sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Jerry`s Artarama

Ocupem A Galeria Dos Estados!
Cada um leva um balde de tinta!
BRANCOBRANCOBRANCO...
Verso-abstenção só na próxima eleição!
Sempre-nulo!
Nem precisa pintar a cara!
Desce pra lá, e tira pra dançar...
No rolo!
Na trincha!
No pincel!
Spray...
Cidade Branca Pede Verso.
O avesso da idade é prazer em qualquer parte.
Da parte de fulano de tal, cinco minutos pro próximo comercial: reclame...
Self Portrait Competition.
Primeiro lugar cinco mil dólares de compras em Miami sem impostos estadia tudo pago ida e volta.
Vamos ajudar o GDF pensar!
Patrocinadores: Polaroid Cube, Shimano CM-1000, GoPro HERO-4...
Comissão julgadora formada por Historiadores-da-fotografia, Dos 10 mais importantes museus do mundo & 10 cátedras das dez melhores universidades da art... ...blá-blá-blá...
A Galeria Dos Estados Era Limpa. 

  

Olhos & Caras

Boca sem ergonomia pra língua.
Miau!
Dente cego morde língua de casa.
Com uma certa freqüência!
Trema.
Fala inexpressiva aos sem voz!
Expôs sem depois.
Números primos aleijados!
2 é o único número primo que é par.
Tatos-retratos!
HVW.
colecção diafragma!
números-guia para luz de relámpago.
Palavra-magia-além-boca!
Meu traço me convence.
Raios!
Pedreiras!
Chuva!
Silhuetas murmuram sobre um lá fora...
Retratos de excepção.
Retratos aos bocados.   

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Ainda sobre a tal cruz...

Se pelo menos tivessem a possibilidade de dizerem: e aí, e se estivermos errados?
171- do- pensamento.
A cara do gato já foi galpão dom vital.
Antes de ser correios & telégrafos digital.
Depois fez um estágio de 30 anos na casa que reza as leis brasileiras.
É confessional!
Inverno pele.
Sangra entranha pelos poros.
Azul de mete lendo.
Vermelho-constrangedor.
Irmã-laranja.
Irmão-comércio.
Preto-ginga.
Branco-apontador.
O resto das cores ficam com inveja.
Cinza-nojo.
O amarelo-sol dá mais uma queimadinha.
Me empresta o seu arco-íris que vou fisgar um mote.
Qual a melhor geometria para um quadro de velho?
Me mandem rolamentos de cerâmica!
Nas caixas-de-direção.
Nos centros.
Nos pedais.
Nos cubos das rodas.
Banco Brooks.
Fita, também!
Não esqueçam a flexibilidade do quadro!
Podem abusar no carbono-inteligente!




Recado Deixado Com O Guarda Da Portaria Principal Da Câmara Clara

Este é o pé da santa cruz da primeira missa rezada na brasília fica ali no eixo monumental depois do monumento jk a chuva salvou mais uma substituição cuidado galereee ela está pra cair quando fui fotografar toquei com dois dedos na madeira e ela a cruz dos seus fiéis balançou ainda pedi pro meu historiador tocar também com seus dedos de idade média e ele comprovou ela vai cair poderia ter sido em cima de mim se eu fosse de encostar mas toquei de leve pois vi a boca do buraco que vocês fizeram com as suas velas diárias boca de fornalha quem falar primeiro comeu o último a se esconder por trás do poder poderia bem cuidar pelo menos do cartão postal ou se encostar ela bater na mureta de concreto armado virar a ponta em farpas e empalar o candidato seja lá de que partido ele for ou credo ou bando ou lado ou cor ou sexo ou país tanto faz o patriota o populista ou o agita tomem cuidado que a cruz é uma armadilha de pegar descuidados!

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

_Ainda cabe mais!

Um nobre no sudoeste pedalando sua bicicleta cargueira com seu chapéu chinês furado ele é antenado escolhe plásticos descartados nas lixeiras pra ser reciclado sinto pela estética mas eu não posso deixar isto de lado dá uma geral na bicicleta dele Neguinho levanta o banco enche os pneus ele merece rodar macio pelo menos lubrifique os rolamentos estique a corrente qual é o nome dele de onde ele vem qual o seu percurso diário air bags acionados não vão por favor atropelar mais um desconhecido... 

