terça-feira, 31 de julho de 2012

Uso meu mouse como título

qualquer matéria da atualidade.
ser olímpico é usar cartão de crédito.
os jornalistas disputam o título de mais audio no vídeo, os caras ainda estão no rádio.
o coletivo a festa ainda manda auê ou então já que esta me entediando porquê não ridicularizar...parece pensarem,
sim, pensam,
enquanto fico com o silêncio da modalidade.
pode falar aquilo que quiser meu irmão sei ler imagens e os filtros para arquivos mortos são sempre novinhos em folha.
vai falando aí que vou vendo as provas.
quando todo o mundo quer aparecer o choro quer o espaço maior a merda  do foto-jornalismo sim o peão está rodando mais rápido é que meti cera na fieira.
gestos graves querem me contaminar quando preciso relaxar para ver.
a frase sempre me deu a mão, mesmo com o escafóide recebendo sangue.
sempre fui portador da notícia narrando imagens, tia cisa dizia este menino é inteligente, ele sempre sabe uma coisa diferente.
me acho tão igual à todos, sou bem a moda-todos.
recebo o afeto que me encerra neste peito juvenil ainda canto.
tremulando vento estica passando sem rasgar nem amassar.
extra longos
cmos
ralo
lente
carregadores
máquinas
pincel
jaqueta de moto-boy
& um rato branco com marca de maçã-cinza na bunda.
   

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Pra ver uma olimpíada tenho que ouvir tanta merda

A maçã que me come tem veneno que injetei de vocês frase-zero na busca do um meu um de direito aquela que me aceitou assim está suja de tinta NOSTRADAMUS era leitura de RIZOMAR na rede tem um sósia de Rio Branco se pudéssemos ouvir todas as falas interiores entrei em muitas casas brasileiras em muito poucas a literatura estava presente é uma dama falada mas muito difícil de ser encontrada os homens e seus modelos a forma da máquina é Rizoma made in italy o cara aparece montado com a roda traseira na água do mar com estes pneus não da para sair pedalando são muitos assuntos numa manhã olímpica os caras dos canais deveriam saber mais das modalidades se seguirem as transmissões do Tênis como exemplo já está de bom tamanho não é só porque gosto disto que vou engolir a banalização do apresentador e do comentarista os caras do tênis mandam bem!
       

domingo, 29 de julho de 2012

Esta maçã quer me comer?

Mesmo com o escafóide da pata esquerda fraturado- 60 dias de gesso indicado- o barco anda, o corpo pede tempo. o tombo bobo do pedal de encaixe, faltou traçÃo na 29, meu neto está curtindo uns pontos na testa, n~~~~~~~~~~~~Ao posso ficar pra trás...
Risco de degeneraçÃo óssea pede minha atenção.
Hora de ouvir o corpo.
O escafo recebe água através da fratura?




sábado, 28 de julho de 2012


sexta-feira, 27 de julho de 2012

Retratos te contam antes

As pancadas de uma frase só não derrubam.
Quem pode casar com jornalista-poeta?
Todas aquelas possibilidades de mundo ficam desatualizadas, mas quando tentam outras, sai apenas o mico-segundo.
Quando vejo aqueles que foram modelados pelo clichê...
69 à Jagger.
As madrastas norueguesas tratam melhor suas adoções.
As discordâncias concordam com elegância.
O Manoel é mais refinado, e é de 45.


Quantas vezes a Elza Soares acordou Elza soares? 
O quê faço com esta posição?
Intelectual com receita para a arte, é o que mais temos!
Tô fóra!
A crônica da manhã rege o resto do dia?
Ruge?
Baton?
Um pouco de pó de arroz, água, numa colher de sopa, cola meu balão-chinezinho.
Vamos mandar pro céu!
Vai sair da mão!
Balançar & subir
Será que a conquista são as medalhas perdidas nas mudanças?
Quem registrou nossos feitos locais?
Vai comer só molho de mamão-verde com fubá, ou vamos pro córrego pegar bagre na boca da noite?
Seu sogro já comeu sua mãe na zona?
O meu me contou no bar, com testemunhas locais, como eu já conhecia o vazo branco com foto de carnaval de biquíni, apenas pus as flores...
Estamos tentando, há um tempão, limpar a família.  


