quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Mas, não ocupamos lugar no espaço...

Qual língua morreu agora?
Que ópera?
Onde há palavra morta?
Como saber da intenção sem vaidade?
Quem quer salvar a língua?
Existe risco de contaminação?
Todas as imagens chegando em tempo real, não é a mesma coisa que não chegar?
O mundo não é o mesmo mundo?
As pessoas não são as mesmas pessoas?
A história é um entretenimento do poder?
Idolatria, Textolatria, e outras trias: salvam?
A utopia de todos conscientes destruiria o mundo antes de qualquer mal uso?
Homens bons, humanistas,espirituais, culturais, poetas, filósofos, perfeitos, todos os homens perfeitos, o melhor para o planeta, como seria?
Aquele que ganhou o grande prémio e não ficou melhor aquele que ganhou o Nobel e nada aquele que ganhou o jabutí e deixou no buteco, e daí?
Que inveja dos jornais, eles servem para embrulhar as coisas, e limpar o cu.

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

vulgar assoprador de palavras

Mentira embaraço: desenhista
Tratei de emagrecer, escada
Anaconda, roscas montanhas
Costume, geografia, escadaria
Variadas cidades, filhos
Sociedades, escolas, campo de batalha
Ilha incendiada: patamares
Pensador alcance símbolos
Marcas usadas esvoaçantes: editora
Dali ler diálogo, lado a lado, frases
Zonas rugas células cerebrais: palavra
Marque gosto em matéria de língua
Fronteiras: verbo corriqueiro, mas
A fala inexistente completou o cinema.

9

Um dia deve subir
Noite gato, lua lã
Mu, boi muge manhã
Dardo dado deu dó
O só leu bula vazia
Assim rezo via L2 &
A rã sem medo pulou
Nenhuma ordem será

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

eU E O aRTUR, dE NOVO.

Uma vez eu vi lá uma barata na festinha da minha amiga e ela também esta barata chamava barata venenosa: o Artur acaba de me ditar esta história da barata da festa da amiga dele. A barata da minha amiga. não é não vô. Então ponto uma vez eu tava com um amigo da minha escola então ele só gostava de dinossauros de verdade e eu gostava de dinossauros de mentirinha certo só isto só o Artur deixou eu escrever agora agora o que que eu escrevo as vacas namoram com gatos? não. e gatos namoram com cachorros? sim. isto só isto agora é minha vez: uma vez quando eu estava lá em Macaé depois muito bem história e depois eu comprei um dinossauro lá no mequedones e depois eu comprei um dinossauro que muda de cabeça só isto. na da de nau nem náutico na barca Brasília mas um passeio programado de prosa e véu grinalda fica na candelária : agora ele desceu sem avisar e me deixou aqui em cima escrevendo sózinho se ele não voltar e é voltou com um kissy sucos de maracujá laranja e acerola só isto , ai cansei. agora VAMOS VER O QUE AGENTE ESCREVEU NAQUELE NEGÓCIO PRETO?

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Me empresta a sua rede!

Em baixo daquela pedra ainda tem uma ilusão?
Em se tratando disto um tratado é obsoleto?
Em São Paulo o Crack tem sua Disneylândia?
Em cima do tema você cria um teorema?
Em caso de advogado Deus não põe a mão?
Em sangria desatada cabe ventosas sugadoras?
Em meados dos meios ninguém mete a colher?
Em meio termo mia qualquer manda-chuvas?
Em casa tem cadeira emprestada de universidade?
Em verdade todos mentimos?
Em vida há morte?
Embora isto não seja aquilo, acreditam ser.

domingo, 27 de dezembro de 2009

A pergunta não cala

O pelé, por acaso, é cultura de massa?
Alguém está preocupado com quem não lê?
As fotografias são tiradas sem serem copiadas?
O modelo de neurose ainda é o da psicanálise?
A moça sabe o que é um clichê?
As perguntas contém afirmações?
O jornal tem quantos bem intencionados?
A notícia é melhor que uma placa de desvio na estrada?
As pernas do Garrincha entortaram quantos Joões?
O Barnabé vendeu seus bens e doou o dinheiro aos apóstolos?
A resposta cala a pergunta?
As interrogações tem algum parentesco com as questões?
O borracheiro sabe que a gringa gostou mais da "borracharria"que do entorno?
A bolsona engole menino novo?
As pescarias são iscas de pegar confrades?
O gratificado é melhor que o padrinho?