Pombo Correio Pedindo Seu Chip

Atende o pombo aí véi ele tem os pés vermelhos lembra Saddam tinha cartaz pra todo lado Cuba só lia revolução que tal bandeira de improviso os mesmos confusos foram decisivos agora é por dia recarga tim viva tudo por semana menos de infinity você sem fronteiras sem taxa de adesão e sem pegadinhas internet pré história fale muito sem pegadinhas jogue o pensamento na lixeira laranja que se quer vermelha no dia que usar o pau vermelho que vai desarmar o cabo de vassoura descartável cuidado com a tampa de lata velha batendo no seu pescoço alçapão não pega uirapuru intelectual da propaganda do estalo de variedades de conveniências preço de ocasião pra liberar projeto carta marcada de ministério da cultura disso e daquilo pra isto mais disto curadores internacionais dispensam os locais e vão eles mesmos em busca dos artistas PVC em Fortaleza pra Bienal Das Américas...   

terça-feira, 28 de outubro de 2014

_Não vai faltar terra!

316 sul.
Com nuvem.
O vento arrancou uma árvore grossa assim ó com asfalto e tudo!
Estão conversando menos.
Brancas chinesas com calor na feira do Paraguai!
5 óculos 3d goro sopro: 100 reais.
No libanês!
A manhã inteira na goteira do dentista.
Rio Grande Do Sul!
1 pedaço de melancia 2.
1 água de coco 3.
3 idas no banheiro do pão de açúcar.
7-parada-de-ônibus.
1 campo por construir.
Dizem que a Polaroid Cube chega ainda em outubro aqui!
Tarifa 3.
  
  

Traço convicto

Esta é a bandeira do país do índio.
Pra brincar de cobra-cega.
Ele é o feiticeiro da tribo.
Algo Walt Whitman?
Marquês De Sabugos?
Vejam quantas caras!
Aquilo que era jovem virou arte!
com qualquer um sim qualquer hora o quê bem entender sem satisfações 
Quem gosta de desenho duro é presidiário!
O traço não pede emprego.
A arquitetura do índio não agrada os seus olhos.
Neymar usa pilha Panasonic
Calço a do gato preto pra não virar tamborim!   

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Sábado na casa do Índio

A rosa é do povo!
Espinho.
Índio joga no burro!
Dá Mico-Estrela.
O espírito do índio sai do corpo!
Correndo do amarelo.
Bife à cavalo de 20!
Indiscriminadamente.
Abre a torneira da direita!
Mala vermelha cheia.
Lobo-Branco!
Fumaça-preta.
"...me sabe mais que me sei."?
truques cinematográficos
provas por contacto
filtros
retratos
revelação
ampliações
paisagens
música para filmes
fotografia a vermelho
diafragma:
respire!
...
o uso de duas janelas
as lâmpadas ajudam
fique-se perto da luz
tratem-se os espelhos como se fossem janelas
Onde colocar o modelo?
autêntico interesse
um pouco de psicologia 
as crianças são acessíveis
amigos e conhecidos
desça-se a ele...




Enquanto pesca repassa a lição

Este é o poço dele pescar dinossauros com isca de borboleta de luz usa uma varinha verde que depois é descartada matematicamente o branco do papel é nulo se abstém de votos de felicidade a falação não é mestre o bem não precisa espernear mantenha-se a iluminação uniforme nada de cor a mais com efeito legendas das gravuras ao centro visor abertura telêmetros diafragma sincronização diafragmar rapidez da película distância focal profundidade de campo emulsão ponto de diafragma exposição film pack paralaxe focagem obturador-plano-focal foco variável obturador lente suplementar máquinas reflexas: glossário do Índio.    

domingo, 26 de outubro de 2014

Ambulante Índio Lindo Mar Caeiro

Ele tira seus sapatos de cascavel e sentado na sua cama controla o trânsito estourando luz piso urbano nos fins de semana terra nos dias de feira já não pertence a nem uma das tribos hoje criou a sua ecumênica-tribo oferece cursos cura drogados realiza seus festivais de culturas com seu chinelo havaianas com bandeira do Brasil relaxa um pouco os dedos dos pés enquanto os das mãos tecem o artesanato ele é um membro de qualquer rebolado criou um aplicativo pra urna eletrônica que com puta os votos do seu candidato mais uma proporção dos do adversário além das pesquisas garantido assim a vitória da província três meses do ano ele afunda país adentro descobrindo novos mercados...       

Coisas do meu índio

Etnia: Kaingang? 
Máscara Mortuária?
Frenologia?
Mumificarão?
Rostos Desconhecidos?
Posterior identificação?
Pinga Pura!
Mistura: pro resto!
Varal-de-cus!
Testamento-alienação!
Vamos expulsar o morto da tribo!
Sai na gamela boiando em pinga!
Tema-se.
Se tema.
Tema em si.
Juras Cantigas.
AMN.
DR.
BR INFINITA
Caiu uma escultura de escola da Lígia peso de papel da mesa de escritor desastrado na hora que foi pegar o dicionário analógico 
SOM EM GERAL
PERCEPTIBILIDADE
MANEIRAS DE COMUNICAÇÃO
SALUBRIDADE
VONTADE INDIVIDUAL
reflectores improvisados...
luz difusa...
não prestar atenção às sombras...
exteriores à luz do dia...
focagem e fundo...
deixá-lo ser natural...