  

quinta-feira, 26 de julho de 2012

Me divido em cores

Aprendí escrever nada com 5 anos, nunca mais parei!
De todas as possibilidades que desfilam na minha tela a minha vida é a mais interessante para que o mundo fique mais confortável precisa ser assim pois o chato que me diz qualquer coisa qualquer dado mando um filme mando um livro só pra conversar eu não gosto que nada ande na minha cabeça ontem o artista diante do jornalista gostou da teoria de seita de outro planeta disse já saber que nunca nada ficou portanto nada ficará só errou quanto ao tempo pois este mesmo que nem fica nem está portanto nunca ficará já guardei o tempo parado dentro da tela assim os ET`s tomam nota  de que sou o primeiro a amarrar o tempo parado dentro da tela preso por grade de meada preta
já embalado então o Taguacenter é o meu laboratório atual!
Olhar sem ser visto.
No meio da multidão meu deslocamento é um nada à parte.
Fui para Londres ontem por pouco tempo, hoje volto, e fico mais.
Pegadas & peixes -do mesmo tamanho- nadam fixos por baixo das minhas letras.
Maya Nakanishi!
Arquive o tempo total!
O correspondente de guerra na mão da atriz de série.
...foram tantas separações no início...
Onde foi parar o manual de manutenção do meu corpo?


    

quarta-feira, 25 de julho de 2012

As cores do gibi norueguês

Minha potência é apenas 8 signos na tela
Depois daquela brincadeira de Varginha o ET está internado.
Aquele que pensa que frase é fase gosta de pintar palhaços.
Mandou limpar usei o outro lado & deixei os grampos como assinatura.
Quem recolhe os bichos amassados da estrada gosta do cheiro de carniça?
O verso é limpo como fotografia
O esmalte das unhas da minha Diva sobre tela.
Agora dei um 9?
Ninguém nunca ficou com o que pegou.
Aquele que saiu da órbita da terra está pensando o resto do universo.
O nu olímpico está na moda!



terça-feira, 24 de julho de 2012

Coloco sóis nas costas e me identifico

Tudo aquilo que não valeu nada depois é dito como importante voltar por dentro cabulando aula era a aventura fora das falas vamos ver brincar disto cortar o matagal no escuro garanta que saibam a lei o João-de-Barro sabe rir minha dose de chico esvaziou quantas garrafas chegar puto para trabalhar desafiando os inspetores quando a regra é xadrez mando peão pro centro dá pra ser universal só um pouco fica mais fácil pra mim aquilo que é vai ser enquanto eu estive na portaria sou responsável pelo elefante cor de rosa presente e passado foram para o futuro hoje aqui o controle é meu pode ir tomar café é linguagem de posto mor o sexta feira me ajuda pode ir embora que venha o cão só vai entrar depois de beijar minha mão a mesma energia de partir saio hora que quiser sempre saí basta o mando ficar rançoso to fora aqueles que não sabem brincar ou não se dão tempo de qual é a bobagem que existe para ser feita aqui que cada um de nós não sabe fazer? tolices institucionais...respira sem forçar...vou buscar uma água pra nós...curamos os fantasmas com mais um r.com
Sempre disse de onde estava, continuo dizendo de onde estou, direi de onde estiver.
A palavra é a única que me dá por preço justo.
Quer entrar num texto cheio de espaços? Você vai? Vire à esquerda três vezes sobe a escada carpetada de verde atravesse o salão verde na diagonal esquerda siga o estreito corredor...
Cuidado com as portas secretas, ou você pode tomar um chá de goteira!
Te fazem exercitar um prazer só para depois ter que dizer saudade.
       

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Coloco a cidade por baixo

O dia da iluminação é quando você aponta sua reta.
Me estendo sobre a mesa do computador.
O astro virou objeto de decoração.

Limpa as tripas com limão!
Mamãe me ensinou a banalizar falas.
Falo meu sem dizer amigo, mamãe-são paulo bota rato pra andar!

Use o simulacro do haikai como estrofes!
O corpo é mais importante do que o salário mínimo.
Desempene o corpo fale olhe escute sem afetação, mais uma!

O clichê do escritor sabido mente tanto quanto o do cientista quem conheceu ambos sabe que sabido mesmo é o negociante que não sai do seu negócio e vira assunto de tv enquanto viu pouco os filhos e a mulher onde está seu pai trabalhando?

Digitei um texto no ar!
Todos os meus personagens estão nos meus gestos!
Exiba-se pra câmara!

domingo, 22 de julho de 2012

Deram carne para o papagaio, agora ele está comendo o próprio corpo

Geografia literária é assunto que muito interessa aos freqüentadores de associações do ramo, gosto tanto de fulano que preciso conhecer sua casa seus passos seus objetos decorar suas palavras.  A nauseabunda envolvente da jornalista Portuguesa é mais triste ainda que a nossa? Mulambo tango não encontra resultado no google. Deixa eu ver salsa espraia, também não!
Lolo Jones correndo nua, nenhuma imagem. Falta tanto neste google ainda...mas estou cuidando disso...âmbar de menina portuguesa é que dois mais dois é igual a pato.
Onde estou?
Se eu fizer 365 auto retratos em um ano você cansa?
A temperatura do corpo é menor que a dos móveis.
Reticências de frames.





sábado, 21 de julho de 2012

Amanheci falando Grego

Um Jabuti Parati, Monami!
O Quê será que a jornalista leu para dar tanta importância a fatos e fotos?
Estou aqui agora tenho que ir para ali!
Ela quer por na cama?