A indiferença, é ao que sei: dó.

O artista não quer ser artista ele não dá autógrafos tão pouco aceita elogios
O policial não é policial não tem porte de armas nem faz cursos de jardinagem
O funcionário público atende bem ao público principalmente o estrangeiro
O escritor nunca foi escritor pois não sabe gramática não escreve o que quer
O cinófilo tem sempre um galgo no colo que solta assim que vê o lobo
O enxadrista só sabe uma abertura e adivinha suas variantes ou intui
O corredor quando ainda trota amanhece travado com dores na lombar
O ciclista ainda consegue escapar
O poeta não tem métrica nem sabe o que é um verso limpo ou redondo
O pai não consegue transmitir liberdade
O marido não concerta a tomada
O homem social não vai ao banco não tolera conversa mole e...
O amigo fala demais
O trabalhador tem preguiça
O desenhista quer o desenho mágico
O idiota não se entrega
O retardado não obedece
O fotografo desfoca
E todos os meus "O" nunca os ÓS dos outros, apenas o pinguinho de bosta que a mosca cagou depois de se lambuzar na merda do cavalo do bandido.
A diferença é que eu sei: Ó.

sábado, 26 de dezembro de 2009

Ficam

Aqui tá ruim
Mudam pra lá
Apertam o botão um
Mudo o rumo da prosa
Um papo de bebum
Imã de solução eletrolítica
Todos fofocam de acordo com o som
O muito é pouco sem nada
Enquanto fica sem nenhum
Nada o peixe fora d`água
Qual o o valor do bum?
Uma parte de tudo fica
Anda faz logo tum
Não escuto o tapa
Tá valendo beber rum?
Onda até no garfo da bicicleta


sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Onde está a letra A?

Bazar de convenções
Vende-se piedade
Doa-se funções
Tem uns que ficam olhando
Um jogo de pulgas
Você já viu falar em testar o brinquedo?

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

estamos esperando o natal e

Estamos esperando o natal mas o natal ficou lá no porto de brasilândia de minas ele carregava um caminhão de areia em meio expediente e dormia uma soneca depois do almoço quando acordava bravo por ser explorado enquanto os molengas dos outros precisavam de muitos para a mesma tarefa ele que fazia só o que muitos não faziam é fazia mesmo e bebia tudo no cabaré com as putas e no outro dia cedo estava enchendo seu caminhão de areia novamente para reclamar outra vez e ir beber outra vez outro caminhão de pinga com as raparigas lá no genipapo na brasilândia de 72 e hoje ele está com quase 70 anos e O negro natal, assim é chamado o bom negro natal e sua liberdade de ser.

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Acidentes da língua

As suas conveniências não me dizem respeito.
Os seus padrinhos jamais me balizarão.
As circunstâncias não me levam ao outro extremo.
Ninguém nunca colocou cinto no Vieira Solto.
A fonte, nela está contida uma ilusão anterior.
Nosso falcão voou, apertem vossos cintos de segurança.

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Acesso À inestimável garantia constitucional

"O deputado Falou que você merece trabalhar com gente melhor."

"_entre aspas"

"O Correio Brasiliense disse que para escrever e ler bem tem que saber gramática."

"- ainda entre aspas"

Ainda bem que tudo isto serve de papel de embrulho!

Venha conhecer ser imóvel, com as melhores condições, no lugar certo.

Conjugados

Você ser o que é.
Eu ser o que sou.
Nós nunca sermos o que querem.
Ele soldado de terno está com vergonha.
Ela convence a Jane Calamidade.
Vós sois soldados rasos que legislam por serem policiais legislativos.
Tu sabes que ninguém é.
Quem não é gratificado não tem exemplo a dar.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Sobre o natal

O Natal é vivo ainda, mas não tem mais a mesma força que tinha na década de 70, quando sozinho enchia um caminhão de areia em meio expediente.

A Dona Jovina peneirava soprando arroz até não sentir mais os braços.

O Pacau comia uma caixa de bananas no café da tarde, quando estava trabalhando de sapateiro e treinando para a maratona.

A Diva fez amizade com as imagens dos seus deliriuns tremens.