sábado, 25 de outubro de 2014

Índio de várias tribos

Armas do Índio.
Rapé do Índio.
Cachimbo da paz.
Apito-Carcará.
Pena do Índio.
Teto do Índio.
Armação-maloca.
Laço-embira.
Reflexo do Índio.
Dedo do Índio.
Lona-sintética.
Encerado de graxa.
Ferro do Índio.
Restauração do Índio.
Lobo-pele.
Arco sem esticar.
Lição do Índio.
Remédio do Índio.
Tribo antenada.
Artezão-natural.
Penduricalhos do Índio.
Mandinga do Índio.
Recorte da urbe.
Meio de vida.
Coisas do Índio.
Símbolo do Índio.
Corda de palha.
Flecha falha.

_É a sua vez!

Na medida do seu verso pau à pau cabeça à cabeça corpo à corpo não tem pra ninguém o capeta dominou o martinica café bsb nuvem-tubarão arreganhou os dentes palmeiras de guarda roda de sala onde estão as cadeiras foram todas pra boca de urna inquietude nacional vamos ter que ler o mesmo jornal agora Campari doce amargo com gelo e licor de morango balança e serve dançando beberica de leve conto novidades da moda do caso casa moderna cult film photo art gol de bicicleta Tati pra te fazer rir sustentabilidade coool mobilidade urbana senta no meu pau e pedala pro bananal não mistura com a oca maloca de lixo da outra do charuto não e joga na veja brasília que todos sabem que a bicicleta de um só pau é minha olha a cara da sua tia se pra fazer arte tem que fazer polititica então agora faço descarte!   

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Nuvem diagonal com cara de moleque travesso

Céu indica.
Chegaram duas faíscas.
Jacaré-carvão.
Pato-jato-ocilante.
Mofo da direita cerrado queimado.
Porta de luz esquerda lilás.
Palmeiras-de-neón.
Jacaré-cão-é-reflexo-do-chão.
Da cozinha do garage sale.
Muro jacaré-albino.
Espelho-surrealista-de-ocasião.
O coletivo quer me engolir!
A questão de ser o mais rápido já passou.
Rosseau deu seus filhos pro estado francês enquanto mais tarde escreveu um tratado de educação: Emílio.
Poe jogatina & bebida, e ainda assim uma obra lúcida.
Voltaire escreveu em fuga de reino em reino.

_Olha que Olhão, lá atrás do Gilberto Salomão!

Aprendem uma técnica e já querem dinheiro no bolso aprenderam a contar contextos 171 do contexto dos mesmos textos seja lá qual for o quadro acabou ficando russo mas você engordou os bruxuleios seus buguelos protegidos do contato com os artistas assim diria minha madrinha dona Eletiva acertei no milhar outros da mesma marca comem pelas beiradas e diz ser exposto em português bacalhau do porto sardinha com batatinha riscos que devem correr destrambelhou o historiador de feira de jumentos quer ir pegar sua orbea lá no italiano enquanto a anta aqui capta mais espelhos hoje com "je" russo C −18 de 120x1 as aspas é porquê não tenho a letra russa no teclado...
        

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Filtro-Russo

A grande maioria daqueles que se querem vermelhos são laranjas qual é o seu processo de caso com o filtro cachorrinho hídrico de guarda cabeça de Varda gotas voam luzes respiram anota o código aí janela-auto-retrato óculos de paisagem arromba a caixa-preta verticais paralelas brancas não sabem contas de expulsar nulos permitem a manutenção químico-objeto laboratório do professor pardal vai filtrar com qualquer coisa que limpe os espelhos d`água do lugar tempo-higiene pinhole-guitar fotografa vibração das cordas do violão Rima-Flusser conquistarão leitores cansados da rima-martelo?    

Sano Art Museum

Frame-sensual!
Cerca de qualquer curral!
Água no farol!
Se terminar com L: Mishima!
Lâmina!
Linhas tremem escorrem fixam!
Máscaras se divertem!
Model!
Fashion!
The End!
The Doors!
Meu fogo quer mais água!
Seu litro de fumaça!
Exclamação!
Reclame!
Se propagam!
Não se prolongam...
Circular.

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Para quê este olho tão grande?

Traços da estrada farol público em desloucamento contínuo poste um bom espelho de passagem máscaras viseiras desgrudadas vão ficando pra nutrir a terra maluco de BR que por aqui passar pode aproveitar ela quer CD pode baixar ou ver e ouvir direto do tubo fotografa direto do farol que o Tio Léo Ti Deu e você só no martelinho abriu a boca pra olho de peixe da GoPro encaixar perfeitamente depois de lixar com objeto cônico cor de rosa na ponta da furadeira faz filtro até de arruela catador de filtros quer ser cadastrado no exterior que aqui só usam filtros do estragam pensamentos não vi ninguém ainda perguntando o que fizeram do jardineiro da USP dos devaneios de um andarilho solitário ou mesmo o que fazem vendo a banda passar quem tem argumento justifica suas merdas sem precisar das merdas adversárias bebi porquê queria dançar enquanto a coluna suportou dancei vinte e cinco anos de descomposturas descompassadas...   