A estrofe seguinte quer um verso olímpico.
Lolo Jones.
WARNING!
Posso deitar em baixo da última barreira pra fazer a Photo?

O filme é virgem?
A Diva é um olhar de sempre?
Deixa eu dar o tiro pro Bolt?
Prives Blanka Vlasic!

O salto com vara feminino já tem fotógrafo?
Fico solto na vila!
Voyer das olimpíadas?
Não quero acompanhar a maratonista olímpica de bicicleta, a maratona é uma prova muito para dentro.

Aquilo que me faz andar...
Empurrar pedal é saber do seu próprio motor...
Quem controla a velocidade do seu corpo???
Enquanto li um clássico terminei a maratona em quarto.





sexta-feira, 20 de julho de 2012

Esta é a minha cara de fotógrafo

Entre os meus periquitos a injustiça é verde.Qualquer idéia que entra quer me por pra sair.
Este vôo de frase não se pega no aeroporto. Quando os meninos não quiserem mais voar dentro das frases, uma vírgula servirá de banco onde as bundas param.
Já dormiu durante a história e acordou feliz com o gibi ainda aberto continuou ficou feliz e foi brincar de outra coisa?
Sabe porque nunca anotei as histórias que li, elas sempre geram outras e não faço muita questão de eliminar uma ruim, histórias são cheias de barrancos, minhocas, anzóis, que pescam outras histórias para dentro das suas. Desde muito cedo modificamos histórias.
Pode deixar seu padre nós vamos contar numa só frase.
A neve e os galhos pretos da floresta, do outro lado de fechar os olhos.
Simples, me diz algo de continuar!
O programinha de dar espaço no lugar certo só me faz passar batido na próxima parada e só dar a pausa do meu treino.
Se rasgo seda é pra fazer o espaço ficar mas aconchegante, filtros de enganar a caixa, aqueles que sempre dormiram fora do dado, já foi maioria?
Vamos criar a ilusão de estarmos sonhando fora da casa.
Preciso gostar muito de todos os meus gestos, ou a floresta me engole.
Todos os pesos & a balança não balança.
Mocinha do embalo senta numa vírgula, minha!
Quais são os objetos que te segue? 
Já encheu o saco o dia todo até te mandarem parar e você finalmente poder dar a gargalhada triunfal?
E, se eu disser que é questão de vida, assim mesmo vai continuar ocupado?




  

quinta-feira, 19 de julho de 2012

Eu sou o vaso da mesa

Adivinhar  porquê o escritor é assim foi.
Por que nos quês dos outros.
Acho mais inteligente se cada dia uma roupa descartar em cada hotel sem avisar ou doar para a pessoa que conversou na noite nunca vestir a mesma roupa por mais de vinte e quatro horas. Me vestir apenas para o desfile. Calcula aí pra mim em chinês! Se eles nos acasalam, como fica? É fácil não ser nada.
O cara dá, e fumaça.
É melhor que vazar em vazante.
Uma frase querendo comer o rabo da outra.
Você precisa cuidar da pele.
Quais são os melhores filtros para 21 furos no dado de 4x4 para dormir, apenas?
Sabe, nega ! É quê quero dormir dentro do vinte um!
Sempre tenho perguntas de quem não quer perguntar nada.
Meu ritmo depende do seu posso dar uma arrancada de vinte um mil metros ou te dar uma página A4 em 21 minutos.  Isto é tão certo quanto eu posso te nadar na minha água. No mesmo tempo que leu escrevi só que com maior intervalo entre uma imagem e outra. Aqueles que dizem não entender não conseguem dizer se quando não entenderam queriam mesmo dizer ou enquanto não entendiam já estavam com medo de.
São tantas perguntas sem respostas neste exercício, não sei porquê a professora meu pediu para fazer isto.
Uma resposta de vergonha na cara, e me dou por satisfeito. Não vou incomodar mais.




quarta-feira, 18 de julho de 2012

Sou do gibi!