O Mendigo Ovídio ficava sempre com a suã do porco morto no quintal dos Ribeiros.

A frase lida em voz alta na classe cheia do colégio de interior era mais forte que qualquer manchete do jornal.

O defunto vinha dentro da gamela cheia de cachaça seguido por procissão que o bebia.

A galera que entra agora já vem com o comportamento pronto para receber a gratificação não perde tempo nas portarias.

O quadro pintado por minhocas não é surreal.

A moça prefere pegar nas armas que nas bocas.


Poema trabalhado

Gim era bom com fogo Paulista
Garoa esfriava a cabeça
Guliver nunca apareceu
Gota chinesa na moleira

Tutu de feijão
Bis teca de porco
Ovo torresmo
Colve
Arroz branco

A marmita vazia dá samba
O trem é ponto de encontro
A chuva trás o malabarista
O ponto de ónibus está cheio

Meu chefe me chamou pra dançar
Minha secretária é eficiente
Meu time foi campeão
Minha igreja aceita vale-transporte

Vou comprar um sapato
Vão me dar férias
Vou chegar aprazado
Vão me dar as contas

domingo, 20 de dezembro de 2009

Se tá me tirando de letras, véi? - Tô.

O bofe falou pra juliany no tiro de letras que só o nosso presidente fala na onu em compenhaque a palavra não é minha que a mudança é urgente temos que salvar o planeta da boca pra fora e deixa devastar o cerrado brasileiro a floresta do mar manda vir cargueiros cheios de detritos e volta carregado com nossa água potável leia Thoreau em voz alta nas ruas vamos ajudar os outros planetas pobres e as galáxias não são do Einstein trinta por cento de terra mais pra enterrar nossos livrinhos com mÀozinhas segurando planetas azuis e na frança universidade popular do titio michel como diz um amigo meu: Ó.

O que você tem com isto?

Aos todos os tudo um nada meu
nos estudos uns tolos nada deu
vos da voz trava a língua do réu
pós graduados titulam lá do céu

Aurora potência além do bem e
Hora ora por nobres etiquetados
Ágora me reserve um lugar no antes
no agora de um podium passo e

Quadrilha sem adição de açúcar
Quadrinhos cem palavras colar
Quadras de salão poder dançar
Quadricular cruzes no enterro


Tosta Pane
Fiat Lux
Suggar
Aqua Star Master

de onde vier

Antes de
Venha de
Acredite de
Dúvida de
.de
Made in
Nosferatus
Um bom motivo de
Não pense em depois de
Jackson do pandeiro de
de jogador a sambista todos os nogueiras de
dede
Capiba...

sábado, 19 de dezembro de 2009

7 tarjas amarelas da minha correcção de Portugal

Temos que rever os amigos mostrar a substância e jogar as cartas em cima da mesa sem medo de perder todas as cartas de navegação por qualquer rede de amarras quaisquer quais que erres quaiqueres de quereres querer ter visto vim ver me mostra não o contrário de esconder me mostra o que eu nem sabia que estava escondido já estão em silêncio ou~ça nosso barulho com um til laqtindo no meio de qualquer pqp somos os cachorros loucos destas bandas de cá se nos matar-mos( já que só nós podemos...) terão que encontrar outros guerreiros loucos para que equilibrem a tribo a tribo precisa da nossa visão e não vamos fazer vistas grossas só porque vocês ainda não sabem ainda quem vai pedir a primeira gratificação pra qual deputado opá posso apresentar meia dúzia de que não faço uso pois se a questão fosse esta eu sempre tive toda a matéria na ponta da língua cusparadas vencidas não me comovem mostrem-me filosoficamente um conceito de seguir melhor os passos dos grandes apenas os que não sujaram os pés de grudes do grátis

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Vamos ao cartório?

Os relacionamentos possíveis com ou sem contratos sociais quando a sua mais nova vai assinar a convenção: não veio a modernidade nada de um entendimento mais fundo entre os homens ainda escrevemos peças sociais padronizadas mesmo sem gostarmos de escrever: porque então não à capela sem os instrumentos canónicos? Somos casados com as convenções sociais sem vivermos em sociedade cidadãos sem cidade.
Vamos casar as convenções com as liberdades vamos casar os partidos com a política vamos casar a língua com o poder falar vamos casar o silêncio com o trabalho vamos casar o casamento com a separação vamos casar as palavras com seus fundamentos vamos casar a razão com o samba canção.
Separem as coisas repetidas e desnecessárias, das coisas únicas e necessárias.