Almoço ao ar livre

Resto de papel alumínio das quentinhas comidas por serviçais das mansões dom bosco peixes que brilham nas profundezas abissais do cerrado brasiliense uma folha morta apodrecerá mais rápido quantas vezes já pegou fogo este sítio romances clássicos e o vento levou porra mano bem na hora que eu ia ler a parte mais quente do azul deixa quieto para diz o doutor saber museológico enquanto fazia sua boca de urna escancarada nas redes sociais lupa plástica filtro distorção na queimada isto não há de ser nada meu compadre vamos remendar com uma pelada valendo o salário da  moçada pagode regado à vó dica aquela velha dica subornada o cutucão pro buraco enquanto nóis festeja no balanço bem bão pra lá e pra cá corda de bacalhau amarrada na tábua dependurada na mangueira  não vá se enforcar como era mesmo aquele 171 bem bolado com cara de enciclopedista cult-coool-porra-louca o personagem está me tirando salas locais não mais satisfaz e era um leque assim de desfocados galhos tortos na esturricada terra queimada destroços carbonizados agora que choveu vai brotar tudo de novo roda e avisa um minuto pro Chacrinha!   

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Debaixo do sol das 8:..

Leva sabão azul no pelado árvore de cabeça pra baixo canhão de céu tem roda quente tradução de ocasião esta sucupira das mansões dom bosco cresceu mergulhada no lago e nas suas garagens galhos diluídos por gorda conta bancária coleciona arte-contemporânea grafite no ar de cara diagonal direita sabe flertar com a face debaixo da esquerda sem sangue peixe-gato nada entre suas pernas e o azul base de cores labuta pra manter um desenho de página na internet imaginem mais grifamos com casca grossa amplie em 4x6m e monte seu outdoor voltado pra subida onde durante o engarrafamento possa ser lida melhor ...         

O velho de boca aberta conversa com as trevas enquanto é atacado por placas luminosas

Minha cara é um livro mas pra quem ler se não se abre além de formalidades & interesses pessoais a dita cuja humanidade virou besta que qualquer mula monta pra fazer campanha propaganda comércio de almas mortas olha atrás da porta tem um gato cuidado que sabe tamborilar um sono em cama ondulante já quando todos começaram dizer velocidade fiquei bem lento esperando o tempo passar porém não passa que bosta diria o mineiro eu paulistano aqui acostumado com garoa no lombo digo normal doutor normal com as palavras do seu francisco cicadú em bom francês deixado por invasores piratas no Ceará a linguagem do teatro não está morta ela formigrou para as areias e ondas dos bastidores da politicagem esta guerrilha de sacanagens quem tiver o dedo mais duro rasga o véu da gata mais nobre língua mais afiada corta carne dura de trabalhador fictício pseudos pensadores gastam todo seu tempo livre pra colar lambe nas redes sociais e ainda sobra tempo pra fazer um doutorado aqui outro lá fora como diz Amelinha o povo pra viajar este povo de Brasília fogo no cu sim querida vão e voltam falantes e abestados de b a bá surdos cegos mudos sem tato sem paladar dentro da semiótica do mando e desmando da dança das cadeiras quantos desta vez vão ficar de pé? 

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Outros Microcosmos

Crocodilo-cavalo fica em pé deixa escorrer a lama velho expedicionário ri preto sem dentes a caverna do homem pra dentro de si peixe-água vai lhe engolir grita de medo enquanto o redemoinho gira traços de sangue nas cinzas crocodilo-cavalo vai ficar com fome o homem é do peixe-água cego das profundezas banquete na caixa-preta  coitadinho do jacaré falou seu sapo lula soltou a tinta e tentáculos pra que te quero rumo à superfície escapou em busca de luz ou foi buscar trevas menos contextuais aqui de fora tem muitos luminosos néon on conversava com os astros geo-físicos não queria saber de polvo tinteiro ou pena de quem quer que foice ou martelo o diamante-bruto foi testemunha!   