Fico conversando de qualquer jeito, ainda assim entram as sabedorias necessárias, mas lá diz que engrolo a escrita mesmo amarrando com trapos sujos.
E passa.
No meu time o desajeitado ganhava a partida.
A moça do telefone lá de São Paulo queria a Lígia antes deste texto.
Liga depois que te passo agora estou trabalhando e quando estou trabalhando para mim meu tempo não dá créditos para secretárias eletrônicas.
É tudo assim mesmo.
A identidade dá minha mulher está no dia à dia desta casa e na rota de mantê-la.
Não vou desmantelar.
Toca.
Quem interpretou mal o eremita ?
A composição do quadro te permite ver o quanto entortei o corpo?
O lado esquerdo diminui...
Uma simples caminhada, dor, trava: joguei bobinho no domingo com neto sobrinhos primos cunhados, ainda dói!
Não tem nenhuma autobiografia aí não, estou falando do corpo, quer ajudar? Me diz do seu!
Daquilo que chamam nu-artistíco o auto-retrato pode sempre dizer mais.
À partir de mim finco um pau!        

terça-feira, 17 de julho de 2012

Estou cagando dicionário

Me empresta sua ave de rapina só para por mais prosa ela virou animal planet ou mesmo uma rapina qualquer clássica que te impressionou pois o doutor acha bonito o carcará o carioca usa como nome do seu já inocente grupo motor ciclístico estou ficando só não por falta de andar atrás de.
Eu quando o quê?
Aquela sua Pequena agenda para cafés pode enfiar no Wu.
Me aposentei até dos pequenos compromissos, joga a rosa fora vou precisar da redoma.
É, e você falou que eu era um cacto!
Quando perco a convicção do passo escorrem malandros para cima de mim, pra cima deu?
Por ribanceira alavanca após alavanca, escoras de descer.
O cara da verdade deu uma saída.
Ó o paletó dele ali, ó!
Ai que saudade dos meus canalhas.
O corretivo hoje é branco-espera.
Amanhã mando um amarelo-talvez.
Você já viu as cores do mundo fashion?
Ouro velho azul!
E, as peças clássicas da ourivesaria Francesa?
Os escritores se foram, estou só com seus escritos, nem sei mais quem escreveu pela primeira vez o verbo calar no imperfeito do subjuntivo...


      

segunda-feira, 16 de julho de 2012

O KIKO injeta na corrente

O tema dança só uma valsa com a forma o ritmo convidou para estourar um depois e esta sonoridade de passear pelas palavras é um modelito de quantos séculos LAVOURA ARCAICA MENINA A CAMINHO UM CÓPO DE CÓLERA PEDRO PÁRAMO PLANALTO EM CHAMAS TEXTO PRA CINEMA vamos usar as imagens do texto como roteiro, um cara de poucas páginas.
A MARIETA manda uma de que nunca buscou tranquilidade no trabalho interpretar com tranquilidade a filha do desembargador o filho do historiador o neto do maestro sempre estive neste triângulo desde o Sheik de Agadir.
O limite da minha loucura é até aonde você quer ir com as suas.
Quando você fica sem pai sem mãe logo cedo a estória é outra.
Como dói a palavra FIRMA.
Prefiro FÁBRICA.
Uma biblioteca de enganos e desenganos.
Aquele parágrafo não cabia entre as orelhas do meu caderno-canoa.
Realmente é uma bagunça de sentimentos.
Quantos saíram de onde para onde só pra te ver?
Sair nunca resolveu o seu mal-hálito, ficar também não.
Quando digo literatura como saída, isto não quer dizer que eu não volte... 
O livro volta para estante.




   

domingo, 15 de julho de 2012

Minha máquina está buscando através das janelas

Ferro velho.
Peça de uma máquina qualquer.
Quadro-bandeira-de-país.
Carta-do-doido-para-o-presidente.
Este signo só vai significar alguma coisa  depois que a cadeira sentar nele.
Tanto faz em forma de pedido ou de doação quem pede está doando o seu vazio aquele que doa apenas mostra o caminho.
O caminho também é vazio. 
Você préféré o escritor que brinca de não errar, ou aquele que só aceita correção sublinhada de sangue? 
A mesma convicção que faz o cachorro não morder, espanta ladrão...
Ele é torto, ou está armado?
Um entendimento de boca da noite deixa lusco-fusco a reflexão.
Já fui na casa das figuras de linguagens.
Com um livro de 1500 páginas, capa dura, na mão, estou armado?
_Vão pensar que é bíblia!
Se a literatura for à julgamento & o editor sentar no banco dos réus, o AAA vai quebrar o seu sigilo.
Brinquei de casal tomando banho na mesma bacia com Rogério & Eliana.
Quando três cabia na mesma bacia, ou a bacia dos três poderes.
Um poder de infância vale por quantos poderes governamentais?
Estamos identificados!
É nós que distribuímos as identificações!
Quer desatar?
Sou de capotar & dar capote.
Por favor, Presidenta: mete um pacote de literatura!