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Ouço e leio, outra coisa

O quanto as máscaras dos actores norte-americanos dos filmes comerciais enlatados b confundiram nossos estereótipos?
Porque ouço na rua as legendas curtas enxutas saindo da boca tanto da diarista quanto da boca da madama do serviço público aquela bem gratificada hoje ouvi enquanto lia a segunda fotografia do Eu Hei-de Amar Uma Pedra : António Lobo Antunes o livro que o Evandro Affonso Ferreira me fez comprar e só agora dois anos depois estou lendo e no momento certo a construção-desconstrução do punctum-studium os clichês sendo substituídos as interrupções ruidosas rindo do leitor-autor com apenas "duas imagens" (capítulos?) já sei que estou no cine Rex em são miguel paulista de terninho branco de calças curtas gravatinha de cadarço chapéu quase coco junto com o portuga da padaria pão quente a paisagem que pode ser rasgada sim sem medo outras uma da uma uma da outra da outra e movimento para a corrente limpa e transparente da língua?

How My Blog!

A morte digital seria a perda total de dados guardados nos blogs românticos sem seu duplo? A minha correcção Lusitana aceita blogs! Uma vez vi um menino lá de São Paulo dizer que mata blogs: mata nada! Os blogs vão se desmagnetizar de qualquer Romantismo: modernizando se Moderno depois concreto desconcreto neo-tudo New all tudo novo de novo teremos o privilégio universal de trocar-mos figurinhas com aqueles meninos que já sabem sentar nas cadeiras. Não é um luxo?
O DIARIO NACIONAL PUBLICOU ONTEM EM VAN PREMIER A TESE DO BLOG DOUTOR, DE UM BLOGUDO DE 51 ANOS DE BLOG.
O blogudo lembra de quando o blog ainda era digital...
Quando eu aprendi a jogar xadrex em 1972 com o Negro Teôbaldo o universal Teobaldo Negro saí me exibindo para todos eu queria ensinar pra todo mundo e ensinei e ainda ensino e quando voltei depois de 23 anos para não permitir nenhum empate era apenas para dizer Mestre, Teobaldo é meu mestre, quando eu voltei ele estava ensinando um aluno cego: estavam aprendendo juntos.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

receoso

Estou de férias de dormir de dia e não ficar preocupado não é de férias de sair batendo cabeça por aí não é férias de quatro dias em casa já fui no atacadão e fiz uma caminhada fora de hora de 11 ao meio dia só pra quebrar a rotina estou lendo três livros ao mesmo tempo coisa que é acho a segunda vez em toda a minha vida se for mais não passa de três amanhã é meu último dia de férias na sexta caso a Lígia de manhã e vou trabalhar de tarde aí vem os recessos trabalho o primeiro folgo o segundo que é pra começar 2010 folgando bem brasileiro o Perdiz gosta de trabalhar e fazer teatro eu gosto de folgar e falar a verdade sobre a mentira da vida.

Entrevisto-me

Uma opinião seria o ontem, já quase impossível.
Um conceito: a luta por não te-lo, a de sempre.
Uma aula pode ser no momento o retrato de Dorian Grey
Um dos retratos tirados por Napoleon Sarony( O da confusão autoral).
Uma escolha : poder fazer como faço & não poder fazer como queria?
Um palpite: Há muito que ele não palpita as vezes desconfio que nem bate se bate é dentro da cadência longe da decadência fico com a máscara.
Uma neurose, já quase toda a legião urbana.
Um modelo popular de ónibus, baú.
Minha nuvem quebrou a catraca.