Valiant Comics

Lá vem o trem transparente chacoalhando a estrada sujeito de cor na faixa da direita do lado esquerdo do frame fica invocado não vai parar não meto um pontapé no vidro está pensando o quê?! : estrada rio à cima tirando a montanha de letra um poste implode-se mata cria vento com cara de desesperada quer sair na pernada te dou dois postes daqui até a fazenda não acelera de mais não se não o portão não abre a placa está ligada no duzentos e vinte acendeu quando o bicho passou mu-reta do meio pegou fogo nada de concreto apenas cimento armado com brita areia e ferro sim tinha água na pista consulte uma historiadora da arte quando glub glub water dance abrir de Índia Do Rei qual será a sua variante?
    

domingo, 19 de outubro de 2014

_Agora eles tem um hino que simula o som de uma trepada cinematográfica!

Raposa dos olhos azuis um fantasma de beija-flor bebe na sua orelha enquanto embaraça as pernas num gozo sórdido sapo prepara a língua pro grilo falante solitária parece dizer que quer mais enquanto digere uma manada trezentos e sessenta graus dos olhos do peixe no espelho de água em vidro transparente mas isto sim com uma lente de cento e setenta e cinco na descida pra JK de cara com o audax reconhecido pelo japa confundido com macumbeiro por um desconhecido ignorante elementos da natureza não se prestam à propaganda mesmo quando arrancados e feitos ornamentos murcham decomposição cheira ruim arte-oficial-chapa-branca autorizado pelo mando ao mando pertence maria-bonita sem lampião não ilumina nem o lamparina mesmo na briga de foice no escuro grupo diz a molecada sua mãe responde: grupo!    

_Ermida Dom Bosco, sem gelo!

É assim ó: quando você pede ao oráculo pra abrir no face ela oferece seu sítio sugestão a su-gesta está na moda até a irmã de caridade leva índio pra Europa José de Anchieta escreve na areia: primeira pessoa do singular do futuro do subjuntivo do verbo ser: afi, x-sampa!
Migra Alimentos. Com. BR
THE TOP DIVISION OF IMMIGRATION POLICE
-formar palavras- 
Bebe Formi Mi Love: grita o Lobão!
Miami Beach!
CX. 
Internet Banking!
Os pardais estão amanhecendo 6:26.
... Garantido, ou Caprichoso?
Barreira Do Vasco Na Ciclo Via !
O Quê Vai Dar No Bicho?
Estou à toa na vida vendo o bando passar...
Perpendicular Inocente.

.


    

sábado, 18 de outubro de 2014

Sobre-marino-amarelo

Brasília é redonda.
De Rodar.
Mostro.
Serpente bebe rabo.
Sobe uma tábua.
Desce um céu.
Dia redondo com noite quadrada.
Mata do Jaburu?
Perdeu o acento!
Água verde-musgo.
Madeira desidratada.
Pneus velhos amortecem embarcações.
Correu, pedalou, agora está nadando.
Gostamos de fazer o contrário!
Sombra-cabeça-antenada?
Depois do aro!

O Personagem Hoje Está Atacado

Esquerda direita faça me rir cargo de confiança mpb vou te dar um jabuti não reconheço o mérito em si seu sol lá mi menor quebra a cobra de vidro raízes superficiais para de falar um ou outro na minha cabeça eu não sou daqui se fosse li li prefiro Balzac então fica com seu Eça vou de Gogol pode pegar Gorky a mula voadora não abre mão do seu tapete fiquei de enfeite nas portarias dos palácios Brasileiros: eu-objeto!
Parei de ir no campo depois daquela garrafada de mijo quando ainda tinha Casa Grande parei de ir no pacotão depois daquele lençol branco escrito com meu sangue: para o inferno com os políticos e seus semelhantes: é apenas carnaval!
Assim como Vovó ia abandonando os alimentos que lhe fazia mal eu cá amante da Dona Jovina vou deixando de lado palavras com outros comportamentos!
Ela não conseguiu roubar o solitário & ainda perdeu seu otário. Encantado com seu leque?
Não gastei meus últimos centavos com o quadro amaldiçoado!
Seus salões e suas intenções sei de cor.
Não querem perder seus postos, enquanto digo ao diretor: pode me escalar até sentado no mastro da bandeira, estarei lá durante meu turno, com direito a café, é claro!
Clodovil me chamava de missão impossível!

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Pendularmente

A bolha se embolhou.
Peixe-águia-de-cabeça-vermelha!
Húmus do jardim botânico.
A face central encara com cara de trevas!
Índio velho lê a natureza.
Fogo-azul-piscina!
Inesperado.
Amanhã espelho de farol preso por junta de torneira vai captar mais água!
Um filtro novo por dia.
Eu-mandala!
Movimento e direção.
Bordejar!
Movimento e força.
Fazer-ricochete!
Aproximação.
Lançar-se!
Esfera.



Seu lago secou?