sábado, 14 de julho de 2012

A mosca pegou carona na azeitona

Vai mostrar arma pro cão, irmão!
Você já tomou sua novalgina hoje?
Continuamos na mesma: ele me mostra a sua arma, mostro minha zarabatana com setas verde-e-rosa...
Bruce Willis de gola polo levando sobrinho à tira-colo.
Vovô tortinho com netinho sabidinho.
O Salomão esqueceu uma caixa de cordel com a Bizé!
Assunto bão de fazer cordel!
Vou ligar pro Zênio.
Ela é judia que começa e termina...
Nossos Coices na estante.
Esqueci de mostrar meu relógio-arco-íris!
As pernas mesmo sem querer pedalam um 7 uma ninhada perfeita para um final feliz...
Em quantos corpos você já escreveu já escreveu com merda própria?
Vamos ao arquivo morto?
Curare
Pergunto ao atirador mais perigoso do país: você já atirou com o dedo no Cu?
O atirador mais perigoso do lugar só atirava com o dedo no Cu nunca errou um tiro, alguém vai querer imitar?

A Naomi mais o Lance fizeram um poema, de sete estrofes


sexta-feira, 13 de julho de 2012

O meu farol no Caburé

A naomi está ganhando cachorrinhos, já ganhou 3, a Bizé pensou que ela deixou um lá fora, fui ver não encontrei nada, fizemos as contas erradas, de última cruza dia dezenove, ou ela ganhou antes, mas estão nascendo saudáveis e ela só deu uma arranhadinha, de leve, só ontem, e no sofá, será que estes ingleses em época de olimpíadas faz tudo mais rápido?
No Japão as bonecas infláveis já estão vindo com coração.
Fui lá fora tomei um frio.
Desta vez prefiro escrever quem começou o parto que termine não quero me responsabilizar por morte de galgo desta vez o último da Katrin ela perdeu todos minhas filhas me ajudavam com as ninhadas agora escuto o Artur ajudando lá embaixo vou conferir só nasceram três até agora muito intervalo entre um e outro é perigoso pode ter atravessado um passo a bola pro neto e digo sua mãe e suas tias ajudavam agora é sua vez coisa de vô ensinar neto ver chegada!
Quando a boneca inflável substitui a mulher, alguém quer encher e esvaziar, pena que as bonecas infláveis não sabem onde ficam nossas válvulas...
Nasceu o quarto mandei botar pra mamar se não morre!
Foi eu que apresentei o dente de leão pro Rei Artur!
Vou ver On The Road em grande formato!
    
  
   

quinta-feira, 12 de julho de 2012

Como coloco fogo neste cavalo?

MM, Rolling Stones!
Um olhar da banda me diz!
Ela disse que primeiro casou com um filósofo que não podia lhe comer. Preconceito Jornalístico?
Depois, que o outro come sem análise. Ainda em 60?
Três pingos da para molhar?
Aqui nós temos uma seca que trabalha pra caramba mas quando fica doida leva pro ap come depois bota para fora.
É.
Ontem um filme, hoje um livro de bolso.
Nós já sabemos todas as possibilidades do sexo, querida!
Não precisa contar sua falsa intimidade. 
O preço da entrevista sempre pode ser o prato.
Vai querer comer, ou hoje você só serve?
Depois de ver o dia&noite da imprensa por mais de 30, nada me é estranho no seu meio, do comitê de imprensa à tv desfilei com todas as fantasias, do pau de fogo ao editor, uma intimidade só, me convidam ainda para circular...
Da crônica financeira do banco safra ao magú carta branca da unbtv...
Nada me é indiferente: aqui&aí!
Já coloquei 21janelas no dado da fotografia!
Quer escrever luz com luz?
Mas, ainda vou ler seu livro direito, em voz alta na cozinha, e quem sabe ainda nos falamos mais, principalmente depois que você disse que pode pesquisar no google, é, pode pesquisar no google, enquanto coloco mais noite no seu claro.


quarta-feira, 11 de julho de 2012

Tá vendo este?