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Manutenção analógica

Sabes bem meu escrever que por ti dizem bem todos os grandes do Oscar ao Fernando e fico mesmo com eles independente da tentativa de amizade pelos de hoje não é por vocês fecharem que nós não vamos deixar de manter bem abertos todos os olhos assim se houver uma chance de mudança apenas as aberturas com maior profundidade de campo possível o menor furo reservado para Vocês que são eles na medida que me afasto para enquadrar toda a família todos no mesmo frame no horizonte fotográfico o controle da minha caixa preta na ponta dos dedos caso queiram diluir a paisagem faço uma longa exposição ou na abertura maior desfoco o fundo colocando nítido em primeiro plano o close-up da máscara que não querias ver exposta alias vocês não estão fazendo nada pontuem para mim façam-me pausas maiores por favor: acentuo

NIPPONIC

Olá minha bunda!
Há quanto tempo, eu, você, e os bancos?
Almofado por você!
E o fazes bem...
Mesmo com o outro cortando o barato!
Ele não tem culpa, deixa escapar!
Sim, no meu meio!
Que também pode ser: meio meu!
Ninguém mais vai perguntar nada?
Eu que comecei, bunda minha; Olá
Claro ,se eu bunda começo, vão ver punctum!
A bunda é sempre punctum no Brasil.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Em resposta ao Frei, e ao Bofe.

O vaga lume pisca por ter engolido só meia serpente.
Quem não pensa acredita em qualquer fábula cristã.
Aquele que se sente perseguido tem culpa no cartório.
Verifique se sua rede está amarrada por todos os clássicos.
Vejo o reflexo aqui e falo de todo o mundo sem me dar importância.
Quanto aos seus defeitos são seus defeitos de fabricação.
Prefiro os erros gramaticais que qualquer outro cais.
Não paro.
A piada daquele que cansado de sexo vai com o amigo ao novo cabaré e fica com a cozinheira do olho postiço e paga muito pra ela tirar o olho onde ele enfia o membro no buraco e diz pisca pisca pisca.
O capitão me contou assim que entramos.
Confiança que me deixa de boca doce apenas a Fábrica de Balas Confiança.
Na guerra quem brilha mesmo à distância corre o risco de levar bala.
Pertencemos não a times diferentes mas a jogos diferentes.
Uns brincam de bar outros de Bach.
Uns beques outros centro-avantes.
Uma geração só não me satisfaz.
Uns,
Outros.

Em nenhum ponto a parte de baixo

O corpo é forte na cama
de onde acorda O corpo
é forte a circulação ama
nossos versos de um todo
mais tônus nas pernas coxa
retalhos costurados no teclado
estou na horizontal com a literatura
o que ainda verticalizo
um olhar na mecânica da perna
sinais de espaços que percorro
a paisagem preenche a distância
de pé escovar os dentes no espelho
a rua vai te fazer pessoa

domingo, 13 de dezembro de 2009

Estou só sapiando

A natureza tem as formas disponíveis de acordo com o gosto de todos os fregueses, o que é veneno para uns, é alimento para outros, ela não impõe o melhor ou o pior, não dita a moda, ou o raro, o comum, ou o melhor, ou o pior, porque então precisamos seleccionar estilos, modelos, formas, métodos: somos artificiais! O António Lobo Antunes disse que somos chatos: sim, escritores são chatos para outros escritores, até para os leitores.
Quando não temos mais nada na cabeça que não o comando: faça! : tudo atrapalha?
Preciso dividir melhor.
Acho que vou cortar as unhas.
Um dia de descanso na semana é necessário?
Estou tratando dos dentes...
Acho que vou fazer um check-in...
Nada da flexibilidade dos salgueiros, apenas o rasgar das folhas de bananeiras me trás de volta ao natal, esta terra de plantar grama e jogar, o baralho fede 21 paciência
nunca Poker por Poe.

sábado, 12 de dezembro de 2009

ALFAGUARA

Cicatrizar com palavras
Sutura a secção vertical
Palavras amarram corte
Fechar a boca com signo
A grota da terra calarei
Fresta fechada por frase
Sitar Ravi Shankar: som
Custurar sua buceta com
linha infinita de palavras
António Lobo Antunes: Eu
hei-de amar uma pedra...
"Correção ortográfica concluída"

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

A busca de uma saída foi tentada por dois Caminhas

Decameron novamente: imaginar é melhor que escrever?
As fronteiras das fronteiras rompidas por mais fronteiras.
Quem vai executar os comandos do adestramento dado?
De boa não a tire crase com ela e somem as gratificações.
As notas ditas superiores pertencem ao auto-comando?
Querem conservar seus pepinos e seus rabanetes na xepa.
Decamerão Boccaccio realista visão atual desordem nua?
As moças querem entender o que você escreve Giovanni.
Ganhará visibilidade social afinal é pela pauta de um nó?
De onde venho a fábrica era de pólvora e nitro glicerina.
As palavras ditas em exercício serão obras literárias am?
Como um elefante bebo um rio e serpenteio todo deserto.
Dúvida duvido moralizem enquanto a criança cria vida?
As vírgulas atrapalham até a Lygia Fagundes Telles ora.
Que forma é modelo de método deste esboço de humanidade?