Este sapo está de pressão baixa, mas daqui por pouco levanta dando bandeira, tome uma garrafada, deve ter lambido a noite inteira, você quer assim, então assim será, sapo que não engole cobra come sabão, que nada tem é muito irmão, 8xLSD afoga no espelho-d'água-da-USP, cospe aí vai, leva mais uma orelhada, dizem que deu piti porque não levou o jabuti, sapo colorido brasileiro dá mais barato que sapo morto venezuelano, lago titica de cá lago Titicaca de lá, este é igual ao Dadá: Paranoá, é do peru minha cara boliviana, México fica logo ali viu, alucinado de América Do Sul, seguiu um imaginário de distorções, pega o Pedro Páramo e toma uma pinga com ele na estalagem pra poeira mais distante fazer tufões vermelhos arrastando árvores pelos cabelos beba rios e afluentes com ouro e diamantes afinal almas mortas não matam.    

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Flor da barragem vai abrir!

Quando for fotografar o Lago lá da Barragem do Paranoá cuidado com as lanternas traseiras!
Pedras pontudas na margem!
O ladrão está seco!
O serviço de limpeza urbana roça motorizado!
Broto-ogiva na esquerda!
Sombra-gancho em primeiro-plano!
De quantos lados do Lago você já fotografou?
Espelho-do-cerrado!
Em direção às satélites a coisa vai ficando mais largada?
Quem empurrou aquele trombado pra ciclo via?
Tô ligado véi, tive que parar!
Duma ponta na outra ida e volta!
Braços remos pernas propulsoras!
Sugiro-japon-agricultor!
Sugino- centro-de-pista!
Su-gira-ângulos-retos-aí    

Melodia, me empresta o seu: EU COMUNICO, NÃO PEÇO! ?

E depois foi decretado em mármore branco o punctum do texto em letras garrafais ela não voa mais hora bolas duvido muito nunca teve um rei sem moscas é de ler a lei e suas frestas de direito quando o advogado bom é bem pago ou compramos o juiz esta pelada vai ter que rolar fala que paga um baré no apito falta libertem o zangão do âmbar bula voou para outro reino  espelho d`água do museu-palito vai buscar o ovo bota sal molho inglês pimenta-do-reino pinga no copo americano de uma golada só uma bocada no ovo dá o resto pro sapo que ele também quer beber garanto aqui neste pedaço pode sambar que sem água vocês não vão ficar passe o gelol ti tem limão aí gritou um puxa saco o bar está sobre controle vamos amanhecer!

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Promessas no ar

Esta veio trazer rosas pra presidente não sei se vão deixar ela entrar fingiu de morta deu espetáculo e os guardas nada fixos contemplavam garças no espelho-d`água do planalto distorcido mangangá de barriga amarela parece corvo será que nunca mais vai atacar na goela toma cuidado chuchu fica cheirando demais pode espirar divida o palácio em chalés kibutz faz o peixinho dourado pegando inseto de um salto quietude matinal está tudo tão quieto lá dentro o arco-íris suga dos dois potes dá pra ver uma metade da aliança superficial mas a outra está enterrada no concreto armado Chico não está em nem um dos lados raízes do cerrado buscam água em terras profundas super mosca presidencial zumbiu de encontro ao vidro!     

_Vovó Benta não atrapalha a crença de ninguém!

ça
Quando Emilia viu o dinossauro amarelo de boca vermelha tombar virou duas uma que ria e a outra que fazia muxoxo do outro lado Tia Anastácia batia seu tambor dizendo isto é coisa do diabo o sítio balançou com o tombo do animal pré histórico  mas ninguém garante que ele está morto pois a garrafa era de pegar Saci que agora não tem mais acento vai ter que ficar em pé numa perna só tudo culpa do país da gramática que agora também virou o país da estatística tecido central faz boca-de-sapo cama das cavernas a porta virou janela abre outra aqui passa o rato ali líquen com titi enquanto brincavam de debater poli titicas enquanto catava tiriricas no final se abraçaram se beijaram uma à outra agradecendo o ringue emprestado de uma emissora atoa é hora do almoço meninos deixem de bobagens  e venham pra dentro Anastácia precisa de sossego na sua reza!
        

terça-feira, 14 de outubro de 2014

_Gira a mandala!

Engarrafo o dinossauro amarelo de boca vermelha e dentes brancos olhos verdes!
Mestre-japon-sugiro nu de corpo-d`água com a cabeça pra trás desenho direito ...
Porta empenada no centro deu musgo amarelo serpente come vísceras humana 
reflexo do dinossauro por cima cão-cabeça-de-águia olho cego & olho bom no papo parece proteger o inocente filhote plástico...

_Esta forquilha podre e este laço deste cadarço não se enroscam!