Hoje o MAMUTE vem à tona num rio gelado qualquer da frança no final ele entra para teste em escola de filosofia e sai feliz com as idéias da nova sobrinha o mamute tem um narigão fantástico tio batata com longos cabelos usa uma longa túnica colorida aposentado desbundado vende a moto compra uma velo solex
anda de piscina azul no mar fuma um com as amiguinhas da nova sobrinha que enterrou o pai e ficou com a pensão integral o cara trabalhou num matadouro de leão de chácara no cemitério no moinho e quando procura moedas na praia encontra pulseira de prata das nudistas sei que os tempos estão difíceis mas já que o leão de chácara engrossou o caldo vou levar a caixa de papéis da firma soltar na estrada e pegar só o meu quando encontra o cara caído no super mercado toca com a baguete no corpo checando se é instalação mistura papel com presunto em várias camadas de um e de outro um sandubão que diz pra sobrinha toma aí ó Art-Papel encontra o primo depois de 20 anos e vão deitar lado a lado pra um bater punheta pro outro mas já não gozam assim como fazemos quando vamos ao encontro dos nossos desaparecidos amigos coitados daqueles que não conseguem penetrar o texto com o para brisas quebrado a mulher e sua amiga descobrem que não sabem como encontrar a ladra que bateu o celular do marido mas que as coisas não vão ficar assim não enquanto a outra já está na estrada com uma caixa de ferramentas vermelha pronta pro desmonte de mini saia pegando  carona num carrão dum play contando carros da janela ele consegue contar até passarem dois depois cansa...         

terça-feira, 10 de julho de 2012

A minha mão é da América Latina

Mergulho neste meu fundo ele não deve estar a;i de graça!
Um aparelho que se auto-regula para estar sempre ligado.
A moça da televisão é literatura de bolso?
ANTOINE COMPAGNON
Sei que ela nada e fica com o policial sem matar o alemão linda no vaga-lume agora se eu ganho uma família alemã nunca mais leio Rulfo.
Estou falando do dia em que não nasci.
A preparação para o sonho sempre teve uma história.
Preciso de história para dormir.
Quando li Reich perdi o sono.
Moça, senhora sabe contar uma história de orelha?
Você já teve como base o nada?
É mais lève!
Veio acentuado, posso fazer o quê?
Estou pronto para sentar ao lado de qualquer um até qualquer lugar.
Nunca dei um tempo.
Espaço para escrever a grande arte de hoje meu blog será indicado ao NOBEL da Rede menina Net vou plugar você no tubo.
Estou tendo x-acesso mas meu professor tem mais.
Quando se entra nu na cidade junto com o dia não é um nu-qualquer.
Tendo a polícia rodoviária federal o amigo e as putas como testemunhas. Ainda vivos!
A diferença entre nós é que eu sei que você não foi no bar do cara mais valente da cidade nua e pediu cerveja bebeu e conversou pagou e voltou nua para a casa do zé lucas para pegar as roupas que deixamos para não sujar depois da chuva.
A minha literatura é andante.
    

segunda-feira, 9 de julho de 2012

_Cai dentro!

Sei que ele não escapa mas já vi autor dizendo ter perdido um ou dormindo com o caderninho para prender na hora que sair ainda na inspiração penso agora depois que me concentro em determinada imagem posso multiplicar em filme inteiro é só seguir como se não quiséssemos cagar as tripas lembra do dia que te mostraram as tripas das galinhas e disseram que você era assim por dentro cachorro atropelado no asfalto sapo esmagado por tijolada minhocas cortadas com a mão cientista abrindo tudo que via quero ver por dentro me mostra como é lá dentro só depois veio a possibilidade da pedrada no pássaro foram bem óbvios quando me ensinaram a matar só não conseguiram com os homens pois são deles e preciso ensiná-los umas outras brincadeiras te mostram uma coisa depois mandam um faz de conta que não viu a palavra acreditar compreende quantas neblinas quantas nuvens existe no crédito é céu ter fé? Não matarás derrubou o pardal primeiro mentiu que tinha matado depois teve que provar aí começou a roubar nas marcas das forquilhas mais um pique aqui criei a forquilha que já vinha picada com tantas mortes possíveis para determinado tamanho de forquilha um pique para cada mentira de impor de mandar estes inocentes pequenos mandos ainda permanecem sim sou muitos o da rodinha literária não é só privilégio do português não meu sou tantos quantos der conta de contar quando comecei a namorar já sabia enfiar agulhas no corpo sem dor um período de faquir pois quando saia com vovó eu queria ver o faquir o primeiro que vi estava dormindo quando durmo também não como resta saber como ele faz com as facas me diga como fazer sou bom aluno quando só é possível daquele jeito  quem sabe qual vai ser o próximo lance?       

domingo, 8 de julho de 2012

ACHTUNG

Um verso medido
de ponta afiada
treze letras no


Dá um espaço shi
lê jogar xadrez
China diferente


O verso é mais branco no
intestino delgado sensual
você quer fazer careta?


Tipo ébano narrando
para a bananeira
no pátio brasil


comprei um brinquedo
SWATCH
o tempo é colorido


Me arruma um emprego de melhor ator!
Estou perdido em objetos?
Próxima lua por favor!