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Faça um curso de distância: tome distância...

Cuidado para não incomodar mais que o seu tempo de vida.
Como serão aqueles que nascerem depois de desaparecidos todos os clássicos?
Quais eram os clássicos mais antigos dos egípcios?
Cite dez!
Você joga no time dos escritores, ou no dos leitores?
Qual a vantagem de ficar?
Ele viveu no Egipto antigo, escreveu a melhor máxima escrita até hoje, mas como não publicou, e só eu sei disto, vocês vão morrer sem saber.
Buzine sua felicidade!
Quem tem curso superior, e não sabe ler, ganha mais pontos.
Ouço os mesmos gritinhos(uuuu!), em todas as festas.
Você sabe falar televisão?
Você sabe falar Internet?
Você compra?
Você tem?
...
"Excelência no ramo de habilitação e aperfeiçoamento de condutores"
Ai, preciso me produzir!

Quase pergunta, quase resposta.

Falar com o director adianta?
O Rafael não tem nenhuma pergunta para o mundo.
O José pergunta qual é a cor do mundo.
Rafael & José são meus sobrinhos.
Eu hoje sou o Pato Donald.
E mudo o nome dos meus sobrinhos.
O Luizinho foi buscar o ponto.
Vamos sentar e ver quem é mais?
Escrever é ler o que não está escrito.
Ler é ver o que não está escrito.
Falar é calar o que está se falando.
Se você sabe falar, escrever, e ler, você não tem pátria.
Nem partido.
Nem Deus.
Nem Mãe.
Nem auto-piedade.
Você não tem nada.
Pois sabe o que é ter.
E, as perguntas?
Estão nas respostas que todos sabem dar.
Todos sabem dar.
Como era o nome daquele carinha lá do rio que disse que toda unanimidade é burra?
E, a maioria?

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Perguntas & respostas

Quem comprou o gabarito estufa mais o peito?
Um velho come uma nova.
Quem tem a melhor colocação na maratona?
Os mais sensatos chegam com vergonha.
Quantos a instituição já matou?
Cuidado com as feiticeiras.
Qual vai separar primeiro?
Seu guru pode ter vindo de contrabando.
Qual a primeira letra do último inspector?
Nosso primeiro lugar é o único doutor.
Quem vai juntar com quem?
Leiam O Deserto dos Tártaros.
Qual vai dar o primeiro tiro?
A falácia aqui é imperatriz.
Você consegue ler a BR INFINITA?
Não conseguiram votar o primeiro projecto.
Quem usa drogas?
Façam um grupo de estudos.
O raio-x penetra a Kryptonita?
Cuidado pra não comer a recepção.
Qual o grupo teve mais pais no departamento?
47 pedidos é o record para uma fc5.
Quem tem padrinho forte?
A psicologia administrativa é SS(Sílvio Santos?).
No céu o poeta não tem o que fazer.
Isto é uma prova de fogo?
Já superaram a pedra: o Rocha.
Iluminuras & USP significam alguma coisa?