Lépida passada 56 ainda segura um tiro de uma hora sobre o cerrado de Vô-Seis GO GO GO na asa do meu nike $! aumentou o ritmo com a concentração sem medo de carrapatos flor-de-mercúrio-na-canela papel-folha-envelhecido pé camuflado já cortou isto descalço sem feridas pequenos arranhões são inevitáveis pele sobre pele frame-pen dobra o filme de 36 pra 72 de 12 pra 24 de 24 pra 48 edite fulo frame e trabalhe com duas janelas sem balões gibi-do-titi licença-poética não vai à leilão ângulo reto na meia moldura contra areia pra não esfolar em atrito com a pele uma bolha aqui e ali quando aparece mais tarde depois do banho é penetrada por agulha arrastando linha que fica dentro com as duas pontas para fora o início e o fim deixam vazar o líquido drene sem perder a pele mesmo depois fora de qualquer trilha que não seja de formigas nos afastamos do ir e vir comercial pode ser pulando o muro dos fundos em uma hora estou no Altiplano Leste!         

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

_Diz este peixe-de-pote!

Se é pra banalizar para de querer ti gana lá onde você está no lugar comum do grito de desespero por um voto de confiança no lamaçal atual deixa o diabo voltar quem sabe ele dá um pouco de sossego aqui neste quintal algo diz algo governamental me parece mais um mingau bando de lalau os cães ladram a banda passa sem comoção passarinhos ignoram e cantam a tarde pra noite menos infernal mais um latido de um au au miau rasgou o gato no escuro abrindo uma fresta na caixa preta traga na maleta indestrutível  com algemas uma argola no pulso outra na alça só o chefe fica com a chave não podemos cortar a mão que não dá indenização grandes- colégios-particulares-empresas pagam migalhas para bons professores escolhidos à dedo grandes empresas grandes negócios é crônica contou a redação enquanto editavam a novela eleitoral num conto do absurdo narrado em fluxo surrealista explicado em rede nacional por especialistas internacionais os mais hábeis estatísticos desfilam gráficos com incontáveis porta-bandeiras rodando a baiana em suas saias-balão brancas rendadas para um enredo comercial...         

Espelho D`Água Do CCBB-2


domingo, 12 de outubro de 2014

Espelho passeando na asa norte

Ao passar pro outro lado reflexo de auto-retrato postes de guarda no eixão do lazer Sídnei pergunta está vendendo espelho não estou fotografando boa técnica me disse Marcello você viu o pelotão eu não este é louco além dos transeuntes no domingo de lazer transporte um espelho pra caminhada hoje é dia das crianças o meu foi ontem talvez ainda resto do resto de onça mais tarde uma volta de Manta Ray acompanho de Hooligan rosa dando instruções quanto ao trânsito flui em ritmo cópia de copa do mundo entre olímpiadas do pateta por um passo no abismo vou sair mais cedo perdi a roça cult ontem hoje ainda a lua é cheia amanhã pesco de skate espelhado hoje foi com o carrinho do manoelnunes.de\          

_Cerrado Do Vovô!

Galgo-Calango No Centro Da Panela.
Este Vinil Toca Uma Decomposição..
Lado A Está menos riscado.................
A Lente Olho De Peixe Isca Imagem..

Objetos-procuradores.
Bola-espelho.
Art-21.

Ala diluída.
Isto é.

&.

sábado, 11 de outubro de 2014

Espelho D`água Do CCBB


_Papo-reto: Brasília não é vista de um só ângulo!

Congresso no ponto de fuga da esquerda pra direita píer chapado coco pra tudo quanto é lado tendas brancas comerciais mastro branco que dobrou não dá bandeira no meio da mata lago gráfico de cores céu renascentista tronco trampolim encontre suas máscaras em primeiro plano branca linha do horizonte descritiva água doce que encheu JK alimenta ainda pescador de subsistência aquarela no barro da flor d`água espera parar de tremer diz o bigode quem tem seus cargos de confiança e seus cabides de emprego que corra atrás da lambança sem desespero!      

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

"_Cada um vê o dia como quer!" - Ditado-popular -

Praia da 26.
Aprendi dizer na garrafa.
Porta de poder ser outro.
Ouro-cerrado.
Mamar na onça dependurado enquanto ela caça você não quer.
Unidade de reflexos.
Quebrada do remo.
Uma onda de vidro.
Este vento uivante me quer.
Rimam gravetos com neblina.
Imã, a agulha só quer o norte.
Destino de quadro sem moldura.
Antes da galera chegar.
Colt cavalinho 45, presente do seu pai!
Revólver de matar onça.
o circo chegou o palhaço o quê é é ladrão de mulher barbada vaca com duas tomadas cavalo de um chifre só pé de cabra de brinde escapastes do cofre algemado no fundo do lago a platéia pede bizz...
Quem apresentar o leitão mais rosado ganha uma lata de pó de arroz chinês.
Ofereço esta música pra vaca do patrão!
Discurso molhado na pinga é a carne na panela.
Vamos Comer Morar!    
  

Vitória-Régia? Papiros?