Desejo reverso medir
Punição apreciada
Vingança de verso

sábado, 7 de julho de 2012

O Lance da janela

A liberdade nos impulsos fundamentais é melhor que encobrir os desejos disse BR?
No que acredito buscar uma melhor prosa em qualquer língua para só poder ter a palavra um caminho rumo ao texto e dentro dele encontrar vias sobre vias as camadas acumuladas podem te levar a via que dá apenas uma folha de papel A4 por dia todo dia garanto a sua leitura em dia sempre brinquei desde sempre tudo um sempre dele do sempre sempre foi sempre será mesmo quando não houver mais sempre desleixo também com a língua não querendo permitir lamber qualquer coisa de qualquer jeito vamos escorrer esta língua para o abismo que desce onde for preciso pois quando subimos sabemos que vamos cair a qualquer hora lá em cima além das nuvens você pode procurar astronautas vagando no cosmos e perguntar aí mano viu alguma coisa que vale a pena ou vamos descer e tomar um trago de literatura ou quem sabe qualquer quebrada máxima filosófica encontrada em qualquer lixo imagético vai brincar de bate-meteóro colecionar galáxias a biblioteca de galáxias na estante em vez de livros galáxias encostadas umas nas outras esperando quietas os mergulhadores do espaço.
  Vidro com areia.
Quando vejo a porra de um poeta velho preocupado dizendo que queremos destruir a língua penso ou este cara deu uma volta no éter e não gostou ou está obedecendo ordens alienígenas.
E quando fazem isto com ranço político então me dá decepção embrulha o estômago investiguei vi ouvi li!
A cadeira que escolhe bunda que vai sentar quebrou na mudança ficou no percurso deve estar escorada numa árvore esperando pelas bundas brancas dos anjos.
Deve ser difícil para vocês abandonar no meio do jogo empatar é impossível perder um fim sabe o quê perderam uma volta em vocês vocês se perdem de vocês o seu você não está sendo eu mas meu eu está cheio de vocês.
Performance literária deve ser o bico daquela pedra naquele pico da águia-mor recebendo ninho segurando aquilo que a águia vai soltar!
Prega os símbolos no ternos!
Coloco só a língua de gravata pra fora! 
Não coloquei nem um terço dos meus amigos nas redes sociais.
Aqueles que me leram nem um décimo.
Os parentes fortes nem um milésimo.
E onde está este eu agora?
Foi pra noruega antes do combinado!
Mora lá.
Aqui só a sala.
Vago.
Espero o resgate da ciência.
      

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Bem que o título poderia ser a placa...

Fluxo de pensamentos, já ouvi!
Você consideraria isto uma técnica? 
Uma tal de cia da imagem está usando todas misturando com qualquer uma e ainda põe uns brother`s no meio dizem apropriar acham novidade fotografar da foto e levar de novo pro laboratório ou mesmo combinar qualquer analise novamente vejo eles exibindo técnicas dizendo que ainda não tínhamos um discurso para esta tomada mas aí um menino enfiou o dedo e veio um choque bom de curar doido e resolvemos vende-la por qualquer projeto bem pago...
O próximo capítulo filme no pingo ele não poderia faltar nesta gota se a Minnie    só é fiel ao Mickey porquê me expôs no Russo e na casa dela na minha na sua quando a linha não agüenta um soquinho uso pra fazer capucheta de folha de caderno sem varetas papel dobrado...
O carrinha de leitura...
Aqui encontrei o caveira 171 da literatura brasiliense a bruxa das artes o esqueleto do projeto todos chapas brancas que não param em sinal fechado quando estão indo para o aeroporto.
Sempre fui amigo da garagem de toda a manutenção eu ouço a casa toda da fossa a suite presidencial!
Quem é encarregado de olhar, olha tudo.
Faço o meu papel!
A narrativa nunca será oficial, apesar de ser do ofício...
Li as técnicas como li os clássicos, técnicas são fragmentos de clássicos que os fabricantes usam dentro dos seus projetos para fazerem seus brinquedos de massa esporte de massa cultura de massa massa de massas, quer mais uma gota de óleo? 
Não me interessam as suas confrarias além do curso de antropologia que fiz na mais conceituada.
Está ouvindo os velhinhos?
Já me fizeram acreditar até em nações!
Tem cara que sabe nome de capital de cor!
Um morreu de escrever nome de quem ele nem desconfiava quem era!
As mesmas batatinhas esparramadas pelo chão.
Prefiro ler gibi de novo.
Tá vendo isto não deixa de ser um curso superior, o tempo que eu perco com vocês a maioria da cátedra do mundo todo não perde com suas cadeiras de surfar! O cara quer corrigir para surrar!
Sim sou boa prosa, mas por falar em prosa aquela rosa do jardim plantado pelo defunto que os gaúchos dizem não dar para colher será que com um mono-pé de 6m com uma tesoura na ponta, corta e antes de afundar na água use a tesoura como pinça... 
Aquele que leu e não fez nada com o que leu meu eu considero passa tempo passei meu tempo ao lado destes também
 O Avô do Raduan é uma boa resposta. 