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

A liga da justiça

Estão buscando uma utilidade pública na poesia, assim como estão buscando uma utilidade pública na universidade, a arte precisa vir maquinada com a ajuda social, a filosofia tem que ser prática, só pode ser escrito o que todos entendem, a instituição nunca foi tão aceita como agora, pelo menos enquanto curso, fachada, o menino ouve, se fantasia, e faz a cena. Todos querem a galinha dos ovos de ouro,sem saber do que se trata. São tão actores, que se der um papel num teatro, não vão querer representar, com vergonha de todos ficarem sabendo que já representam: verbos, são verbais!
Eu, sou um chato que fico dizendo o que eles fazem: morre um que eles viviam dizendo que era uma merda, eles vão e reivindicam um tributo. Brincam de humanos, mas quando pegam a grana vão comprar mais figurino: figurino-livro, figurino-disco, figurino-imagens, figurino-carros, figurino-roupa, figurino-viagem...e querem ficar para sempre, enquanto houver sempre.
Dizem não serem cristãos, e comportam-se como maus cristãos, com traços de dó, de dor, de piedade, de perdão, de medo de ir pro inferno...
Aí, eu escrevo: amor, mãe, pátria, deus, traição, beijo, sexo, festa, compras, dinheiro, rico, pobre, carne, cerveja, futebol, natal, ano novo, sucesso, e...: tudo que gostam de ouvir, de ler, de falar, de escrever. Vão dizer: "nossa como você escreve bem, você é inteligente, sensível...!
Tá ficando grande, né?
Vou parar, se não o outro não lê.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

performance

video

CENTRO COMUNITÁRIO


MEU CÃO VULCÃO


UNB


"Entradas & Bandeiras"


Quando eu sentar aqui e não tiver o que escrever vou colar uma foto minha:

Generais da palavra

Nada, isolado.
Nada.
Está nadando?
Olavo de Carvalho é filósofo?
Atestado por quais asnos maiores?
Um sujeito que diz: "Jesus deixa isto muito claro..."
Juro que pensei que o cara era mais um advogadozinho prepotente...
Ele diz alcançar o sucesso, com aquela cara de delegado das antigas...
Sem contar as indisposições partidárias( ainda na esquerda-direita) em que o homem se mete, não confundam filosofia com jornalismo tendencioso, ou qualquer decoreba de dados mastigados, ruminados ao extremo máximo, ainda assim isto não é filosofia, porque ele não assume seus textos como textos livres, gritos desesperados de Diário de comércio qualquer cor respondente internacional ; pronto já tem pra quem falar ; fale para os comerciantes; os homens de negócios!

domingo, 6 de dezembro de 2009

"Idioterne"

Um bom texto sempre tem um bom começo nunca repete palavras tem as pausas necessárias e o assunto super interessante de domínio público é enxuto sem gorduras que só servem para encher lingüiças usa o trema pra não dizer linguiças pois língua enguiça quando você treme ao escrever com medo do que vão dizer dispara sem parar o interruptor mergulha nas suas ondas nos seus estigmas na sua periferia cerebral já que não temos o centro de nós mesmos um bom texto lembra o seu começo e volta com uma frase de efeito mostrando ter domínio do conteúdo ele é circular sem estar preso a perna do homem quando copula não nasce morre o seu fruto com os três mendigos da dor o corvo a raposa e o veado escapa dos três Reis magos qualquer textólatra não quer ver palavra desconhecida ou mal acentuada dando borboletadas dentro do texto tentando sair da floresta de mulheres mortas para o texto a história superficial só é narrada e interpretada por aqueles que não trepam não fodem não metem com o texto pois quem penetra o texto ou é penetrado por ele cria a linguagem da linguagem a meta da meta o contexto do contexto quando não é instigado também para outras criações nenhuma instituição pode padronizar o pensamento através de cadeiras de títulos de regras o pensamento toma de assalto em qualquer sala em qualquer prisão e quando identificado numerado arquivado só serve a quem não pensa pois quem pensa não quer ser pensado erra na noite faz zoon aos sons os corpos celestes são enrrabados e nem religião nem psicanálise podem interferir ou ferir o texto a pele que deixa escapar por todos os poros a gala dali...

Ó

Derrida olhou o olho da universidade e viu com os olhos fechados a manipulação dos doutores o serviço com o propósito de empreendimentos empresariais na arte da guerra no serviço público e a razão e o pensamento sendo deixados cada vez mais de lado e como nunca existiu universidade alguma ...

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Manual do aluno

De dentro do texto
o contexto
em moto-contínuo
quer falar sempre
do ato de criação
esta necessidade de conversar com o mundo
uma exibição permanente
do corpo
da forma
mesmo sem conteúdo
grita
sou bom
me lamba
prove das minhas doçuras
tenho a sustentabilidade do futuro
a acção depende das minhas idéias
sei do desenho da hélice
que move o avião
embarco sem check-in
qualquer bagagem aérea
sobrepondo imagens
crio volume
massa
sem prender a paisagem num cartão postal descarrego
retirando a mão da manivela
só para ver a cruzeta virar estrela
quando a linha branca
escapa pelo furo
quem escreveu carretilha
acertou parte
do que solto
sem embaraçar
aborto a filha literatura
o vento puxou
não precisa subir
porém ir longe
cair onde vista não alcança
fazer a alegria de outro menino
que pegou
sem saber quem fez
vai empinar com mais rabo
emendar o resto de linha
talvez precise envergar mais
ou colocar
um penso
de contra peso...