Alcool 
Alcapone
Alcachofra
Calçafroxa
Lerolero
Queroquero
Qual nação?
Qual narigão?
Debutantes do pensamento a menina de quinze aqui vai dançar 2001 aquela odisséia no espaço daquele menino que jogava xadrez no central Park abre aspas aí pro cineasta...
Caneta-Clava.
Agulha-Tecido.
Conheço do lado de lá & do de cá: cacos da voz do mando...
Mas acho que vou votar no lado de lá pra que ele possa vir pra cá assim fico com os dois lados do lodo...
Eu-pedra escorrega melhor!
No espelho d' água institucional!
Vou votar na puta que te pariu!
Zumbidolélé...
Pensamento-nacional-de-variedades.
Quem saltar mais pedras escorregadias sem tocar a bunda daqui & Dalí leva a Gala no baile!
Quem bolou a embolada, o índio ou o português?
A indústria alimentícia é um negócio que não respeita nem a integridade do organismo, aí entra a indústria farmacêutica, só pra acelerar o óbito... 
A questão do mando é vender sua podridão.  

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

_Dez Reais Por Meia Hora, vamos remar!

Sei um dia você vai parar pra ler mas agora não né que você está no partidão daqui e dalí pra manter uma posição em relação fala H 171 aluguel tendências necrose quer entrar fica à vontade quanto ao humano aquela velha utopia minha irmã é algo muito distante de um partido mesmo que fosse um partido já que sabemos que não é e no caso do HUMANO sem distorções ESTE pede mais do que um tentar convencer de A ou B se F ou V releia a mesma inteligência que é usada espero também que seja necessária pra saída virou Japão e não teve nem um MISHIMA só não lamento pela minha perda de tempo hoje eu e meu Historiador fomos fotografar o espelho do Bragueto de quebra ainda passamos em 3 fornecedores de BICICLETAS prefiro perder tempo com BICICLETAS: as MELHORES: importadas!      

"...roda & avisa..."

A mandala aí véi!
Não tente distorcer pra Dalí !
A distorção é daqui!
Enquanto um anjo voa, um monstro carrega a bola...
Onda-vitral!
Olho-solo-central.
Artigo 175 do código da estrada.
Monstro Narigudo!
Anjo voa duro!
Quantas pernas tem esta aranha?
Igreja Aramada!
Peão-fixo de 16 dentes.
Ring53. com.br
Quadro Classico.
Cachimbos Cromados Tubos Pretos: assinado!
molduras dos vidros tremeram diante do concreto armado 



quarta-feira, 8 de outubro de 2014

_Museu no espelho da catedral!

De qual ângulo?
Você tem uma perspectiva melhor?
Como vai de saturação?
Ponto de fuga branco redondo ou quadrado colorido?
Figuras geométricas te enfadam?
Superficialmente azul com fundo sujo?
Quem pesca na catedral pega quero-quero?
Corredor-polonês de mascates de artesanato-barato? 
Máquina deitada no centro dá mandala?
Seu pio da tarde bate teclas?
Solidão de amigos de outras épocas?
Se o signo soubesse ele seguiria?
Gratidão por suporte-passado?
Posso te oferecer salinas?
Prata-da-casa-barnabé?
Espelho-d`água-divino?
Oca-eclética?
Oco-ecumênico?
Ovo-no-varal! 

Peixes-surealistas


terça-feira, 7 de outubro de 2014

Espelho Da Escola De Administração Fazendária

Lugar de pensar a receita...
Isto não é uma piscina.
Mar virtual de dinheiro...
Aqui minha vara é aquele pinheiro!
Está puxando!
Vento que rasga bandeira...
Concreto armado no cerrado...
A sereia encantou uma menina.
Na sombra...
No fundo...
Falta de instalação não é!
Tem dinheiro pra fazenda?
Então deixa o país nu!
Uma super estrutura de formar administradores fazendários...
Servidor fazendário pauta conduta na administração que rege...
Não precisei me identificar pra pescar!
Universidade do calote. 



- Fêmea De Bem Te Vi Também Pesca !

Imagens comparadas/
Nada de massa(
Despistou autoretratando-se{
Estou pintando todos os dias e ela me disse ontem que não pinto mais\
Viciados em descargas elétricas|
Um outro me falou que quando ele precisa de fulano ele só sinaliza[
Nossos bicos encantam_
Neblina no nu Dinamarquês=
Pedaços limpos de limpas construções+
Gago-de-linguagens%
Cachorros discutem seus donos#
Vento não precisa de flauta@
Gingou balé capoeira por Garrincha pediu uma dose de falacia$
Pelé De Bicicleta*
Reinaldo num pequeno espaço&
Galo de rinha não vai pra panela:
Menina A Caminho>
Lavoura Arcaica< 
Semi ótico;