  

quinta-feira, 5 de julho de 2012

Na ciclovia, ou no calçadão?

pra chegar preciso iludir o caminho
as distâncias sempre foram marcadas por obstáculos
naquela menina do olho do furacão acertei uma pedrada de estilingue
a criança que era surpreendida hoje nem no sonho é mais
quando completávamos os álbuns e cansávamos de bater bafo colávamos os restos de figurinhas nos postes
não é diferente com frases & fases
sei que quem vai comprar sabe a marca que procura
mas gosto de flanar entre boas lojas escondidas por qualquer outra semiótica pó ou caos urbano
Formas simples são úteis?
determinados grupos que hoje levam o mesmo nome para aquele modelo são menos resistentes e mais caros
não gosto da voz do megafone
só daquelas que nos assustamos juntos chegamos ao mesmo tempo e nos olhamos para conferir saímos pulando bobos no rumo da água ou ficamos em silêncio diante do movimento do bar
quem sabe um toque a mais
nossas cacholas apesar dos filtros nunca receberam pela fresta apenas a imagem desejada
muito arquivo morto na câmara escura
se você quer fazer coleção de bicicletas eu me livro até das melhores quando não tive brinquei quando tenho troco até desaparecer mas ainda tenho a foto do meu pai na aeronáutica com o rosto ainda puro e liso o mesmo olhar vazante que vejo em meus retratos
eu não me esqueci de nada ou me esqueci de tudo parece que viver é um esquecer de tudo ou estar sempre preparado para esquecer de tudo 
onde vai ferir com quê vamos curar
aquele gênio não teve uma morte digna parecem dizer ou
só que no álbum do filósofo a figurinha que carimbei 100 anos ou nascer morto tanto faz
nada vai resistir o tempo todo na linha invisível de um amanhã onde o horizonte nunca é o que dá para ver daqui!
Qual é a sua linha do horizonte?  

quarta-feira, 4 de julho de 2012

Post 3340.
Não estou mais em redes sociais.

A porta estandarte precisa de Cartola.
O portão do cemitério na corrente é uma locação manjada.
Se a padaria não dá pão, toma um café com mamão.
A porta bandeira ganhou um mastro oco.
O portão do hospício aberto não é mais inovação.
Quantos riscos de cabelo no Cebolinha?
A molecada nunca leu a variedade de gibis que li!
No umbigo!
Qual gesto é mais indecente, ter dó dos outros, ou de si?
Antes cisto.
Depois cilada.
Quando foi na História que os Autores se relacionavam com seus leitores em redes sociais?
Balzac?
A água da literatura nunca afogou ninguém?
Distribuir palavras para arquivar pessoas pode atrasar o trabalho!
Tranqüila, a literatura não se arrepende de nada, pois quando grita pelas grandes verdades gritos anteriores ainda abafam o seu!     




  

terça-feira, 3 de julho de 2012

Vamos falar de cores?

Ter vergonha na cara é sofrer com vocês?
H/H   The New Odin Collection
Já soprou uma zarabatana com o cu?
Onde retirei minha licença literária?
Minha libido vai muito além de qualquer ereção?
Quando comparo mando linha sem ter dado o nó na lata: descarrego tudo?
Se solto na descida com a barriga no banco, posso usar a pista toda?
Você acredita que o Lance engravidou a Naomi?
Eu tenho um parceiro de xadrez falante?
Ando fotografando minha bunda por aí?
O corpo esta coisa tão perfeita foi assim que escreveu o mineiro?
Já não sei todos os nomes dos gibis?
Você conseguiu uma inquietação controlada?
Verso vira lata de rapé na mesa branca e estica carreira inaugurando o bar do Sanção a gala falou dali de onde levantas este bigode a cabra torce o rabo enquanto bolinhas eram esfregadas para receber a caça...
N!ao foi o surrealismo que inventou a distorção ~
Meu amigo boxer fala este papo está muito cabeça.
Um outro amigo de cadeira de rodas faz cadeiras só sentado?
A Tia ainda tem para a Blanka?
Em altura!
Em distância a paulista não arruma mais nada?
Você já viu um verso fazer poesia com o dono?