sexta-feira, 6 de abril de 2007

FAHRENHEIT 451

BIBLIOTECA NACIONAL DE BRASILIA
abre suas portas para homenagear o poeta
FERNANDO MENDES VIANNA
dia 5 de abril de 2007
Apresentação de poemas por João Carlos Taveira, Angélica Torres,
José Jeronymo Rivera e Antonio Miranda
José Jeronymo Rivera João Carlos Taveira Angélica Torres e o p público no auditório da BNB
O escritor Anderson Braga Horta Horta apresentando o perfil humano e poético de Fernando Mendes Vianna O poeta Antonio Miranda e Silvestre Gorgulho, secretário de cultura do GDF abrindo a sessão

Fachada da Biblioteca Nacional de Brasíla. Foto Robson Corrêa de Araujo, 5/4/2007

2 comentários:

thelma mello disse...

as pessoas necessitam hoje de preposições, ligações, e não percebem que a imagem liga e religa tudo, quase como realmente um religare. palavras são antes de palavras, imagens e coisa concreta.
que se danem as preposições e conjunções, prefiro a palavra pura e bruta como o cavalo pastando na rua
as imagens- palavras me sentem mais

João Carlos Taveira disse...

A fotografia, para mim, é uma das poucas linguagens que se aproximam da música. Ao contrário de algumas outras, a fotografia não precisa de dicionário, de normas gramaticais, nem de formas eruditas de percepção: está – como a Música! – aberta a todos os sentidos, acessível a todos os olhares.
O presente ensaio de Robson Corrêa de Araújo sobre a primeira (e histórica) atividade da nossa Biblioteca Nacional constitui-se num dos elementos mais fortes daquela justíssima homenagem que se fez ao grande poeta Fernando Mendes Vianna, morto no dia 10 de setembro de 2006.
Quero dizer: estamos todos de parabéns pela grandeza do evento e pela oportuníssima iniciativa do seu organizador. Viva Antonio Miranda! Viva o dia 5 abril deste venturoso ano de 2007!