Habilitação e renovação: sempre.

No manual deles está escrito: "A bicicleta é um veículo como qualquer outro,..."; aí eu disse, em voz alta para toda a sala ouvir: professor, aqui já começa errado, e ele: não, está certo, a bicicleta..., e eu: a bicicleta é o único veículo, os outros são tentativas mal sucedidas...,
Se fosse um código de trânsito sem preconceitos, teria um capítulo só para a bicicleta, assim como também dariam aulas de ciclismo desde a mais tenra idade, e em vez de ficarem assustando as pessoas com seus carros e motos, iriam aprender a arte de deslizar em cima de uma magrela, saber embolar um coroão, girar a coroinha: o equilíbrio mágico de sustentabilidade no transporte.
Preferem a couraça em aceleração artificial, de onde podem passar por cima, escondidos nos seus casulos móveis.
A bicicleta retira o peso, restaura o equilíbrio, silencia o trânsito e limpa o sangue...

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Águas Claras

São tão inocentes que não sabem da manipulação através das imagens: querem reproduzir o modelo imposto: o intelectual o desportista a modelo a chic o rico o fodão a esperta a boazinha...e todas as melhores imagens carimbadas, top de linha.
Quem ainda tem a voz, além das imagens?
Qual o curso tomar, pra não cair na corredeira?
No início, e agora mais que nunca: é a imagem!
Quem acreditou que era o verbo ainda está acreditando em outra chance, e pode descartar esta. Nunca, Considere, Mantenha, Não, Nunca, Não: manuseie ou saque a arma de fogo fora da caixa de areia(do gato?) toda arma de fogo como se estivesse carregada sempre o dedo fora do gatilho pergunte se a arma está carregada verifique você mesmo aponte uma arma para alguém a não ser que você realmente deseje atirar se esqueça que o uso indevido o extravio ou o dano na arma de fogo pode acarretar responsabilidade administrativa civil ou penal: Ninguém ROUBOU; pois muitos roubaram!

As denúncias são festivas

Primeiro ele titubeia e pede apuração, depois ele admite lá fora ter visto algumas imagens, mas ainda assim, diz que vai depender do que a polícia vai colocar no processo, no final ele fala: é deplorável!
O que é deplorável?
A televisão sorteada?
O Dj?
As duplas sertanejas?
Os patrocinadores?
O distintivo emitindo raios?
Use os seus 15 minutos como melhor lhe convir!

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Meu carro está na revisão

A escolinha do detran tem os melhores alunos e os melhores professores do planeta ali tudo é explicado sobre o trânsito e a máquina o comportamento de quem dirige a segurança da manutenção permanente salas amplas arejadas e iluminadas.
Nos ónibus urbanos você pode observar tanto os corpos relaxados dos passageiros quanto a conversação proveitosa entre eles que trocam gentilezas e experiências todos sentados em suas poltronas macias com seus cintos de seguranças bem colocados até os moradores de rua que aproveitam o tempo de embarque para pedir uns trocadilhos tem um belo discurso com salmos e estatísticas e é plenamente recompensado por sua retórica.
O serviço público destas urbes tem apenas funcionários concursados nos seus devidos lugares que cumprem apenas as suas obrigações funcionais atendendo o público a contento todos cientes dos seus papéis desde o edital não é preciso treiná-los ou adestrá-los.
Este texto(corrigido no português de Portugal) ainda tem alguns pontos semi-finais mas não precisava pois não se tem pausa nos reflexos condicionados gestos involuntários do dia a dia que anota apenas por puro prazer e diversão comemorando mesmo toda a nossa organização local e mostrando ao mundo o quanto somos felizes assim.

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Minha carteira de motorista está vencida desde de junho

04:33, já tomei café.
Não vi o filme das 22:00, ontem.
O rolamento do cooler está batendo.