão de achar graça!
O nascer verá.

Vertente instantâneo!
E, quadrinhos de brinquedo.
Rua de cabeça erguida no vamos fazer.

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Hora das provas

Perder tempo pensar sem a ação da escrita não estar escrevendo deixar entrar qualquer coisa querem te decifrar é tem cifras sim representam o acorde amor tive um pesadelo agora pega o ladrão pega o ladrão sonhei que durmo com o ladrão que o ladrão era o maneirinho da outra em Copacabana com seus óculos de borboleta preta é de doer mas cura o cura é de doer mas curra e aquelas frases de efeito mando de bico de quem viu o gol sai que vi gol véi tem que meter um véi de vez em quando não é nada perto dos véi deles que correria da porra vamo s montar uma prova de preguiças no central parque?
Será que a princesa russa mandava um ballet? 
Nosso Borzoi quando corre na neve: esfuma o branco.
Nosso Malandro quando desce a carica solta pedaços das máquinas.
Quando quero falar com alguém perdi o imã de atrair doido o italiano jura não mais falar mas fala o filho do espanhol comeu minha prima todas as grinaldas pisadas o véu quer rasgo quem tem galgos convive com o ballet da dança do corpo vinte e quatro horas por dia desde 81!
Vamos dar ênfase ao hilário ?
Ou vamos fazer?
Fazer com direito de provas todos podem experimentar antes do prato principal!
Aqueles que prestam conta em planilhas tem contador nossas palmilhas são amortecedoras, Ex-guias longelíneas eficientes se refrescam por poros do assoalho...
Um alemão de jogar tênis de mesa!
Amarelo canário com listras verde mais que bandeira!
Diz que não está me vendo?
    

quarta-feira, 4 de abril de 2012

Meus Carimbos de Estrada

Meu amigo tem um índio que controla o desejo a razão o poder: incognocível!
Ele não é antropólogo, é músico, assim como não é ciclista, é motociclista!
Meu amigo não gosta de gente, mas tem este índio!
Ele lhe permite tocar de bicicleta de estrada na estrada de terra de noite pelos interiores do Goiás!
Meu amigo tem uma bicicleta de andar no asfalto liso e bom, mas o índio deixa ele por na terra!
Ele monta o guerreiro pronto para levar morcego no peito!
Meu amigo não vai trocar sua bicicleta de estrada por uma de ciclo-cross!
Ele sabe andar de monociclo!
Meu amigo já caiu muitas vezes de moto!
Ele não gosta de pedal de encaixe!
Meu amigo anda de jeans botas pesadas e camiseta.
Ele não usa capacete!
Meu índio pede mais rapé de sementes de madeiras de lei!
Ele viaja sozinho!
Meu índio é da igreja de pau-brasil dum São Miguel Paulista!
O dele, mexicano!
Meu índio pagé!
O dele, xamã!
Meu índio construtor de igreja!
O dele, no mato!
Mas, meu amigo gosta de se soltar, assim que deixa a música, sai on the road!
Meu amigo é mecânico de soluções rápidas, dizem um bom mecânico!
Pode ser polemico ao desconhecido!
Nunca fui na casa deste amigo!
Nem ele na minha!
Meu amigo, quando encontro, sempre, ou quase sempre, rola boas trocas energéticas!
Tenho desses, também!

terça-feira, 3 de abril de 2012

_ Está difícil ficar na roda?

Vamos aplacar a inveja dando ao outro uma qualidade maior e o poder permanece sentado divagando em outras taras no próprio corpo longe de qualquer poder ainda posso relacionar-me eu comigo mesmo vou querer um pedaço daquilo devolva meu Proust pois na sombra das raparigas em flor você nunca quis sentar posso ser vulgar lugar de vulva não há camelos com triângulos coloridos estampas em panos amarrados nas testas tempestades de areias cubram meu pecado ou o céu não me protege da língua do deserto.
Lava & hidrata, pra mim!
Depois parto novamente!
Enlouqueça!
Preciso de algo quieto no final!
Que final brô? Não há final. Nem início. Só enquanto estamos no meio.
Isto, apenas prova.
Que respondo ao destino.
Meio latão d'água pro meu ofurô!
A bacia de banho da minha tia!
O balde dependurado ao ar-livre!
Todos os bons poços dos córregos  de Minas! 
A profundidade mete curto a sua medida!
Os seqüestros relâmpagos para Poe.
Vai véi prende aí na alvenaria a porra do gato!
Estou conversando com Fred, estamos querendo mudar o conceito de amizade-prestativa, talvez amizade-sem cobrança, já cogitamos amizade-amizade...mas como o mercado da amizade está em alta tem gente vendendo de toda marca, e nós que queremos descarimbar a figurinha, vamos batendo bafo enquanto Isto.      

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Da ponte até na forquilha

O punctum está com 3201 páginas. Depois desta frase que monto como montei 3200 antes só aqui. Lá fora nos papeis da vida montei todos os momentos. Montar depois de desmontar sempre foi o objetivo mas nem todos consegui montar de volta abra os ouvidos e ouça um silêncio maior entrando sem rasgar dividindo com todos aquilo que fizeram comigo metade que falta na composição do verso minha prosa gosta de te preencher comemorar com o achado grande ou pequeno com qualquer objeto somos objetos de composições do acaso administrativo da língua da repartição dos relacionamentos da saída ciclística no trânsito caótico pegue elementos do chão e esfregue no texto ver se torna mais cama mais carne mais curral sai deste curral se não o currador de Leminski te cura! Exclamei de um sopro no pescoço da parada que tampa o branco do papel da nuca de Curitiba enquanto pedalava no seu parque central desviando de objetos móveis e fixos saltadores com um pouco mais de silêncio até nos olhos campo de força ligado o doutor foi dormir acho que dam também vamos ficar eu e a senhora Robson apreciando o horizonte deste planeta desconhecido por um beijo no fim deste episódio chamado facebook face-livro: curtirei do punctum o próprio punctum o meu livro a minha face dentro da palavra proposta. A palavra é Facebook: livro-face, ou livro fácil?Para a censura do nu: vão me vestir depois de 53 anos vistos? Quem viu sabe que só saí nu!
Os outros das falas de saudades estou aqui e posso estar aí em qualquer momento é só dedar.
Me curto daqui!